Mulheres relógios

Diesel Homens e mulheres relógios. Relógios diesel são a forma de neo-clássico de olhar para a vida moderna. Um relógio Diesel é um acessório básico no guarda-roupa do poder-cômoda, mas sua vasta gama de estilos e projetos eles fazem tudo menos típico. relógios Das Mulheres Marca De Luxo SKMEI Relógio de Quartzo relógios de Pulso Do Esporte Da Moda de Aço Inoxidável Relógio Ocasional relogio feminino descrição: -marca: SKMEI -tipo: Relógios das Mulheres -100% brand new e de alta qualidade. -Precise movimento de quartzo Relógios para mulheres na Joom Store. Comprar Relógios para mulheres com preços acessíveis na loja online do JOOM, com entrega rápida. No nosso catálogo, oferecemos 100000 melhores produtos com fotos, descrição e comentários de clientes. Os relógios para mulher são presentes perfeitos. Veja a nossa vasta seleção de relógios para mulher na Loja Lacoste Online. Relógios para Mulheres Filtrar por Search input. Filtrar por PREÇO. 15400.00 - 442000.01 Range price. Write min and max price separated by comma. Apply price filter. De R$ 0 Para R$ 250.000 e mais de MATERIAL. Aço Ouro branco Ouro rosa PEDRA PRECIOSA. Diamonds Malaquita Safiras PAVÊ DE DIAMANTES. Yes No ... $13.19 por Mulheres Relógios de Quartzo Flor Fashion Marrom Aço Inoxidável Chinês Quartzo Marron Criativo Relógio Casual Analógico de 7236822 2020. Procurando Relógios de quartzo com preços baixos online? Encontre na lightinthebox.com em oferta hoje! DESCUBRA OS RELÓGIOS DAS MULHERES. Ice-Watch X ICE colour ICE colour Ver o vídeo. Mais looks no Instagram Mais looks no Instagram #icewatch @cindyvandyck. @cindyvandyck. Fechar. ICE pearl - White € 99,00 Com o relógio ICE pearl white, a madrepérola declina-se em versão XS para um toque de joia num relógio que é ao mesmo tempo chique e ... copyright 2019 - Mundo das Mulheres.pt Promoções válidas de 01-09-2020 a 30-09-2020, limitado ao stock existente e nos artigos assinalados. copyright 2019 - Mundo das Mulheres.pt 4/jul/2016 - Explore a pasta 'Relógios' de Biia Miranda no Pinterest. Veja mais ideias sobre Relogios, Relógio feminino, Relogios femininos.

Todo mundo envelhece, mas as pessoas mais novas acham que elas não irão envelhecer.

2020.09.05 22:13 princessomalhado Todo mundo envelhece, mas as pessoas mais novas acham que elas não irão envelhecer.

Sim, tudo mundo envelhece, sua mãe foi criança, sua avó adolescente, seu pai um bebê... todos tinham sonhos e desejos ... todos queriam descobrir o mundo, achar o amor de verdade e viajar. Hoje sou um homem de 67 anos de idade, vejo nos olhos das pessoas mais velhas a dor e o sofrimento de uma vida, que na maior parte dessa dor e sofrimento foram causadas por outras pessoas. Uma vez, tive um relacionamento com uma mulher que tinha uma filha de 15 anos, via no rosto dela vida! Queria fazer engenharia, tecnologia da informação, medicina, administração, jogadora de vôlei, astronauta e no lazer queria tomar vários instrumentos musicais, cantar e pilotar aviões. Nós que somos mais velhos, não podemos ser racionais nesse momento e acabar com os sonhos dos jovens, mas dentre todas essas coisas, se ela conseguir fazer apenas uma será muito. A vida bate forte, vi jovens adolescentes que eu conhecia morrer em acidentes da noite para o dia, e todos os sonhos, sumiram com eles... Os jovens olham para os velhos e acham eles feios, fora de moda.. mas na verdade estão olhando para o próprio futuro! Só que como não aceitam preferem desprezar achando que vão se livrar do relógio da vida. Olhe os olhos de um jovem e de um velho.. o jovem tem a ilusão que tudo será como está e o velho, apresenta no olhar toda uma dor de uma vida inteira, que acontece como brigas, separações, perdas, mortes, doenças, abandonos, desespero, solidão, ameaças, descasos, injustiças, dor, ódio, rancor, covardia e desamparo. Jovens e velhos esperam que os jovens nãos passem por isso, da mesma forma que os velhos antes dos velhos de hoje esperaram que não acontecesse o mal para a próxima geração. Mas isso faz parte da vida e se eu pudesse voltar no tempo, trataria os mais velhos com todo amor e respeito pois hoje sei bem o que eles passaram!
submitted by princessomalhado to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 18:52 sweet_gih Meu relato sobrenatural

Isso aconteceu cmg já faz muito tempo,eu era pré adolescente ainda,tinha uns 12 ou 13 anos. Naquela época eu morria de medo de espíritos,quando minha mãe me deixava sozinha em casa pra ir no mercado,eu ficava dentro do meu quarto chorando até ela voltar. Eu passava calor na hora de dormir,eu tinha medo de abrir o olho no meio da noite e etc. Teve uma vez q eu e meus pais fomos num churrasco na casa da tia do meu pai,ela já foi macumbeira quando era jovem,mas depois ela parou com isso e se converteu. Ela tinha um filho de 40 anos,ele era alcoólatra,a esposa dele não gostava quando ele bebia pq ele ficava violento,xingava ela e etc..então ela decidiu largar ele. Nisso ele entrou numa depressão profunda só pq a mulher largou ele,a tia do meu pai achava q era mentira quando ele falava q ia se matar por causa dela. Teve um dia q a tia do meu pai saiu pra ir pra igreja,quando ela voltou,ela tinha se matado na lavanderia,ele amarrou a corda no teto e se jogou. Ela disse q já viu o espírito dele na lavanderia,todos falam pra ela vender a casa dela,mas ela fala q jamais irá vender(perdão,mas eu por muito menos...iria vender a casa..Deus me livre). O pior foi q eu estava na casa dela quando ela me contou essa história,o churrasco era na casa dela,eu morria de medo dessas coisas,então eu não saia de perto dos meus pais. Quando acabou o almoço,minha mãe tinha derrubado o vinho q estava na beira da mesa,então ela pediu "Giovana,vai buscar um pano na lavanderia fazendo favor filha"...nessa hora eu gelei,eu neguei e minha mãe acabou indo buscar. Minha mãe limpou tudo lá e pediu pra mim levar lá na lavanderia,eu neguei e ela ficou brava. Eu acabei levando com um cagaço do cão,quando cheguei lá a primeira coisa q eu vi foi um relógio de pulso de ouro,era bem bonito,eu peguei ele e botei no meu braço,achei lindo o relógio. Quando eu virei de costas,vi um cara apontando pra mim com uma cara triste(ou meio bravo,não lembro direito)eu saí correndo dali com o relógio no braço. A tia do meu pai viu o relógio e disse "Esse relógio era do meu filho". Minha mãe ficou assustada com o meu desespero,eu implorei pros meus pais me levarem embora,fiquei dormindo no quarto dos meus pais por vários dias. Essa é a história mais marcante sobrenatural q eu tenho,o resto é de boa. Hoje em dia eu não tenho mais medo não,já me acostumei e sei q esses espíritos não fazem mal pra gente..quem faz mal pra gente são os seres humanos viu...
submitted by sweet_gih to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 23:47 bs_sena Ei Gabriel Monteiro

Ei Gabriel Monteiro, queria saber se você esta solteiro, perguntei primeiro e vi que tu mexeu o cabelo se eu tiver falando merda por favor segue o roteiro parceiro então para de graça, sai logo da internet e da um tapa na minha cara quero violência sou uma puta mal criada eu amo um homem de farda e tu ama um homem de barba maneiro quero ser algemada tu com a glock na minha cara me apontando a espingarda eu calado no meu canto com a boca amordaçada você me interrogando com tua pistola gelada Rio de Janeiro aqui não tem otário Não gosto de mulher sou carta fora do baralho Eu e tu no sapatinho abraçado dentro do armário Mas vamos rapidinho que já deu o meu horário Eu sei tu votou no Bolsonaro Mas minha xota votou nulo vai pra casa do caralho Você é dissimulado e eu vou te dar trabalho, com minha calcinha do Lula só pra te deixar bolado Pensei só por um instante, to andando até com droga só pra tu me dar um flagrante Revistando minhas roupa com a boca que nem louca E o vinicin eu quero ser a sua amante Eu avisei te amo e não é meme fiquei puto quando tu chegou ser expulso da PM Só de falar nessa porra meu cuzinho chega treme minha casa e minhas roupa tao com cheiro do seu creme Meu deus tu gosta de ditadura, para de gracinha e vem da uma tapa na minha bunda Eu não ligo pra essa porra, hoje eu sou sua Faz que nem a naja e vem me da uma "picadura" Gabriel Monteiro sou teu por inteiro não quero teu dinheiro só quero sentir teu cheiro Ser tu é companheiro, sei que tu é cavalheiro Nós dois vai ser maneiro um PM e um maconheiro Me da uma chance peço por favor deixa eu te levar pra ver o Cristo Redentor você na internet melhora o meu humor tua cara de safado que me cativou você é meu Di caprio tipo Titanic, vou te levar na boa vista pra fazer um piquenique se eu olhar pra outros cara por favor não da chilique vou quica na tua pica e vou bate o relógio chique Te amo não sei como tu aguenta, você é minha princesa de um metro e sessenta em quatro paredes é você que me arrebenta então para de caô mostra tua ferramenta.
submitted by bs_sena to copypastabr [link] [comments]


2020.08.07 04:24 YatoToshiro Fate/Gensokyo #49 Saber of Red (Fate/Grand Order) Parte 2


https://preview.redd.it/cgjgskwklhf51.png?width=5000&format=png&auto=webp&s=e412088494be7f98ae0232ab947550b3f8077b2d
Londres: O Mundo da Morte na Cidade do Nevoeiro Demoníaco
Materializando-se do nevoeiro demoníaco, Mordred logo se encontrou e fez uma parceria com Henry Jekyll para salvar Londres, com ela fazendo o trabalho de campo. Antes da chegada de Caldéia, o casal descobriu que o Museu Britânico, que serve como entrada da Torre do Relógio, foi destruído pelos criadores do nevoeiro, o Projeto Demonic Fog, para remover qualquer oposição.
Mais tarde, ela confronta Ritsuka Fujimaru e Mash Kyrielight ao ver que podem respirar no nevoeiro, perguntando se são amigos ou inimigos. Eles não respondem, mas ela os acha inofensivos. Ela adverte a seguir em frente se eles valorizam suas vidas antes de partir. Ela fica de olho no par e as testemunha destruir um Helter Skelter. Ela interpõe durante a análise de Romani Archaman dos golens mecânicos para informá-lo de seu nome. Ela conclui que Ritsuka e Mash não são inimigos e concorda em contar a eles sobre Londres.
Ela os leva ao apartamento de Jekyll, onde ele a repreende por se apresentar com seu nome verdadeiro. Ela o ignora, já que eles não estão em uma guerra normal do Santo Graal. Eles então explicam a Ritsuka e Mash como se tornaram parceiros quando o Nevoeiro Demoníaco desceu sobre Londres. Depois que Jekyll explica as circunstâncias de Londres, ele envia Ritsuka, Mash e Mordred para proteger um de seus colaboradores, Victor Frankenstein.
Saindo do apartamento, Mordred fica desanimado e deixa quando acaba de voltar. Enquanto leva Ritsuka e Mash à mansão de Victor, ela explica como Jekyll tem colaboradores por toda a cidade e conversa diariamente com eles via rádio. Mash logo pergunta a ela sobre suas motivações para lutar por Londres. Mordred responde que ela está aqui para enfrentar os perigos do amado Londinium de seu pai., Como ela disse antes. Ela então confessa que é porque ela não violou o britânico quando Mash suspeita que havia outro motivo. O grupo finalmente chega à mansão do Victor. Mordred explica que Victor é um mago genuíno, ao contrário de Jekyll, então sua guarnição é protegida por barreiras e armadilhas capazes de prejudicar Servos. Ela se lembra de ter tido uma experiência ruim quando checou a mansão pela primeira vez. Mefistófeles então sai das mansões, e Mordred suspeita corretamente que ele matou Victor. Depois de matá-lo, o grupo vasculha a mansão e encontra uma nota em sua biblioteca detalhando uma trama chamada Project Demonic Fog. Os líderes do projeto são "P", "B" e "M", que Victor suspeitava serem Espíritos Heroicos. Mordred então mostra Ritsuka e Mash Frankenstein, que ela encontrou anteriormente. Como os outros, ela não pode dizer se Frankenstein é um Servo ou não, suspeitando que o Nevoeiro Demoníaco esteja interferindo. Ela então explica que é um humano artificial construído pelo avô de Victor, de acordo com a nota em seu caixão. Frankenstein revela que ela ainda está viva. O grupo então a leva para o apartamento de Jekyll.
De volta ao apartamento, Mordred exige que Jekyll se desculpe com Frankenstein por incomodá-la por tocá-la durante sua inspeção. Ela concorda com Mash que Frankenstein aceita as desculpas de Jekyll se ele entendeu o desconforto dela. Ela então ameaça matá-lo quando ele se pergunta se ela e Mash podem entender Frankenstein porque são do mesmo sexo. Jekyll então envia o acordo do grupo com um Tomo Mágico que está entrando em prédios e atacando civis.
Deixando Frankenstein para trás, Mordred lembra-se de lutar contra Espécies Fantasmas, pois os Cavaleiros da Távola Redonda eram uma das expectativas que podem matar fantasmas. Ela também lembra os pictos, comparando-os com alienígenas em contraste com os outros bárbaros. Ela então luta com Mash para endurecer sua determinação. Jekyll finalmente entra em contato com o grupo para informar que o Tomo Mágico está colocando suas vítimas em um sono sem fim. Mordred se pergunta se é feito por magia ou droga, embora nenhum deles deva ser afetado graças a Ritsuka sendo protegida pela Habilidade de Resistência a Venenos (Temporária), e Mordred sendo principalmente protegido por sua Resistência Mágica. Jekyll então os direciona para uma livraria de antiguidades no Soho, onde um de seus informantes deveria estar. Lá eles encontram Hans Christian Andersen, e ele informa que o Tomo está no escritório ao lado. Decidindo que é muito perigoso lutar dentro de casa, o grupo o atrai para fora. Seus ataques são inúteis quando Andersen revela que é um Servo Vadio colocando as pessoas em um sonho em busca de um Mestre cuja psique possa tomar forma. Ele o chama de Nursery Rhyme, transformando-o em uma garota chamada Alice. Depois de derrotá-la, o grupo retorna ao apartamento de Jekyll, agora acompanhado por Andersen.
Jekyll diz ao grupo que a Scotland Yard está sob ataque de Jack, o Estripador. Mordred lembra como eles lutaram várias vezes, mas ela não se lembra de sua aparência ou habilidades. Antes de sair com Ritsuka e Mash, ela pergunta a Andersen se ele facilita Jack a derrotar, como fez com Nursery Rhyme. Andersen responde que Nursery Rhyme foi uma exceção, então Mordred sai irritado com ele. O grupo finalmente chega à Scotland Yard para encontrar Jack que já massacrou a estação sob ordens de "P" para que ele pudesse recuperar um item mágico. Eles matam Jack, mas "P" se teletransporta de volta para seus compatriotas.
De volta ao apartamento, o grupo aprende com Andersen que os Servos estão se materializando com o nevoeiro. Como Servo não pode ser convocado com a influência do Graal, ele suspeita que o nevoeiro tenha sido criado pelo Graal. Mordred então patrulha, então Ritsuka e Mash se juntam a ela. Ela lembra que ainda não encontrou grupos de Helter Skelter, que é o único inimigo que ela gosta de lutar. Ela também espera que eles encontrem oponentes dignos hoje à noite. O grupo logo conhece William Shakespeare, que recentemente se materializou da neblina. Mordred contempla por que alguns servos do nevoeiro são hostis quando "P" chega. Ele admite que seu grupo tem procurado os Servos que se materializaram da neblina e os manipularam para expandir a neblina. Ele revela que seu nome verdadeiro é Paracelsus von Hohenheim e luta contra o grupo. Depois de matar Paracelso, o grupo retorna ao apartamento de Jekyll, acompanhado por Shakespeare.
Na manhã seguinte, Ritsuka, Mash e Mordred estão em patrulha. Eles finalmente retornam ao apartamento para descansar um pouco. Eles relatam a Jekyll sobre a produção em massa de Helter Skelters. Ele suspeita que o Projeto Demonic Fog está aumentando seus esforços para conseguir mais Servos do nevoeiro após a morte de Paracelso. Mordred diz a Ritsuka e Mash para conversar com Andersen e Shakespeare até que sua curiosidade seja satisfeita. Ela então diz que eles precisam desativar os Helter Skelters. Andersen então pede que eles recuperem dados da Torre do Relógio para provar sua teoria sobre a Guerra do Santo Graal. No entanto, Mordred e Jekyll revelam sua entrada, o Museu Britânico, foi destruído antes da chegada da Caldéia. No entanto, o chefe do grupo juntou-se a Andersen, Shakespear e Jekyll para surpresa de Mordred.
Chegando ao Museu, o grupo vasculha seus escombros para encontrar a entrada subterrânea da Torre do Relógio. Eles o encontram e vão para baixo para encontrar os magos mortos. Eles logo se deparam com uma porta da biblioteca protegida, então Andersen e Jekyll investigam dentro enquanto os outros guardam a porta. Os feitiços nos livros impedem que eles saiam com eles, então os outros devem defendê-los até Andersen obter as informações que ele procura. Jekyll se transforma em Hyde para ajudá-los a lutar. Andersen finalmente encontra os dados que procurava, então o grupo retorna ao apartamento.
De volta ao apartamento, Andersen revela que o Ritual de Convocação de Servos foi adaptado de um que convoca sete dos espíritos heroicos mais fortes para combater um inimigo poderoso. Ele suspeita que alguém tenha previsto a vinda do grupo e colocou as informações sobre o ritual para encontrar. Mordred acha que nada disso ajudará contra a produção em massa dos Helter Skelters. De repente, o apartamento é atacado por um grupo de Helter Skelters. Depois de expulsá-los, Romani informa ao grupo que os robôs foram criados a partir de um nobre fantasma. Ele também revela que eles são controlados remotamente pelo Servo que os chamou, o que significa que desaparecerão se o Servo for morto. Enquanto o grupo pondera a localização da Serva, Frankenstein revela que ela sabe onde elas estão.
Enquanto Frankenstein lidera o grupo, Mordred pergunta a Ritsuka se Romani (chamando-o de Dr. Maron) pode fazer um cristal que enxerga longe, dizendo que seria fácil para Merlin. Ela está bastante satisfeita que Ritsuka não saiba sobre Merlin, acreditando que a perda da fama é o que ele merece. Ela sabe que ele está preso em sua torre em Avalon e lembra que ele era um bastardo voador. Ela então diz a Ritsuka para conversar com Mash, percebendo que ela parece deprimida. Mash confessa que é porque ela ainda não pode usar seu verdadeiro Noble Phantasm, mas Mordred diz que ela é diferente daquele bastardo do escudo. Ela diz que é mais forte que ele, só que fica aquém no que diz respeito ao Noble Phantasm. Ela diz que Ritsuka é o parceiro perfeito para Mash e diz que eles precisam se tornar um mestre de primeira classe para ser um servo de pleno direito. [23] O grupo finalmente chega às Casas do Parlamento, onde são atacados por um grupo de Helter Skelters comandado por um grande grupo. Mordred protege Frankenstein enquanto Ritsuka e Mash lutam com os Helter Skelters. Com a destruição do grande, os outros Helter Skelters de repente se enfrentam. Mash então tira fotos do grande Helter Skelter, a pedido de Romani. Ela percebe o nome do fabricante, ausente dos outros, que diz "Charles Babbage, 1888 dC".
Na manhã seguinte, Jekyll diz ao grupo que Charles Babbage está vivo, apesar dos registros históricos da Caldéia dizendo que ele deveria estar morto agora. Romani atribui isso às distorções criadas pela Singularidade, resultando na mudança de eventos. Assim, os mortos ainda vivem e não existem como Espíritos Heroicos, como Jekyll e Frankenstein. Jekyll revela que os Helter Skelters que foram completamente desligados foram todos reativados. O grupo sai para derrotar aquele que controla os Helter Skelters.
Eles seguem a liderança de Frankenstein novamente, mas Mordred logo suspeita que os esteja enganando dessa vez. Frankenstein admite que não acredita que Babbage esteja construindo os Helter Skelters para machucar os outros. Mordred a convence a levá-los até ele, dizendo que suas ações agora contradizem a crença dela em sua boa natureza. Ela os leva a Babbage, que revela que ele é "B" do Projeto Nevoeiro Demoníaco e um Servo que emergiu do nevoeiro. Mordred diz a ele para ouvir o que Frankenstein tem a dizer. Babbage se prepara para se render quando fica furioso com o grupo devido a "M" usando o Graal. Mordred diz a Frankenstein que suas palavras são inúteis, dizendo que às vezes as conversas terminam em brigas. Depois que ele é derrotado, Babbage diz ao grupo para ir para o subsolo, onde eles encontrarão a fonte do Nevoeiro Demoníaco: seu Mecanismo a Vapor Maciço, alimentado pelo Santo Graal, Angrboda. Depois que Babbage desaparece, o grupo retorna Frankenstein ao apartamento de Jekyll antes de seguir para o subsolo.
Eles seguem a liderança de Frankenstein novamente, mas Mordred logo suspeita que os esteja enganando dessa vez. Frankenstein admite que não acredita que Babbage esteja construindo os Helter Skelters para machucar os outros. Mordred a convence a levá-los até ele, dizendo que suas ações agora contradizem a crença dela em sua boa natureza. Ela os leva a Babbage, que revela que ele é "B" do Projeto Nevoeiro Demoníaco e um Servo que emergiu do nevoeiro. Mordred diz a ele para ouvir o que Frankenstein tem a dizer. Babbage se prepara para se render quando fica furioso com o grupo devido a "M" usando o Graal. Mordred diz a Frankenstein que suas palavras são inúteis, dizendo que às vezes as conversas terminam em brigas. Depois que ele é derrotado, Babbage diz ao grupo para ir para o subsolo, onde eles encontrarão a fonte do Nevoeiro Demoníaco: seu Mecanismo a Vapor Maciço, alimentado pelo Santo Graal, Angrboda. Depois que Babbage desaparece, o grupo retorna Frankenstein ao apartamento de Jekyll antes de seguir para o subsolo.
Viajando no subsolo, o grupo finalmente chega à câmara de Angrboda. Lá eles encontram Makiri Zolgen, o primeiro líder do Projeto Demonic Fog. Makiri revela que o Nevoeiro Demoníaco foi criado para destruir toda a Inglaterra, como comandado por seu rei. Ele continua um Espírito Heroico capaz de ativar completamente o Nevoeiro Demoníaco em breve se materializará do Nevoeiro. Ele então se encarna em Barbatos e ataca o grupo. Depois que Barbatos é derrotado, Makiri tenta convocar um Servo, mas Mordred o mata antes que ele possa terminar o encantamento. No entanto, servindo como o círculo de convocação e o encantamento restante, a Névoa Demoníaca completa o ritual. [25] Nikola Tesla é convocado e segue para a superfície, enquanto o grupo permanece inconsciente da explosão maciça de Energia Mágica após sua convocação. Depois que eles acordam, Romani avisa que Tesla está indo para um local na superfície para ativar completamente o Nevoeiro Demoníaco, para que possa se espalhar pela Inglaterra para destruir a época. Ele explica ainda a linha extra de Makiri para Madness Enhancement durante a convocação, que Tesla executou automaticamente a tarefa para a qual foi convocado. Depois de derrotar os homúnculos que os emboscaram, o grupo logo alcançou Tesla. Ele revela que o nevoeiro ativado absorve energia mágica sem limites, impedindo que o grupo o alcance. Mordred dispersa o nevoeiro quando absorve seu Clarent Blood Arthur. O grupo aproveita essa oportunidade para combater Tesla, mas o nevoeiro logo volta. Antes de continuar na superfície, Tesla diz ao grupo que está indo para onde a névoa é mais espessa, o céu acima do Palácio de Buckingham. Ele explica que um raio dele ativará totalmente o nevoeiro e implora que eles o parem antes dele.
O grupo corre para a superfície e encontra Sakato Kintoki e Tamamo no Mae, que recentemente lutaram com Tesla. Kintoki diz a eles que dispersou a neblina ao redor de Tesla, então o grupo correu pelas escadas dele para matá-lo. Depois de matar Tesla, eles se preparam para retornar à clandestinidade para remover o Graal de Angrboda. No entanto, eles são interrompidos quando Artoria Alter de repente se materializa da neblina, absorvendo-a enquanto ela se materializa. Mordred se pergunta por que ela não chegou para salvar Londres mais cedo. Ela então suspeita que veio matá-la porque é contra a idéia de salvar Londres. Vendo que ela exerce a Rhongomyniad, Romani implora para que o grupo corra, mas Mordred se recusa, já que seu destino é se rebelar contra o rei Arthur. Depois que o grupo mata Artoria Alter, eles retornam à câmara de Angrboda para remover o Graal.
Dentro da câmara, Mordred está satisfeito com o resultado. Porém, ela ameaça matar Mash quando disse que Artoria Alter não tinha controle consciente de suas ações. Ela decide não fazer isso, já que Mash estava apenas falando o que pensava, a mesma coisa que ela disse a Frankenstein. Andersen, Shakespeare, Kintoki e Tamamo logo chegam; Mordred ameaça matar os dois escritores por ser irritante. No entanto, uma figuras misteriosas de uma distorção semelhante ao Rayshift. Ele expressa decepção em Gilles de Rais, Romulus, Jason e Tesla por seus fracassos. Ele então revela que é a mente por trás da Incineração da Humanidade, Salomão. Mordred suspeita que ele é um Espírito Heróico que decidiu destruir a humanidade depois de ser convocado. Salomão corrige, porém, que ele se manifestou sob seu próprio poder. Ele revela que o anel de luz visto nos céus das Singularidades é seu terceiro fantasma nobre, Ars Almadel Salomonis. Por seu interesse em Mash, ele convoca apenas quatro dos Deuses Demônios e ataca o grupo. O grupo mata um dos deuses demônios, no entanto, Salomão mata Shakespeare, Kintoki e Tamamo. Mash implora aos romani que os desloquem para casa, mas a presença de Salomão torna isso impossível. Salomão declara que ele supera todos os Servos, independentemente de suas fileiras, como Espíritos Heroicos. Ele então tenta matar Mordred, mas Andersen bloqueia seu ataque. Andersen explica que o sistema de convocação do Espírito Heroico original criado pela Força Contra os convoca como Grandes Servos para proteger a humanidade de uma ameaça nascida da humanidade. Salomão confirma que o sistema usado na Guerra do Santo Graal é uma degradação do original. Ele então declara que ele é o Grand Caster e mata Andersen. Mordred detesta sua vanglória, suspeitando que ele esteja realmente em pânico porque Ritsuka já recuperou quatro de seus Grails. Salomão confessa que só chegou à Singularidade por um capricho e se prepara para sair. Ele proclama que a Caldéia não é uma ameaça para ele, a menos que destruam sete singularidades. Ele então chama os seres humanos sem valor para viver, apesar de suas inevitáveis ​​mortes e folhas. Voltando à superfície com Ritsuka e Mash, Mordred está insatisfeito, apesar de terem recuperado o Graal. Ela odeia que não pode ir com eles, mas entende que desaparecerá agora que a Singularidade se foi. Ela admite que Salomão estava certo de que os Espíritos Heroicos são inúteis, a menos que sejam convocados. Ela então diz que em todas as épocas, quem constrói é quem está à beira do futuro. Portanto, ela está confiante de que Ritsuka desfará a Incineração da Humanidade. Ela então diz a Mash que ela gosta dela, mesmo que ela não goste do Espírito Heroico fundido com ela. Ela suspeita que eles se encontrarão novamente, depois desaparece satisfeita até mesmo alguém como ela salvou Londres.
Chaldea Summer Memories ~ Calmante Praia Branca ~
Mordred e vários outros servos de Ritsuka são acidentalmente deslocados para uma ilha remota onde não conseguem entrar em contato com a Caldéia. Ela não sabe onde eles estão e lança um olhar de soslaio para Artoria Pendragon, que reconhece que não está na Grã-Bretanha. Enquanto o grupo espera que Barba Negra relate sua observação da ilha, Mordred reclama do calor, dizendo que sua armadura não é de praia. O grupo logo aprende com um Barba Negra moribundo que sua localização ainda é desconhecida, e é quase impossível sair com um navio normal. Concordando com a sugestão de Artoria de deixar a ilha para entrar em contato com a Caldéia, o grupo decide construir um navio capaz de deixar a ilha. Mordred reclama novamente de como está quente em sua armadura quando os caranguejos gigantes se aproximam da posição do grupo. Artoria a repreende por usar armaduras pesadas para intimidar o inimigo. Mordred fica irritado com o comentário de Artoria de que sua reputação como cavaleira não vai além do negativo, mesmo que ela troque de armadura adequada ao seu corpo. Depois de matar os caranguejos, as origens espirituais do grupo são alteradas por Scáthach para lhes dar roupas de banho, a fim de se adaptarem ao seu ambiente atual. Mordred se orgulha de ser mais forte que Artoria, agora ela pode balançar sua espada com mais facilidade. Ela fica chocada quando Artoria puxa uma pistola de água do nada como se não fosse nada. Com ciúmes da arma de Artoria é tão verão, ela pega Prydwen. O grupo vai reunir materiais para Scáthach construir seu navio de fuga e também construir outras instalações.
Mais tarde, o grupo discute qual deveria ser sua primeira tarefa na vida da ilha quando uma tempestade de repente se aproxima. Eles entram em uma pequena caverna avistada por Mordred para escapar da chuva, mas acabam devido a um enorme enxame de insetos. Fora da caverna, o grupo decide que precisa construir uma cabana para se abrigar. Mordred sugere que construam uma cabana de ferro para maior defesa do que a cabana de pedra que Artoria sugeriu. Ela fica brava com Artoria por fingir não ouvir sua sugestão. Se a cabine de ferro for construída, Mordred entra apenas para sair imediatamente devido ao calor excessivo. Ela não se importa se é habitável ou não, apenas se é defensável. Ela então nade depois de dizer a Ritsuka que eles estarão a salvo de qualquer ataque dentro da cabine, embora não do calor. O grupo constrói um suprimento de água para preservar a água doce que coletar.
Cansado de churrasco, o grupo decide construir uma instalação de cozinha adequada. Mordred gosta do som de comer pizza, mas reclama que é uma dor de assar. Ela então sugere que eles façam uma panela grande, dizendo que quantidade é o que é importante. Se a panela for construída, ela ficará encantada ao vê-la cheia de ensopado. Ela começa a se lembrar de algo que Artoria costumava fazer durante sua vida, mas se detém. Ela então afirma que o desempenho de um soldado é afetado pela quantidade de estômagos, para que um exército se desfaça se for deixado sem comida. Assim, ela acredita que a quantidade é o mais importante quando se trata de comida. Em seguida, o grupo decide construir uma instalação de banho. Mordred concorda com a sugestão de Anne Bonny e Mary Read de que eles construam um chuveiro. Se o chuveiro for construído, ela toma banho, apenas para imediatamente surfar novamente. Posteriormente, o grupo decide cultivar um campo vegetal para um suprimento estável de alimentos. Mordred sugere o cultivo de melancias, com as quais Scáthach e Artoria concordam. Se as melancias são escolhidas, os três fazem uma competição de divisão de melancia. Mordred falha em direcionar Scáthach na direção errada, enquanto tenta direcionar Artoria na direção certa. Ela afirma que está levando na direção errada, quando Artoria diz para ela calar a boca por distraí-la. Depois que Artoria usa Mana Burtst para dividir a melancia, Mordred fica surpreso com o quão excessivamente competitiva ela é. Ela tenta fazer a mesma coisa, mas destrói a melancia. Mais tarde, o grupo construiu um campo de grãos que pode ser usado para cozinhar ingredientes. Depois, eles constroem uma fazenda para criar gado. Se uma fazenda de gado é construída, Mordred tenta pegar a carne que Scáthach e Artoria estão preparando, apenas para ser golpeada por eles.
Alguns dias depois, Artoria, Mordred, Kiyohime e Marie Antoinette aprendem com Scáthach que suas colheitas foram destruídas por uma fera, conforme determinado pelo uso de Fintan Finegas por Fionn mac Cumhaill. Mordred pensou, no entanto, que seria apenas ela e Artoria em patrulha. Infelizmente, o grupo encontra Fionn e Diarmuid Ua Duibhne, que serviram de vigia na noite anterior, fatalmente feridos. Artoria descobre pelo Diarmuid moribundo que seu atacante era um javali quando um leitão de javali. Mesmo que Marie acredite que é inocência, o outro tenta cercá-lo e matá-lo, dadas as evidências. No entanto, ele foge ao sentir monstros que chegam. Depois de matar os monstros, Artoria ordena que os outros se separem e procurem o leitão de javali. Mordred reclama que Artoria trabalha demais com as pessoas, dizendo que não entende os sentimentos das pessoas. Ela decide voltar e alegar que não encontrou nada quando encontrou o leitão de javali nos arbustos. Ignorando as ordens de Artoria, ela abraça o leitão para sentir seu pêlo macio. Ela então deixa as nozes que conseguiu de Marie para atraí-lo, alertando-o para não voltar aos campos. Mais tarde, naquela noite, ela se reúne novamente com os outros nas lavouras agora reunidas por Santa Marta, Tamamo no Mae e Anne e Mary. O grupo encontra o leitão junto com outros dois tentando proteger as plantações quando um javali demoníaco aparece. Percebendo que é o verdadeiro culpado, o grupo luta contra o javali demoníaco. Depois de morto, Mordred suspeita que os leitões ajudaram porque Marie lhes deu comida. Ela também suspeita que o javali demoníaco os tenha impedido de comer. Marie percebe que eles também gostam dela, mas Mordred nega e diz para eles irem embora. Depois que Scáthach contrata os leitões para proteger as plantações, Artoria suspeita que eles encontrarão mais javalis demoníacos, dado o tamanho da ilha.
No dia seguinte, o grupo decide construir um caminho. Mordred sugere uma pista de minecart, dizendo que ela não é apenas convinente, mas também divertida. Mais tarde, o grupo decide construir um aqueduto para melhorar sua eficiência no armazenamento de água. Mordred sugere que eles construam um oleoduto, reclamando que as idéias dos outros não têm romance. Se o pipeline for escolhido, ela orientará Ritsuka na instalação da última peça. Em seguida, o grupo decide construir uma ponte para facilitar a viagem para Ritsuka. Mordred afirma que ela e Artoria tiveram a mesma idéia de construir uma ponte levadiça, de modo que, como contrapartida, ela sugere um teleférico. Se o teleférico for construído, ela, Martha, Anne e Mary correm com os teleféricos. se o drawbrige for construído, ela o arranha com Prydwen. Ela nega qualquer responsabilidade e também pede desculpas silenciosamente a Artoria. Mais tarde, o grupo construiu um jardim. Depois eles decidem construir um local para atividades recreativas. Depois eles decidem construir um local para atividades recreativas. Se o coliseu for construído, Mordred espera impaciente sua vez de lutar. Se o campo de atletismo é construído, ela bate uma bola contra uma parede sozinha. Artoria, com certa relutância, permite se juntar à equipe de Ritsuka, dizendo-lhe para não se segurar.
Mais tarde, Mordred vai surfar depois de fingir que não gosta de compartilhar o mesmo espaço que Artoria. Mais tarde, ela dá a Ritsuka uma prancha de madeira que ela fez, alegando que elas pareciam inveja dela. Acreditando que o surf no rio era mais adequado para iniciantes, ela os trouxe e Mash, para quem também fez uma prancha. Ela confessa que gosta de surfar, porque ir contra o fluxo das ondas combina com seu caráter traiçoeiro. Ela compara a diversão de lidar com as ondas a um cavaleiro andando a cavalo ou cortejando uma mulher, pois quanto maior o desafio, maior o valor conquistado. No entanto, o grupo percebe miasma fluindo rio abaixo, então eles vão rio acima para encontrar os javalis demoníacos responsáveis. Depois de matá-los, o grupo volta para deixar Scáthach e os outros removerem o veneno. Mordred nega que tenha gostado de Ritsuka assistindo-a surfar.
Mais tarde, o grupo decide construir uma torre com vista para a ilha. Mordred esboça rapidamente seu projeto para a torre. Se sua torre é construída, ela elogia por ter a aptidão de ser um rei e uma artista. Ela comenta que o design quebrado da torre simboliza o espírito rebelde da humanidade. Em seguida, o grupo decide expandir sua cabine; Mordred sugere construir uma fortaleza voadora. Se a fortaleza voadora for construída, ela demonstra seus sistemas de segurança, nos quais Cú Chulainn, Sasaki Kojiro e Karna são pegos. Ela então confessa que seu foco na defesa absoluta é porque ela precisa proteger Ritsuka a todo custo. Ela então sugere ir à praia quando Mash aponta que a fortaleza está quente demais para morar. Mais tarde, o grupo se prepara para construir uma estátua quando chegarem aos preparativos finais para o navio de fuga. No entanto, enquanto eles se preparam para construí-lo, um javali gigante aparece. Depois de forçar a retirada, o grupo continua construindo seu navio e estátua. Se uma estátua de Mordred é feita, ela parabeniza por completar o desenvolvimento da ilha fazendo uma estátua dela.
No dia seguinte, a construção do navio de fuga está completa quando o gigante demônio javali. O grupo então luta para proteger os leitões-javali. Porém, sua estância é tremenda, e cobra da nave que a destrua. No entanto, os leitões formam uma parede para protegê-lo quando se machucam. Depois de derrotar o javali gigante, o grupo e os homens embarcam no navio. Mordred está um pouco preocupado que demore muito tempo para que eles possam entrar em contato com a Caldéia, enquanto zarpam.
Chaldea Heat Odyssey ~ Civilização em evolução ~
Enquanto o grupo continua a navegar, Mordred é atacado por Scáthach por chamá-la de velha. Eventualmente, o grupo chega a terra para encontrar um terreno baldio desolado. Mordred diz que encontra comida depois que Artoria menciona que seus espíritos morrerão primeiro ou Ritsuka morrerá de desnutrição. O grupo então ouve um grito de socorro, e eles ficam surpresos que isso esteja vindo de um leitão de javali. Eles matam o Servo das Sombras atrás dele, que se revela um javali demoníaco disfarçado. O leitão de javali chama as deusas do grupo e pede que salvem este mundo.
O grupo é liderado pelo leitão às ruínas de uma cidade. Eles encontram o chefe de leitão de javali que os agradece por salvar seu neto depois de ouvir suas circunstâncias. Eles ficam chocados quando descobrem que os edifícios eram de uma civilização avançada construída pelos leitões de javali. Infelizmente, isso chegou ao fim com a chegada dos javalis demoníacos e dos Servos Sombrios, cinquenta anos atrás. O grupo então aprende com o chefe de uma lenda em seu clã cerca de nove deusas chamadas Nove Irmãs, que deram civilização aos leitões de javali. Dizia-se que as deusas assumiam a forma humana, então o neto do chefe assumiu que o grupo era elas. O grupo decide reconstruir a ilha em troca da ajuda do pigelt de javali. Mordred alerta os leitões que Artoria pode comê-los depois que este se perguntou se os leitões que o Tamamo deveriam comer.
Mais tarde, o grupo começa a reconstruir a civilização do leitão de javali. Mordred se junta à equipe de busca de Scáthach no litoral para a chance de surfar. Depois de destruir alguns autômatos, a equipe de busca encontra um javali gigante protegendo uma árvore. Depois de matar o javali demoníaco, o grupo chega à costa, onde encontra os restos quebrados da estátua que construiu antes. Scáthach revela que eles coincidiram navegando de volta para a mesma ilha, sem saber que 2.000 anos se passaram a um ritmo incrível. Ela ainda revela que o tempo não progride normalmente na ilha, o que significa que uma hora seria diferente lá fora. Ela continua que era uma terra relativamente pacífica onde os leitões dos javalis viveram até a Caldéia chegar. O grupo então volta para os outros e conta o que descobriram. Eles também percebem que são as deusas adoradas pelos leitões de javali. O grupo decide não deixar a ilha de navio novamente, pois Scáthach aponta outros mil anos para a ilha e os leitões de javali podem ser extintos. Eles então decidem que precisam descobrir por que o espaço-tempo da ilha está distorcido, à medida que continuam a reconstruir a ilha e fazer contato com a Caldéia. Eles também se encontram com Cú Chulainn, que recentemente voltou de ser jogado ao mar do navio do grupo. Mais tarde, eles descobrem que Beowulf está na ilha, mas como um inimigo. Mordred o chama de bandido, decepcionado por ela não estar lá para encontrá-lo.
Mais tarde, Mordred se junta a Ritsuka, Mash, Scáthach e Artoria em busca da caverna onde dorme Caster, que deu eletricidade aos leitões há 2000 anos. Perto da caverna, o grupo luta contra os javalis demoníacos que a cercam. Dentro da caverna, eles encontram ainda mais javalis demoníacos. Mordred está irritado com a boa natureza inerente de Mash, mas Artoria defende Mash. Ela é insultada quando é comparada a um coquetel barato. Enquanto Artoria e Scáthach discutem sobre o equilíbrio de ordem e caos, Mordred insiste continuamente que ela não fez nada de errado. Ela também culpa o pensamento rígido de Artoria por que Lancelot enlouqueceu. Depois de matar os javalis demoníacos que antes passavam despercebidos, ela continua a insistir que não fez nada de errado depois que Artoria e Scáthach se desculparam. No entanto, ela admite que fez tudo errado quando Ritsuka concorda que não fez nada errado e pede desculpas. Artoria ordena que ela faça 100.000 flexões como quando retornam como punição, o que aparentemente é 900.000 menos que o normal. O grupo então encontra um Servo desconhecido e luta com ele e seus robôs. Depois de derrotá-lo, ele revela ser Thomas Edison, que acabou de acordar de sono criogênico. Mordred acha que Artoria está em guarda diante de um rei rei, sem saber que ela está realmente apaixonada pelo rosto de leão de Edison. O grupo segue Edison do lado de fora quando descobre que a civilização dos leitões que ele ajudou a criar está em ruínas. Mordred está chocado com a ameaça de Edison de enviar os javalis demoníacos para a fábrica de empacotamento de carne. Ela esperava que Artoria confirmasse pessoalmente a identidade de Edison.
Mais tarde, o grupo procura a caverna dos javalis demoníacos, supondo que eles tenham o Graal. Depois de algumas brigas, eles dirigem a caverna. Eles o acham guardado pela massa de javalis demoníacos, então Mordred sugere que ela atravesse a linha de frente dos javalis para permitir que Ritsuka, Scáthach e Edidon entrem na caverna enquanto os outros lutam. Ela então intenciona o plano desencadeando seu Noble Phantasm na linha de frente dos javalis. Depois que a fonte dos infortúnios do leitão, Twrch Trwyth, é derrotada, o grupo se prepara para escapar da ilha através do dispositivo de Edison. Mordred descobre com Sasaki que ele e Karna estavam hospedados em Beowulf. O grupo então foge da ilha quando é contatado por Romani, que revela que eles só saíram por uma hora, e retornam à Caldéia.
SIN: Terra do Conhecimento Unificado
Mordred é convocado com Spartacus e Jing Ke quando outro contêiner é lançado de Xianyang. Ela concorda com Spartacus que eles precisam lutar juntos, observando como Artoria ajudou Caldéia várias vezes antes. Ela não sabe quem é Qin Shi Huang e pensa que é o menor imperador romano. O grupo então força Hinako Akuta e o príncipe de Lanling a recuar quando emergem do container. [34] Mais tarde eles matam Jotun do Cinturão Nórdico Perdido. Mordred notou que alguns fugiram, suspeitando que eles tenham um ninho em algum lugar. Ela sugere encontrá-lo e destruí-lo, uma vez que a vila é totalmente indefesa. Ela fica atrás de Nezha e Leonardo da Vinci, enquanto os outros vão encontrar o ninho de Jotun e investigar o Cinturão Perdido. Ela brinca sobre ela e Nezha encontrando e matando Hinako. Depois que os outros retornam, ela diz a Goldolf Musik para não se importar com o comportamento de Spartacus em relação aos moradores. Quando outro contêiner é lançado de Xianyang, ela o destrói com Clarent Blood Arthur. No entanto, Xiang Yu emerge de seus remanescentes e ataca o grupo. Ele sai com Langling quando o último vem buscá-lo. Mais tarde, Mordred pondera sobre sua força, notando que estava constantemente alerta para evitar lacunas em suas defesas. Ela não acredita que ele ajudaria o Qin depois de ouvir que ele se rebelou contra eles na História adequada. Da Vinci então relata que um exército está se aproximando de veículo, então o grupo vai interceptá-lo. Eles lutam contra Lanling e Xiang Yu quando Qin Liangyu e seu exército chegam, ordenando que ambos os lados se retirem. Qin Shi Duang então fala com eles através das vibrações do escudo de Mash depois de disparar um feixe magnético de foco nele. Ele concorda em entregar Tamamo Vitch se eles concordarem em deixá-lo examinar a Fronteira das Sombras, então o grupo concorda de forma relutante. Depois que ele examina a fronteira das sombras, o grupo percebe que a construção em Xianyang é sua verdadeira forma.
Mais tarde naquela noite, Mordred conversa com Spartacus depois de perceber que ele não é o seu habitual. Ela lembra que o Lostbelt é um mundo onde a guerra foi eliminada. Ela então fica confusa quando ele pergunta se eles têm o direito de estar aqui. Mais tarde, Da Vinci e Sherlock Holmes tentam convencê-la, Spartacus e Jing Ke a continuar sua trégua com Qin até que Hinako seja derrotada. Ela aceita o plano, pois era algo que costumava discutir com Agravain. Ela diz a Spartacus para suportar quando ele discorda do plano. Mais tarde, o grupo notou que Spartacus levou vários moradores para marchar em direção à capital. Mordred desaconselha o uso de um Feitiço de Comando contra ele, pois, embora o prenda, não conquistará sua obediência. Ela então pede a Ritsuka para deixá-la convencer Spartacus a parar. Ela explica que fará isso derrotando-o na submissão. Depois que Jing Ke decide se juntar, Mordred diz a Nezha para guardar a fronteira das sombras. Ela, Ritsuka, Mash e Jing Ke logo alcançam Spartacus e os moradores. Eles lutam com ele quando Nezha chega para relatar que Qin Liangyu roubou a fronteira das sombras. Sherlock deu a Nezha o Spirtiual Foundation Graph, e teve sua fuga. Qin Shi Huang ordena a Xiang Yu que mate o grupo depois de saber que eles ensinaram poesia aos aldeões, porque ele prefere que eles sejam pacificamente ignorantes. A luta de grupo contra ele quando Hinako e Lanling chegam. Os dois grupos lutam um pouco quando Qin Shi Huang repentinamente faz Hinako, Lanling e Xiang Yu recuarem. Ele lançou uma carga útil da Grande Muralha em direção à localização atual do grupo, e ela chegará em três minutos. Mordred pega Spartacus depois que o detém com um Cronista sobrecarregado. Ela fica irritada por ele chamá-la de homem, mas se recusa a bater nele em sua condição atual. Depois que ele desaparece, o Spirtual Foundation Graph reage à linha ley conectando-se ao Trono dos Heróis.
Jing Ke sugere que eles se separem nos três grupos; um para perseguir a fronteira das sombras e dois para levar os aldeões para algum lugar não observável para Qin Shi Huang. Ela designa Mordred e Nezha para escoltar os moradores, enquanto ela vai com Ritsuka e Mash para perseguir a fronteira das sombras. Depois que Mordred e Nezha terminam, eles se escondem e esperam perto de Xianyang até que todos estejam juntos antes de atacar a capital. Mordred diz que o plano está cheio de buracos, mas observa que é mais flexível por causa disso. Ela diz aos moradores que não é culpa deles que eles precisam sair, pois é assim que a guerra é para os civis. Ela concorda com o garoto, que se uniu a Spartacus, que agora experimentam a liberdade, algo que ela diz que vale a pena morrer. Mordred e Nezha então escondem os aldeões em uma caverna com provisões.
Os dois mais tarde redevos com os outros estavam indo para Xianyang, junto com Chen Gong, Red Hare e Vitch. Ela permite que Vitch ajude, pelo menos até que o último trai. Eles logo chegam à capital e matam Qin Liangyu. Enquanto viajam pela área residencial, Mordred fica preocupado com o Palácio de Epang caindo sobre eles. O grupo entra no departamento tecnológico do palácio para encontrar a fronteira das sombras lá. Eles lutam contra os soldados de Han Xin, seus comandos os fortalecendo. O capitão da guarda, Li Shuwen, chega para ajudar Han Xin. Depois de alcançar a vitória, o grupo leva a Borda das Sombras para a Árvore Fusang. Eles chegam ao tesouro quando são confrontados por Xiang Yu e Hinako, que anteriormente revelaram sua verdadeira identidade como Yu Miaoyi. A Árvore Fusang é revelada como o Mayall da Árvore da Fantasia. Depois que Xiang Yu e Yu Miaoyi são derrotados, Mordred se vangloria de como ela vai vencer as previsões de Xiang Yu toda vez. Vitch então ativa Mayall, revela que estava dentro da Árvore Fusang. Vitch então se teleporta para longe, e o Palácio de Epang cai. Qin Shi Huang aparece das ruínas agora em forma humanóide e luta contra o grupo para ver cujo mundo continuará. Depois que ele é derrotado, Mordred diz que ela ajudará idiotas como Ritsuka sempre. Qin Shi Huang confia o futuro à Caldéia, mas Xiang Yu rejeita sua decisão. Apesar de suas feridas, ele luta contra o grupo. Lamentando loucamente sua morte, Yu Miaoyi permite que Mayall a absorva. Mayall desperta completamente, e Qin Shi Huang ajuda a destruí-lo. Depois que Yu Miaoyi, Cheng Gong e Red Hare desaparecem, Mordred decide ficar com os outros até que eles deixem o Cinturão Perdido.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.07.31 16:46 RathalosSlayer97 Qual foi a maior ave rara que já conheceram nas vossas vidas?

Ora boa tarde, gente linda! Uma vez que vossas excelências pareceram apreciar a minha outra crónica da vida e que vos consegui inspirar a escrever as vossas (e tornar este sub um pouco menos limpo...) decidi regressar com mais uma. Podem descansar, esta não será tão hostil para com os vossos estômagos.
Da última vez, falei sobre pessoas com bom coração mas também com um sentido de higiene tão atroz que fazem com que o Cascão pareça o mais leal discípulo da Dona Pureza. Mas hoje vou falar sobre experiências com pessoas "curiosas". Pessoas que são, digamos, um bocado para o "esquisitas". Pessoas que não dão uma para a caixa. Pessoas que praticamente podiam ter a sua própria faixa de riso a segui-las no seu dia-a-dia.
Na minha vida já vi e conheci muitas assim. Entre os maiores êxitos estão um velho que não sabia atar os seus sapatos demasiado largos e começou a berrar Ó MARIA! Ó MARIAZINHA! no meio da Primark onde eu estava e um gorducho (mais oleoso do que a comida que tinha no tabuleiro) sentado na mesa cinzenta de um fórum, que exigia que a sua família se despachasse a comer porque já eram duas da tarde. Depois, e talvez para garantir que a sua legião de filhos e a sua mulher com cabelos que pareciam ter saído dos anos 60 percebiam bem a gravidade da situação, o mesmo gorducho pôs-se a repetir essa hora tão grave várias vezes enquanto batia com o fura-bolos no pulso direito.
Claro que já tinha visto outras pessoas a fazerem o mesmo nos seus relógios, mas a diferença alarmante neste caso era que aquele espécime não tinha nenhum relógio no pulso que agredia. Se calhar tinha-o perdido e estava a atravessar a fase de negação do seu luto. Ou se calhar já o tinha comido e agora arrependia-se de tal ação. Mas se realmente foi isso que aconteceu, não o posso culpar. Afinal, acho que todos sabemos bem como funcionam os almoços em fóruns. Custa um pouco esperar por uma mesa quando já se tem a barriga a refilar e um tabuleiro recheado nas mãos.
Também tive alguns colegas na escola que podem encaixar nesta lista. Mas não posso falar muito de um deles, pois acontece que as suas aventuras enquadram-se mais nos meus desabafos sobre malta porca e eu já prometi que desta vez não ia enjoar ninguém. Tudo o que direi sobre esse moço é que ele se parecia imenso com o Shaggy se este último tivesse um metabolismo mais sossegado e sofresse mais as consequências da sua alimentação. Até a barba era parecida. E que ele ficou famoso na escola após ter aproveitado a sua constipação para se tornar num autêntico chef, cuja obra-prima foi uma sopa de escarro e ranho no lavatório da sala onde tínhamos as aulas de trabalhos manuais.
Tive também algumas experiências interessantes a partir do décimo ano, onde me inscrevi num curso profissional. Em teoria, nós éramos engenheiros promissores. Mas na prática éramos apenas trolhas que eram pagos em avaliações. Se contasse tudo o que vi acontecer nesta escola isto iria tornar-se muito comprido, por isso apenas irei mencionar a ocasião em que um dos meus colegas ia caindo de cabeça para dentro de um balde de tinta, a vez em que um outro (que era basicamente uma versão lusitana de um good ol' boy) ligou para as "meninas" dos classificados a meio de uma das aulas na obra, e as várias vezes em que a nossa sala teve que ser evacuada porque o alarme de incêndio disparava toda a santa vez que os tipos do curso de cozinha tinham aulas práticas.
E por falar em fogo, já ouvi dizer que a casa velha e abandonada onde a nossa turma trabalhou ardeu depois da turma do curso de eletricistas ter ido para lá tratar dos cabos.
Mas nenhuma destas prendas se compara aos grandes vencedores deste álbum de magníficos artistas.
Um conhecido da minha avó que esteve com ela por uns tempos. É bom homem, mas vomita tantas pérolas que é praticamente um dispensador da PEZ com bigode. Mas acreditem quando digo que só se estragou uma casa, porque a minha avó não é exatamente melhor. Uma vez fui ao Aki com ela e os meus pais para comprar papel de parede, mas aconteceu uma grande calamidade que nos fez abandonar a loja sem o cobiçado objeto e em busca de um outro tipo de papel mais vulgar.
Acontecia que o almoço nesse dia tinha sido massa de marisco, e deixem-me admitir, nunca pensei que hidratos de carbono e vida marinha me pudessem ensinar tanto. Mas nessa tarde aprendi uma grande lição: não se deve dar esta comida a pessoas que não conseguem domar as vontades primitivas dos seus intestinos.
Não demorou muito até as nossas narinas serem assoladas por um horrível e apodrecido aroma. Era como cheirar o hálito de uma fossa séptica depois desta acordar de uma noite louca. Aliás, à primeira até foram as fossas do estabelecimento que levaram com as culpas ("Devem de estar a arranjá-las..."). Mas depois reparámos que o cheiro nos estava a seguir e não assombrava mais nenhum corredor. O meu pai acusou então a minha avó de ser a bruxa que envocava e liderava aquela funesta procissão de cadáveres invisíveis e ela confessou, em voz alta.
Nem deve ser preciso dizer que ainda hoje evito ir ao Aki.
E numa outra ocasião (porque apesar daquele acontecimento desconcertante por entre os produtos de bricolagem, somos masoquistas e ignorámos os avisos cósmicos que nos alertavam para não andar com aqueles fantoches em público) fomos com eles para um simpático Jumbo, onde o dito companheiro da minha avó afirmou que ia já tratar das coisas mais importantes e que não podiam faltar lá em casa.
E então, aquele homem-matraquilho, que não pode ter mais de um metro e meio, saíu disparado pelo solo do mercado como um touro enraivecido e sem misericórdia. O seu Santo Graal empacotado estava já muito perto e ele não iria deixar ninguém meter-se no seu caminho. No meio da sua correria desenfreada lembrou-nos que ainda tinha também que ir buscar umas baláchas e espágéti ("bolachas" e "esparguete" para os que não são fluentes em matraquilhês). Nesse momento desejei ardentemente que ele tivesse ido connosco ao Aki, porque se tivesse sido assim, já sabia que devia fazer tudo menos entupir a velhota com mais massa.
Por vezes chego a pensar que irritei sem querer algum feiticeiro e agora tenho que suportar esta maldição de levar com tantas bizarras jornadas e encontros.
E é isto, meus caros amigos e amigas. E vocês? Já conheceram pessoal mais do que um pouco excêntricos ou curiosos?
submitted by RathalosSlayer97 to portugal [link] [comments]


2020.07.27 18:30 TripleByeByeBird Confesso que sinto nojo de mulheres grávidas

É isso aí, sinto um nojo absurdo de mulheres grávidas e de recém nascidos.
Eu fico chocada quando as pessoas pedem pra passar a mão naquela barriga monstruosa com um ou mais fetos dentro.
E quando elogiam e pedem pra tocar então? Que horror... Não consigo imaginar que um elogio direcionado a estas bombas relógio possa ser sincero...
Uma vez tive que tocar numa barriga de grávida pois ela pediu e eu fiquei sem jeito de recusar, mas nossa... Eu fiquei a ponto de por tudo pra fora, que sensação de nojo terrível!!!!
Ainda bem que as mães são superprotetoras com os recém nascidos, deus me livre ter que tocar naquelas coisinhas pequenas monstruosas também.
Só queria desabafar sobre esse sentimento de repugnância estética. Nada contra as grávidas e bebês, só prefiro manter uma distância segura.
submitted by TripleByeByeBird to Confessionario [link] [comments]


2020.07.25 21:13 coxinhahyuuga O PASTOR DISSE QUE EU TINHA DEMONIO SÓ POR QUE EU ASSISTIA ANIME

Olá Luba, gatas, turma, possivel convidado, entre outros.(sou uma garota pra você não fazer a voz errada)
Hoje eu vou contar a história do pior pastor da face da Terra. Eu tinha 8 anos e todo Domingo ia para a igreja evangélica que tinha perto da minha casa, e bom, eu e meu pai gostavamos (e ainda gostamos) muito de animes, Dragon Ball, Naruto, Sailor Moon. E um certo dia eu fui com uma camiseta do Vegeta para a missa (pior erro meu), pra mim, a camiseta não era nada de mais, mas foi o suficiente pro pastor falar que havia um demonio dentro de mim Meu pai disse que era apenas um anime, mas ele cismou que eu teria que ter um contato diretamente com Deus, e que já havia visto casos assim. Eu e meu pai fomos em bora e voltamos na outra semana para falar com o pastor.
ELE SIMPLESMENTE DISSE QUE IRIA NA MINHA CASA E BOTARIA FOGO EM TUDO QUE ERA DE ANIME DA MINHA CASA. Meu pai disse que ele nao iria fazer isso, pois era invasão de privacidade e havia muitos bonecos originais e caros lá dentro, O pastor disse que não se importava com bens materiais. Eu disse então pra ele botar fogo no relógio de ouro que ele estava usando. Depois que eu falei isso, a história só piora
Ele disse com essas palavras: ''QUEM VOCÊ PENSA QUE É PARA FALAR ASSIM COM UMA FIGURA DE DEUS? VOCÊ TEM UM DEMÔNIO DENTRO DE VOCÊ''! E ainda disse que eu estava com ''sintomas'' de demônio.
Depois daquele dia eu e meu pai e nem minha mãe voltamos para essa igreja. Semana passada descobri que ele foi preso por invadir a casa de uma senhora e fazer coisas que não vou citar com a neta de 12 anos. Descobri também que ele nunca foi pastor, e usava qualquer coisa que as pessoas tinham de diferente como ''um demônio'' para ir para a casa das pessoas izendo que iria queimar, mas ele roubava. Também ja disse pra uma mulher que tinha vitiligo que a parte mais escura da pele dela era o capeta possuindo ele. A noticia só não se espalhou porque moro no interior do Paraná.
Hoje em dia sou Wicca, beijos no joelho de todos =30
submitted by coxinhahyuuga to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.17 04:55 thedarkone900 Leia as regras antes de comprar ESSA CASA!!! - [CREEPYPASTA] feita por mim mesmo.

Era uma manhã de terça quando resolvi me mudar, meu apartamento pequeno e apertado agora seria uma casa grande e confortável, ou pelo menos era para ser. Estava procurando desesperadamente por uma casa, mas nenhum dos sites que via era bom, por terem casas realmente muito caras, tipo, só para pessoas ricas mesmo, a mais barata era 90.000 dólares, e nem se ganhasse na loteria iria ter todo esse dinheiro. Foi vasculhando pela internet que me apareceu um site bem chamativo, no post dizia: "compra de casas e apartamentos baratos". Sem pensar duas vezes, cliquei no site. Quando cliquei, apareceu a tela do site, e logo vi as palavras grandes e negras escritas "Armazém de casas", e logo abaixo tinha escrito o seguinte: "Bem vindo ao Armazém de casas, aqui, você poderá comprar a casa dos seus sonhos, ou simplesmente uma pra se sentir mais confortável, fique à vontade para escolher a casa de sua preferencia." Os preços das casas eram realmente ótimos, e uma casa era mais bonita do que a outra, foi aí que vi uma que logo me apaixonei, era uma casa bem grande, com 3 quartos com suíte, a casa era realmente linda, por dentro e por fora, quando cliquei nela para ver mais detalhes, vi que o preço era bem acessível, apenas 8.000 doláres e ela era minha, comprei sem mais nem menos, mas antes que pudesse comprar, vi que tinha algumas informações abaixo, e resolvi lê-las, estava escrito em negrito "LEIA AS REGRAS ANTES DE COMPRAR ESSA CASA", aquilo me chamou a atenção, então resolvi ler as regras:
" LEIA AS REGRAS ANTES DE COMPRAR ESSA CASA
Se essa realmente é sua opção de casa, então aqui vai uma lista de regras que precisam ser seguidas a risca, é de extrema importância que você leia essas regras antes de prosseguir:
• Regra N°1: Essa casa era do meu falecido avô, ele gostava muito de ficar sentado numa cadeira do lado de fora da casa, a cadeira ainda está lá, e de vez em quando, você poderá ver meu avô falecido sentado naquela cadeira, caso isso aconteça, tranque a casa por dentro, para que ele não possa entrar.
• Regra N°2: Se você ouvir barulhos de uma janela rangendo vindo de seu quarto durante a noite, tranque-a imediatamente e ponha uma vela acesa ao lado dela, vai por mim, você não vai querer deixar a janela aberta.
• Regra N°3: Se da 00:00 até as 2:00h da manhã você ouvir barulhos vindos do porão, IGNORE, tente não demonstrar nenhuma reação, ele se alimenta do medo.
• Regra N°4: O sótão da casa deve permanecer trancado durante a noite, caso ouça gritos de ajuda vindos de lá, apenas ignore e volte a dormir, logo eles irão parar, mas não estranhe se no dia seguinte você receber uma notícia de que um de seus parentes sumiu.
• Regra N°5: Às 00:00 o telefone da casa irá tocar, NÃO ATENDA, apenas deixe-o tocar.
• Regra N°6: Se você vir um cachorro cinza com manchas pretas vagando do lado de fora da casa, tranque todas as portas imediatamente, o cachorro que você viu, já faleceu há mais de 15 anos.
• Regra N°7: Caso ouça barulhos de passos vindos do porão, juntamente com um odor horrível, tranque-o imediatamente, os corpos que residem lá dentro, costumam voltar a vida de vez em quando.
• Regra N°8: Se você vir uma caminhonete vermelha parada em frente à casa, Tranque a casa IMEDIATAMENTE, aquela caminhonete, era do meu pai, que morreu em um acidente, e a caminhonete foi totalmente destruída por causa dele.
• Regra N°9: As vezes você poderá ouvir uma linda voz feminina cantando em um quarto da casa, não se iluda, essa voz era da minha mãe, que cometeu suicídio há 5 anos, portanto, a ignore, mesmo se ela chamar por seu nome.
• Regra N°10: E por fim, os outros dois quartos com suítes estão trancados por ordem da agência sanitária, o horrível odor vindo de lá fez que a agência sanitária interditasse os quartos, se uma das portas estiver aberta, NÃO ENTRE, caso contrário, o seu corpo ficará apodrecendo junto com os outros corpos que lá residem há mais de 20 anos.
Enfim, espero que siga essas regras a risca, você não vai querer saber o que aconteceu com aqueles que as descumpriram."
 Quando terminei de ler aquelas regras, as ignorei por achar que era apenas Marketing para fazer as pessoas comprarem a casa, ignorei as regras e a comprei. Quando o vendedor me mandou menságem me dizendo para encontrar ele lá, fiz minhas malas e fui para seu encontro. Quando cheguei lá, ele me perguntou se eu tinha lido as regras, eu disse que sim com um sorriso meio debochado no rosto, ainda acreditando que tudo aquilo era mentira. Ele me entregou as chaves da casa e foi embora sem dizer uma única palavra, entrei na casa, e logo me deparei com uma bela sala de estar, um tapete vermelho lindo, um lustre belíssimo pendurado no teto, desfiz minhas malas e organizei tudo dentro da casa. Quando estava indo dormir, fechei a porta do meu quarto e a tranquei, também tranquei as janelas e fui dormir, fui acordado no meio da noite pelo telefone que estava tocando na sala de estar, olhei meu relógio para ver as horas, e vi que era 00:00 em ponto, Foi aí que lembrei das regras, então apenas o ignorei e voltei a dormir, mas as coisas só pioraram mesmo depois de duas semanas na casa, quando ouvi uma mulher em um dos quartos, chamar por meu nome. 
submitted by thedarkone900 to u/thedarkone900 [link] [comments]


2020.07.16 16:29 fobygrassman ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA

ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA
Esposas infiéis são mais duradouras, limpas e autênticas do que garotas de programa
Esqueça garotas de programa transando nunca foi tão fácil! De uma dona de casa traidora real.
As mulheres casadas NÃO estão procurando relacionamentos, elas já estão nelas, estão procurando parceiros discretos e divertidos para reacender e explorar sua sexualidade.
As garotas de programa estão sempre procurando extrair mais dinheiro de você. Você nunca sabe com quem eles acabaram de fazer sexo e isso torna impossível também fazer sexo apaixonado com eles.
Quantas vezes você ficou com tesão e decidiu pedir uma garota de programa? Então, depois de ter um encontro decepcionante, lamento totalmente gastar tanto em ganhar pouco!
Sempre que você liga para uma garota de programa, está jogando. Jogando com sua saúde e com sua experiência.
Ela será parecida com as fotos dela?
A mesma garota das fotos vai aparecer?
Ela será anti-higiênica?
Ela será hostil?
Ela vai tratá-lo com um mau atendimento ao cliente?
Eu sei o que você está pensando,Eu sei o que você está pensando,
MAS AS MENINAS DE CHAMADA SÃO MUITO MAIS SIMPLES!
Não é verdade!
Sim, uma garota de programa fica a apenas uma ligação, mas toda vez que você a vê, paga. Você paga com dinheiro suado. Pense em quanto tempo você precisa trabalhar para pagar por uma garota de programa.
10 horas?
20 horas?
Portanto, nenhuma garota de programa não está a um telefonema de distância, elas têm +10 horas de trabalho E uma ligação de distância.
Além disso, as garotas de programa não se importam com você ou precisam de você.
Depois de conhecer uma esposa realmente insatisfeita e dar a ela a atenção que lhe falta, você experimentará a diferença entre uma garota de programa e uma mulher de verdade.
Esposas insatisfeitas são gratas por encontrar um homem que possa agradá-las!
As esposas infiéis têm todos os benefícios e nenhum dos problemas das garotas de programa:
Conhecer as preferências sexuais do seu parceiro = melhores experiências sexuais
O envio de mensagens maliciosas acelera sua semana de trabalho;)
Verdadeira paixão e emoção de ambos os parceiros!
Limpo, Seguro e Legal.
Não constantemente tentando manipular você.
A verdade é que as mulheres ficam excitadas quando estão se escondendo e tendo encontros secretos. Esposas insatisfeitas querem ser suas garotas de programa pessoais, mas elas precisam de um pouco de incentivo e você precisa incentivá-las de uma maneira elegante e elegante.
Você não pode tratar mal as esposas infiéis da maneira que pode com uma garota de programa, mas elas também não o tratam mal como uma garota de programa. Eles não vão contar o relógio quando estão com você.
Se você acha que encontrar uma mulher casada sozinha é ainda mais difícil, pense novamente.
Você não pode ser um idiota e acha que atrairá uma mulher casada para ser sua garota de programa pessoal.
De fato, existem dicas e truques para encontrar um o mais facilmente possível aqui >>
Siga estas etapas simples e você encontrará uma esposa insatisfeita e fará dela sua garota de programa pessoal em menos de uma semana.
VOCÊ PRECISA SE INSCREVER NO ASHLEY MADISON SE QUER ENCONTRAR MULHERES INFELIDAS
E lembre-se de que você pode repetir essas etapas e encontrar uma nova esposa traidora sempre que quiser!
  1. Tire uma boa foto de si mesmo. Não precisa incluir seu rosto, pode ser discreto. Muitos perfis em ashley madison não têm fotos de rosto públicas (geralmente em sua galeria de fotos particular). Esta imagem pode ser do seu corpo ou você de fato bem ajustado (sem o rosto).
  2. Escolha um nome de usuário atraente! Esta é a primeira coisa que as mulheres veem depois da sua foto. Escolha algo descritivo ou divertido.
  3. Destaque sua necessidade de discrição. Isso aliviará as preocupações das mulheres sobre sua própria discrição.
  4. Crie uma mensagem de introdução bem pensada que você possa enviar para muitas mulheres.
  5. Torne sua galeria privada irresistível. É aqui que você inclui suas melhores fotos.
  6. Configure uma data discreta!
Traindo esposas vs garotas de programa Todos nós procuramos garotas de programa no google. Mas existe uma enorme lacuna entre ponderar e pesquisar na web a sua garota de programa mais próxima. Existem vários, mas eles são extremamente estigmatizados - por razões óbvias. Garotas de programa não são para todos, mas o sexo certamente é. Por isso, seria melhor encontrar uma alternativa para garotas de programa. Criamos um substituto para as garotas de programa, para aquelas que estão interessadas em saber como a alternativa funciona. Espero que minha experiência e discernimento possam lhe dar uma ou duas coisas para questionar, e talvez até abrir você para garotas dispostas a dormir com você gratuitamente! Por que você deve procurar alternativas para escoltar serviços? Se você ouvir alguém se gabar de uma escolta, precisará sentar esse homem e ter um momento de clareza. Mas deixe esse argumento de lado, posso escrever um romance inteiro para você. Deixe-me começar com algumas dicas. As acompanhantes são desassociadas Não é incomum pagar por sexo, mas é ilegal na maioria dos países e ajuda uma indústria bastante cruel a tirar vantagem de membros da sociedade desprovidos de frustração. Acompanhantes NÃO GOSTAM DE VOCÊ Este é o meu argumento número um por não dormir com acompanhantes. Eles não teriam dormido com você se você não pagasse. Eles não gostam necessariamente do sexo ou querem vê-lo ligado. Geralmente é por isso que gosto de sexo - porque me excita vê-la gostosa e gostosa quando ela olha para mim. Acompanhantes não são higiênicos Os acompanhantes dormiram com toneladas de homens. Pense em quantos homens a garota de programa que você está vendo dormiu naquele DIA! Se você vir uma garota de programa ou uma acompanhante às 20h, provavelmente já dormiu com pelo menos dois homens antes daquele dia. Imagens falsas As acompanhantes raramente aparecem em suas fotos. Você tem sorte se a mesma mulher aparecer. Você pode dizer que isso também pode acontecer em um site de namoro ou em uma sala de bate-papo para adultos, mas eu diria que a probabilidade de ser "pescada" por uma mulher em um site de namoro é menor do que por uma garota de programa. A maioria das acompanhantes encontra-se com suas imagens. Com segurança Eles afirmam ser seguros e testados todos os dias, mas você nunca pode ter certeza. Isso significa que qualquer homem que não seja estúpido usará camisinha 100% das vezes que dorme com uma garota de programa ... e todos sabemos que preservativos não são divertidos.
submitted by fobygrassman to garotas_de_programa [link] [comments]


2020.06.14 03:41 Rubens322 9 Maneiras de Estimular a Sua Libido de Forma Totalmente Natural

9 Maneiras de Estimular a Sua Libido de Forma Totalmente Natural
caso o seu tempo no colchão, juntamente com o seu parceiro, não seja tudo o que gostaria que fosse, leve o coração à letra.

disfunção sexual masculina!
Ter um encontro com a sua companheira - para se lembrar de todas as razões pelas quais gosta de todas as diferenças e para relaxar ao ser comido e jantado - pode ser uma abordagem excelente para estimular a sua libido, diz Anita Sadaty, MD, uma ginecologista holística em Roslyn, grande maçã.

Essa é uma das muitas abordagens naturais que os especialistas dizem que você pode melhorar o seu estilo de vida sexual.

associado: remédio sexual: O que mulheres e homens devem entender

Os motivos médicos podem estar na origem de problemas sexuais ou de desinteresse
De direcção, pode haver um motivo científico para que o seu estilo de vida sexual esteja a marcar passo. Diabetes, problemas de tiróide, a maioria dos cancros e problemas cardíacos podem diminuir a preferência sexual. Problemas nervosos, endometriose ou outros problemas podem fazer com que as relações sexuais sejam dolorosas para as mulheres. E medicamentos seguros - como alguns para stress sanguíneo, melancolia, tensão, ou mesmo começar a gerir - podem, adicionalmente, inibir a escolha.

relacionados: Desconstruindo a pressão da relação sexual: O que a sua libido diz aproximadamente a sua aptidão

É por isso que é vital fazer um check-up clínico caso esteja a sentir sinais e sintomas que afetem o seu estilo de vida sexual e que a sua situação seja bem tratada. pode ainda perguntar ao seu médico se é viável mudar o seu remédio para algo sem um efeito secundário sexual.

1. Faça da entrada na disposição para o sexo uma prioridade

Ocasionalmente, ter maiores e melhores relações sexuais exige realmente que se limpe o seu horário. "É difícil estar com disposição quando se tem 1.000.000 coisas na lista de afazeres e não há muito tempo para o fazer", diz o Dr. Sadaty.

Programar relações sexuais pode parecer pouco romântico, mas você posicionou o máximo dos seus planos importantes no seu calendário, então por que não sexo? É excelente marcar tempo suficiente para fazer algo relaxante primeiro, em vez de saltar diretamente para a cama, considerando o facto de as raparigas, especialmente, precisarem de se descontrair mais cedo do que a sua libido, diz Sadaty.

2. pinturas sobre os teus pensamentos e palavras A tua mente para uma relação sexual mais elevada

Caso a sua mente esteja a correr um ciclo de comentários sobre os motivos que escolheu pelo caminho - sobre a forma como se deve sentir responsável pelas relações sexuais ou talvez que o seu quadro seja simplesmente demasiado gordo ou feio ou, gentilmente, qualquer coisa - é altura de o antecipar no seu caminho. reconhecer o conceito enquanto ele parece e mudá-lo para um conceito mais útil.

Isto facilita a sua existência sexual porque, como meta-avaliação publicada na revista internacional de psicologia clínica e da saúde encontrada, os seres humanos com atitudes extra abertas sobre o sexo são mais capazes de descobrir a sua sexualidade com a sua culpa. (1)

3. Não negligencie o uso de Lubrificantes para uma melhor relação sexual

o sexo pode ser extra agradável no caso de carregar um lubrificante, que reduz a fricção e a irritação e, consequentemente, a dor, dizem os ginecologistas. pode comprar um lubrificante de boa reputação na farmácia ou utilizar um óleo doméstico como o óleo de coco (certifique-se de utilizar um preservativo sem látex no caso de fazer bricolage devido ao facto de estes óleos poderem danificar o látex).
Não tente cobrir a sua necessidade de um lubrificante do seu cúmplice. Torne-o parte do seu habitual sexual e divirta-se com ele.

4. Passe o seu corpo para melhorar a sua vida sexual.

pode não assumir que o treino que faz para o seu coração e massa muscular é vital para o sexo exacto, no entanto tenha em conta que o sangue flui tanto nos seus genitais como no seu coração coronário.
Os homens com disfunção eréctil (DE), por exemplo, podem de vez em quando reverter este problema com um modo de vida saudável que inclua exercício, de acordo com um exame publicado no Diário do Remédio Sexual. (2) Mesmo nos homens que necessitam de medicação para a DE, os investigadores descobriram que os ajustamentos de um estilo de vida saudável aumentam provavelmente as vantagens.
  1. Dormir o suficiente para o sexo correcto
O sono é outra coisa do estilo de vida que afecta a libido. Um dos motivos é que a secreção hormonal é gerida através do relógio interno do organismo, e os estilos de sono provavelmente ajudam o quadro a decidir enquanto se lançam hormonas positivas associadas à relação sexual.

Tanto para as mulheres como para os homens, sentir-se desgastado quando se entra na cama zaps alguma coisa de libido pode ter tido até momentos de antecedência.

Além disso, para os homens, dormir o suficiente pode aumentar o nível de testosterona (um nível decrescente pode estar associado a disfunção sexual), em linha com uma avaliação publicada dentro dos estudos mentais da revista. (3)

associado: Porque não tens agora relações sexuais extremamente boas, e a forma como podes alternar Isso

6. exercício Mindfulness - e Yoga - para apostas

pode parecer que o sexo é o exercício final da atenção, e mesmo como o orgasmo é bastante (provavelmente ninguém fez a sua lista de mercearias ou deliberou um documento de trabalho nesse segundo), pode distrair-se através de pensamentos aleatórios no tempo que leva até esse orgasmo.

Manter a sua atenção no que está a fazer e a sentir é uma forma poderosa de aumentar o seu prazer. Num exame feito por investigadores canadianos, publicado em Novembro de 2016 nos ficheiros de conduta sexual, as mulheres afectadas por disfunções sexuais relacionadas com tensões aumentaram significativamente a sua capacidade de resposta sexual depois de terem sido educadas em consciência. (quatro)

Da mesma forma, a prática do yoga em quadro mental pode ajudar a sua libido. Enquanto a uma coleção de 40 mulheres foi dito para praticar uma hora de yoga por dia, a sua classificação média num questionário de características sexuais para preferência, excitação, lubrificação, orgasmo, dor mais baixa e prazer geral aumentou, de acordo com a investigação publicada dentro da revista de Remédio Sexual. (cinco) As posturas de yoga que faziam eram posturas primárias que se acreditava que melhoravam o tónus muscular pélvico, lançavam articulações da anca apertadas, e melhoravam o temperamento, observadas com a ajuda de actividades físicas respiratórias e estratégias de relaxamento.

7. Não esquecer as medidas de acupunctura para melhorar as relações sexuais

O histórico exercício de acupunctura em língua chinesa, no qual um praticante localiza estrategicamente agulhas no corpo, também pode embelezar o seu estilo de vida sexual. Equilibrar e relaxar o corpo com acupunctura tem sido usado há muito tempo para melhorar a libido, diz Baljit Khamba, ND, médico naturopata e professor assistente de medicação naturopática na Universidade Bastyr da Califórnia, em San Diego.

Khamba coautor de um estudo publicado dentro da revista de medicamentos alternativos e complementares onde 35 homens e mulheres com disfunção sexual, provavelmente devido aos antidepressivos que têm tomado, foram tratados com 9 sessões de acupunctura. no final, a libido tinha progredido nas mulheres, mesmo quando a erecção, o momento da ejaculação e a capacidade de orgasmo tinham sido mais adequados nos homens. (6)

8. Veja o que alguns Afrodisíacos podem fazer por si

algumas ervas são utilizadas pelas culturas em torno do sector como afrodisíacas. acredita-se que algumas estimulam os nervos nos seus genitais; outras, os graus de crescimento do óxido nítrico, que irá aumentar o fluxo sanguíneo para os genitais, e as substâncias químicas que se sentem mais propícias à sensação na sua mente.

Algumas destas ervas incluem ginseng, Cordyceps, gingko biloba, e muira puama em língua chinesa.

As drogarias e as lojas de produtos alimentares saudáveis comercializam de vez em quando produtos para a saúde sexual que são uma combinação de ervas e suplementos dietéticos, incluindo o aminoácido L-arginina. Um olhar sobre este tipo de mercadoria, ArginMax para mulheres, transformado em publicado na revista de sexo e remédio conjugal. (7) Determinou que mais de dois terços das raparigas que tomam este produto - que incorpora ginseng, ginkgo biloba, damiana, nutrientes, minerais e L-arginina - declararam um crescimento na escolha sexual e no deleite sexual universal.

9. Masturbar ou Auto-estimular para uma melhor relação sexual

Ao usar a experiência em si mesmo, você pode chegar mais alto e perceber o que o satisfaz sexualmente - fatos que você poderia então entregar ao seu parceiro.

relacionados: A verdade aproximadamente oito Mitos de Masturbação e Auto-estimulação

Para as mulheres, a masturbação também pode ter outros benefícios. A secura vaginal e a dor podem ser reduzidas enquanto se passa tempo a estimular-se.

É por isso que os terapeutas sexuais propõem frequentemente a masturbação como uma ferramenta para as mulheres que têm dificuldade em atingir o orgasmo. pode ser necessário adicionar um vibrador para uma estimulação mais adequada.
#saúdesexual #libido
submitted by Rubens322 to u/Rubens322 [link] [comments]


2020.05.27 01:41 Luisectoid Uma história sobre a ascensão do Nazismo e a necessidade de fugir do país

Com as notícias de hoje, bem como o acertado desabafo do u/BOGMANDIAS no tópico https://www.reddit.com/brasil/comments/gqz0t5/hoje_bolsonaro_deu_mais_um_passo_rumo_ao/ e a sagaz percepção do u/HerrHugoStiglitz no tópico https://www.reddit.com/brasil/comments/gqlz4i/bolsonaro_e_nazismo_um_flerte/ venho compartilhar pra vocês uma das histórias mais sinistras (no sentido carioca do termo) que li sobre o assunto.
Norbert Elias, um dos maiores sociólogos do século XX e de todos os tempos, escreveu um livro clássico sobre a cultura alemã e a ascensão do nazismo chamado de "Os Alemães", praticamente uma biografia da Alemanha do século XIX à 2ª Guerra Mundial. Ele era judeu de classe média e escapou fedendo (literalmente fedendo) no início da década de 1930 de ser assassinado pelo nazismo enquanto os pais ficavam para morrer nos campos de concentração.
No livro "Elias por ele mesmo", que é um compilado de entrevistas, ele conta no final como essa situação aconteceu. Foi quando as instituições de manutenção da ordem (monopólio do uso legítimo da violência pelo Estado para quem manja dos paranauê) passaram a ter um lado: o lado dos nazistas.
Haviam grupos armados de esquerda e direita nas ruas em virtude da crise política e econômica que implodiu a república de Weimar após a crise de 1929. Elias percebeu que, sendo judeu, era hora de sair do país quando as forças constituídas começaram a atuar em favor das milícias de direita: reprimiam grupos e políticos de oposição e deixavam livres os paramilitares e milícias de direita.
O entrevistador pergunta se ele não tentou convencer os pais. Ele disse que tentou, mas os mesmos, sem sentir ainda na pele a perseguição direta e tolerando a anos o preconceito difuso e a escalada meramente discursiva contra os judeus, acharam que era só da boca pra fora, um exagero.
Hitler aparelhou o exército e o Estado com os ex-membros do exército alemão da 1ª Guerra Mundial, ressentidos com as humilhações que sofreram após a Alemanha perder a guerra e sofrer as terríveis sanções que, nas palavras proféticas de Woodrow Wilson ,levariam a 2ª Guerra duas décadas depois. Pra eles pegou especialmente as expulsões das forças armadas, cujo número foi restringido pelo tratado de 1919 no fim da Guerra.
No Brasil é muito parecido. Temos os grupos autorizados a usar a violência legítima cada vez mais endossando um lado político, extremamente ressentidos embora devido a processos históricos distintos.
Por parte dos militares, a instauração da comissão da verdade por uma ex-guerrilheira, mulher, sobrevivente da tortura, que ousou criar um aparato institucional para trazer à tona de forma oficial os horrores praticados na Ditadura militar, furando a bolha de "normalidade" que a anistia "exígua, local e restrita" propiciou aos grupos que viabilizaram assassinato, tortura e perseguição de milhares e condenaram milhões à miséria contínua.
Sem contar que com o fim da Ditadura, os militares nacionalistas foram alijados do poder e levados ao ostracismo, ficando as lideranças mais fisiológicas com corruptos interesses de expansão do poder político. Esses que moldaram a atual mentalidade subserviente, antipopular, antidemocrática, pró-EUA e histericamente anti-comunista que grassa em nossas forças armadas. Esse povo está seco para subir ao poder desde 1985.
A ditadura também deixou um legado de merda às nossas polícias. Com o aumento da desigualdade social e o surgimento do cirme organizado (outra merda na conta dos militares), o aumento da repressão, da carta branca à violência extrema e da corrupção acompanhou o aumento da violência necessária a manter em silêncio e sob controle os grupos vistos como dissidentes pelo governo.
Pra piorar, temos ainda o incentivo às milícias por fora das corporações (PM) e aos justiceiros por dentro delas, em especial a PF, cujo interesse maior é aumentar o poder corporativo sobre os outros poderes instituídos em especial os órgãos de controle, agindo com total poder investigativo e até punitivo, incorporando premissas que não cabem à mesma, tomando atribuições do Ministério Público e do Judiciário.
Os principais braços da justiça (mas não do judiciário!), MPF e STF, como instituições historicamentes covardes e corruptas e que se alinham ao poder que lhes concede mais privilégios e menos controle social, cavaram à própria cova: ao darem asas as insinuações autoritárias da Lava Jato, dos militares e da PF, se tornam incapazes de agir contra as mesmas sem colocar em risco os próprios privilégios e o desvelamento de suas conexões com os abusos de autoridade institucional de todo tipo. Estão todos de mãos dadas, sujas com o sangue, nosso sangue, sangue do povo, do contribuinte sem privlégios, que sustenta todas as mamatas em todos os níveis da esfera política e não pode nem sacar uma merda de um trocado de 600 em paz sem sofrimento.
Bola de cristal ninguém tem. Mas assim como criaram o relógio do fim do mundo na Guerra Fria, se tivéssemos um relógico do golpe de Estado, ele acabou de marcar cinco pra meia noite. Embora informalmente já vivemos uma ditadura, nunca estivemos tão próximos de um governo formalmente autoritário. Viram a nota do clube militar falando sobre guerra civil? Toda vez que se falou em guerra civil no Brasil foi o massacre do povo e das forças a favor do progresso e do desenvolvimento, autorizado pelas corporações privilegiadas do Estado em benefício do capital.
Sim, os famosos detentores do capital, os burgueses. Alguém viu o mercado enlouquecer com general da ativa e da reserva ameaçando golpe e guerra civil? Ninguém viu.
Agora experimenta sair na rua pedindo pra cancelar aumento de vinte centavos na passagem. Dá nisso que estamos vendo: povo na rua se mobilizando por direitos sociais, 7 anos de inferno político, social e econômico.
Puta que me pariu mil vezes.
submitted by Luisectoid to brasil [link] [comments]


2020.04.23 03:02 Rickbraz91 Refutando Fake News sobre coronavírus

Devido ao crescente número de Fake News (FN) decidi fazer esse post para refutar cada uma delas. Esse post será editado quando novas FN aparecerem ou quando algum erro for encontrado.
1. Tomar líquidos quentes para matar o vírus;
Há duas versões dessa FN: Uma é de um médico transferido de Shenzhen para Wuhan e outro do Tio e sobrinho de uma colega de classe do autor. Os dois igualmente falsos (http://duduallo.com.bfake-news/beber-agua-ou-cha-quente-mata-o-coronavirus-que-nao-sobrevive-a-mais-de-26-oc-fakenews.html ).
Não há nenhuma evidência científica que água quente mata o vírus. Se isso fosse verdade, o chineses seriam basicamente imunes pois beber líquidos quentes faz parte da cultura chinesa (https://www.destinochina.com/por-que-os-chineses-bebem-agua-quente/ )
2. Vinagre mata vírus e álcool em gel não;
Essa FN foi espalhada pelo “químico autodidata” Jorge Gustavo em correntes de FB e Whatsapp e foi refutado pelo Álvaro José dos Santos Neto, pesquisador do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP (http://www5.iqsc.usp.b2020/alcool-gel-e-eficaz-contra-o-coronavirus/ )
3. O coronavírus não sobrevive em temperaturas acima de 27° C;
É uma FN derivada da FN n° 1 e também espalhada em grupos de FB e Whatsapp. Se isso fosse verdade, o vírus não sobreviveria a temperatura do corpo humano (36,6 °C). Em uma metanálise foi concluído que o vírus pode sobreviver à temperaturas elevadas como 30° C ou 40 °C às vezes, por dias (https://www.journalofhospitalinfection.com/article/S0195-6701(20)30046-3/fulltext30046-3/fulltext) ).
4. O COVID19 sempre existiu pois está na caderneta de vacinação do cachorro;
Uma das minhas favoritas! A ignorância desse rapaz é de dar dó! Inclusive chama cobras de mamíferos. É uma fake news que surgiu em grupos de whatsapp (https://www.youtube.com/watch?v=RHKtqjn_Ez4&t=15s ). Uma rápida pesquisa é possível ver os diferentes tipos de coronavírus na história (http://www.saude.pr.gov.bmodules/conteudo/conteudo.php?conteudo=3509 ).
Há 7 diferentes tipos de coronavirus que podem afetar humanos: 229E (alpha coronavirus), NL63 (alpha coronavirus), OC43 (beta coronavirus), HKU1 (beta coronavirus), MERS-CoV (beta coronavirus que causa a doença chamada MERS, surgiu no Oriente Médio em 2012), SARS-CoV (beta coronavirus que causa a síndrome respiratória chamada SARS, surgiu na Asia em 2003, não há mais casos desde 2004), SARS-CoV-2 (o novo coronavirus que surgiu no final do ano passado, que causa a "doença coronavirus 2019", ou COVID-19). Os 4 primeiros são virus que estão por aí há mais de 50 anos, tendo os primeiros casos no meio da década de 1960. Desde então pessoas e animais são infectadas por eles diariamente (https://www.cdc.gov/coronavirus/types.html ). Os 3 últimos são mutações dos outros virus causadas em animais devido a presença de outros tipos de virus que só afetam eles.
5. O vírus é um golpe da China para comprar ações da bolsa;
Essa FN é normalmente espalhada por grupos de extrema-direita ou em sites sensacionalistas/ religiosos (http://samauma.com.bsite/samauma/a-china-levando-vantagem-em-tudo/ ). Interessante saber que essa FN tem aparentemente origem em um portal chamado RUNET, um site russo (https://novayagazeta.ru/articles/2020/02/08/83836-kak-uhan-uronil-yuan ) e é uma versão modificada de outra FN de 2014 pórem com a Rússia e Ucrânia como protagonistas na crise de Crimea (http://www.19rus.info/index.php/ekonomika-i-finansy/item/7734-putin-za-nedelyu-zarabotal-dlya-rossii-20-milliardov-dollaro ) A FN é exatamente a mesma! Apenas mudam os personagens.
Além disso, os autores ignoram que QUALQUER PESSOA pode comprar ações da bolsa e não apenas chineses. É claro que comprar ações em época de baixa pode ser vantajoso a longo prazo mas não é 100 % seguro. Criar um vírus sabendo que conseguirá infectar a população de uma cidade em larga escala para criar uma pandemia, causar crash na bolsa e ter certeza que haverá recuperação no futuro é necessário uma onisciência de um Deus devido a tantas variáveis e coisas que podem sair errado. Também não há uma única informação sobre esse xeque mate chinês em revistas ou sites de economia de renome.
A China também está sendo negativamente afetada pelo vírus ao contrário que muitos dizem. Podemos ver a queda em várias bolsas chinesas aqui (https://tradingeconomics.com/china/stock-market ), A produção industrial (que mede as atividades de manufatura, mineração e serviços públicos) caiu 13,5% no comparativo anual, As vendas no varejo, um indicador-chave do estado do consumo na segunda economia mundial, caíram 20,5% em relação ao ano anterior e os investimentos em ativos fixos, despesas com itens que incluem infraestrutura, propriedades, máquinas e equipamentos, caíram 24,5% no período, outra redução recorde (https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/03/22/coronavirus-o-impacto-na-economia-chinesa-e-por-que-isso-e-uma-grande-ameaca-ao-mundo.ghtml ). A projeção de PIB chinês do 1° Tri caiu de 4,9% para 1% (https://www.canalrural.com.beconomia/pib-da-china-deve-cair-de-49-para-1-no-primeiro-trimestre-diz-banco/ ). Engana-se quem crê que a China está se “dando bem”.
6. Cuba criou a vacina para o vírus e curou 1500 pessoas na China;
A FN foi compartilhada por alguns políticos de esquerda no afã de defender o regime autoritário de Cuba (https://twitter.com/guilhermeboulos/status/1238081207671422977 e https://www.jb.com.bbem_vivesaude/2020/03/1022740-cuba-anuncia-que-produz-vacina-contra-o-coronavirus-que-esta-sendo-usado-na-china-e-ja-curou-1-500-pessoas.html). A notícia na realidade se trata do Interferon-alfa2b que, teoricamente, estava sendo usada na China para tratamento (http://www.granma.cu/mundo/2020-02-07/interferon-alfa-2b-el-medicamento-cubano-usado-en-china-contra-el-coronavirus-06-02-2020-10-02-56 ).
Sobre o medicamento ter curado 1500 pessoas na China, a única fonte que existe sobre isso é o próprio meio de comunicação cubano. E sabemos que Cuba não é um exemplo de transparência e preservação aos direitos humanos, uma vez que manipula dados de mortalidade infantil (https://academic.oup.com/heapol/article/33/6/755/5035051 ) e prende pessoas que vão contra o governo (https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/05/12/policia-interrompe-marcha-lgbt-em-cuba.ghtml ).
7. Não conseguir prender a respiração mais de dez segundos é um indicativo de 100% que você está contaminado;
Essa FN foi espalhada pelo whatsapp, FB e em alguns sites (http://ipiranganews.inf.be-assim-que-as-pessoas-no-canada-sao-informadas/ ). É uma versão modificada da FN de Stanford University (https://www.cnnbrasil.com.bsaude/2020/03/17/agua-com-sal-dez-minutos-sem-ar-o-voce-nao-deve-fazer-contra-o-coronavirus ). Não há nenhum estudo ou informação de canadenses realizando tal prática como afirmado na FN. A própria instituição desmentiu o caso (https://www.lamag.com/article/coronavirus-hoax-stanford/ ).
8. O H1N1 é mais letal que o COVID19;
Essa FN foi principalmente impulsionada pelo Presidente Jair Bolsonaro ao comparar dados sem tratamento estatístico de H1N1 com o SARS-Cov-2 durante uma entrevista dada à Record no dia 22 de Março (https://recordtv.r7.com/domingo-espetaculavideos/presidente-jair-bolsonaro-fala-sobre-o-coronavirus-em-entrevista-ao-domingo-espetacular-22032020 ). Em cima disso, outra FN foi criada por direitistas lunáticos com números atribuídos ao H1N1 em 2009 (https://piaui.folha.uol.com.blupa/wp-content/uploads/2020/03/printbolsonarolulacoronainterna.png ). O problema é que o autor da FN contabilizou mortes e casos que ocorreram em um ano e meio da pandemia de 2009 e comparou com dados de apenas um mês da pandemia de 2020. Nota zero em metodologia. Em 20 de Abril (aproximadamente dois meses após o início da pandemia no Brasil) já contabilizamos 2 462 mortes e 38 654 casos, acima do H1N1 em um ano e meio. A OMS estimou que o SARS-Cov-2 é 10 vezes mais letal que o H1N1 de 2009 (https://exame.abril.com.bciencia/novo-coronavirus-e-dez-vezes-mais-letal-que-h1n1-diz-oms/ ).
Porém, mesmo com dados limitados na época do pronunciamento, já havia dados suficientes para provar que o surto de coronavírus está sendo pior que o H1N1 em 2009: naquela ocasião, houve 300 mortos associadas aos 77.000 primeiros casos (0,4%), mas com as mesmas infecções o coronavírus está associado a 2.200 mortes (2,8%). Isso é sete vezes mais (https://brasil.elpais.com/ciencia/2020-03-03/como-o-coronavirus-se-compara-com-a-gripe-os-numeros-dizem-que-ele-e-pior.html ). Um fator que pode mascarar a taxa de letalidade é o fato do sistema de saúde testar apenas os casos graves, diminuindo os dados de taxa de transmissão e aumentando a taxa de letalidade (https://brasil.elpais.com/brasil/2020-03-24/com-gargalo-de-testes-para-coronavirus-brasil-ve-so-a-ponta-do-iceberg-com-seus-2201-casos-e-46-mortes.html ), mesmo assim contamos com dados do mundo inteiro que faz com que as estimativas fiquem mais próximas do real mesmo não sendo perfeitas.
09. O livro “Eyes of the darkness” do Dean Koontz previu a pandemia;
É um boato interessante que surgiu nas redes sociais e alguns sites sensacionalistas replicaram a informação (https://observador.pt/2020/02/26/livro-de-terror-escrito-ha-40-anos-previu-epidemia-de-coronavirus-em-wuhan/ ). O boato ronda principalmente em um trecho do livro que fala sobre um vírus com 100% de taxa de mortalidade originada na China em Wuhan e se chama Wuhan-400 (https://twitter.com/DarrenPlymouth/status/1229110623222554626/photo/1 ). As discrepâncias começam com o fato do Covid19 ter uma letalidade menor que 4% e contamina animais enquanto o Wuhan-400 possui uma letalidade de 100% , contamina apenas humanos, dissolve o cérebro, não sobrevive fora do corpo por mais de um minuto e mata em 24 horas.
Nas primeiras versões do livro (1981) o vírus se chamava Gorki-400, o nome de uma cidade da União Soviética (https://twitter.com/calebmusik21/status/1237600247863369728/photo/1 ). Com a queda da União Soviética, os autores decidiram mudar o nome pois precisariam de um novo vilão para as edições mais novas. E como havia boatos naquela época que os chineses possuíam armas biológicas, decidiram dar o nome da cidade Wuhan onde há um instituto de virologia e trocaram os personagens por chineses.
Também há boatos que o livro predisse até mesmo o ano da pandemia (https://twitter.com/Mygreenbin1/status/1229699634152402944 ), porém a foto é falsa. O trecho retirado é de outro livro chamado “The End of the Days” (TEOD) da escritora Sylvia Browne (https://twitter.com/MSN_Maldives/status/1238290964495523840 ) no qual falaremos a seguir.
10. Sylvia Browne previu o coronavírus em 2020”
Como acima explicado há um trecho do livro TEOD escrito em 2008 que supostamente prediz a pandemia do atual coronavírus. O livro é real e pode ser baixado ou comprado online facilmente. A Sylvia fez diversas previsões e acertou pouquíssimas delas, e uma das previsões que ela acertou foi a de um surto parecido com o de pneumonia em 2020. Mas isso não indica nenhum fator sobrenatural. Até um relógio quebrado acerta a hora duas vezes ao dia. Muitas das previsões também não poderiam ser consideradas previsões de fato, porque acompanhando certos tipos de notícias é perfeitamente possível saber que tal evento provavelmente ocorreria no futuro. Abaixo a lista de profecias juntamente com comentários:
- Entre 2008 e 2020 um presidente americano morreria de ataque cardíaco (Falso);
- Após isso, o vice-presidente declararia as intenções de criar uma guerra contra a Coreia do Norte. Após fracassar com a intenção de obter o apoio do congresso ele seria assassinado (Falso);
- Até 2010, o resfriado será algo do passado. As pessoas entrariam em uma cabine e por 5 e 6 minutos e os microrganismos seriam destruídos (Falso);
- Em 2010 as mulheres dariam a luz suspensas e os bebês cairão por gravidade (Falso);
- A possibilidade de doenças como depressão e esquizofrenia poderão ser determinadas com exames no nascimento (Inconclusivo, mas já existiam estudos na época sobre determinar essas doenças geneticamente https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15184104 )
- Células seriam retirados da bochecha de todo nascido e seriam usados para compor uma base de dados global linkado aos documentos (Falso);
- Em 2012, haverá próteses reais para substituir partes do corpo com todas as funções do membro perdido (Falso);
- Diabetes e câncer serão curáveis (Falso);
- Haverá tratamento para Alzheimer com células da placenta (Verdade porém já existiam estudos na época https://noticias.ufsc.b2007/03/ufsc-estuda-celulas-tronco-a-partir-de-placenta-e-de-cordao-umbilical/ )
- Microchips seriam instalados no cérebro das pessoas curando a doença de Parkinson em 2014 (Falso);
- Em 2015 não existirão cirurgias evasivas (Falso);
- Em 2020 não haverá mais cegueira e surdez (Falso);
- Casais teriam menos desejos de terem filhos (Verdade, porém a taxa de natalidade já estava caindo a tempos https://en.wikipedia.org/wiki/Total_fertility_rate )
- Em 2010 uma doença bacteriana semelhante à “doença comedora de carne” surgirá e não haverá medicamento contra ela. Os pacientes seriam isolados até descobrirem que poderiam ser curados com calor e corrente elétricas (Falso);
- Cirurgia corrigirão defeitos no feto antes do nascimento (Verdade mas a prática já existia desde 1980 https://en.wikipedia.org/wiki/Fetal_surgery )
- O Papa Bento seria o último eleito e o próximo seria um coletivo de papas (Falso);
- Em 2014 satélites detectariam criminosos e enviariam alertas para as autoridades (Falso);
- Por volta de 2020, uma doença parecida com a pneumonia se espalhará ao redor do globo atacando os pulmões e brônquios resistindo todos os tratamentos utilizados. A doença desaparecerá assim como apareceu e voltará novamente 10 anos depois. Em seguida desaparecerá completamente (Parcialmente verdade porém ainda há coisas a serem descobertas sobre o vírus)
Concluindo, a previsão é apenas pura coincidência.
11. A Ambev está distribuindo álcool em gel gratuitamente;
Essa é mais que uma FN. É na realidade um golpe usado por criminosos para roubar dados das pessoas que se cadastrarem no site falso (https://rlagosnoticias.com.b2020/03/20/criminosos-nao-se-cansam-e-usam-mais-uma-estrategia-para-aplicar-golpes-pelo-whatsapp/ ). Ao clicar no link, a pessoa era redirecionada a um site falso da web para colocar os dados pessoais. A Ambev inclusive se pronunciou sobre o caso no twitter (https://twitter.com/Ambev/status/1240660794058121219?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1240660794058121219&ref_url=https%3A%2F%2Fg1.globo.com%2Ffato-ou-fake%2Fnoticia%2F2020%2F03%2F20%2Fe-fake-mensagem-que-diz-que-a-ambev-esta-distribuindo-alcool-gel-gratis-para-a-populacao.ghtml ).
12. Israel descobriu a vacina do COVID19;
Assim como a FN da vacina de Cuba, essa FN foi criada a partir de uma interpretação equivocada da notícia de uma vacina que estava sendo desenvolvida e que PODERIA estar disponível em maio. Vários grupos de direita compartilharam a notícia distorcida (https://www.youtube.com/watch?v=kbTJG3BwV74 ). O laboratório responsável pela pesquisa se pronunciou e afirmou que ainda estão trabalhando na vacina e que ficará pronta em 3 meses caso não haja nenhum contratempo (https://13news.co.il/item/news/domestic/health/coronavirus-vaccine-1026258/?fbclid=IwAR1zQNUTlV2b_HdJC9AMCR2fEW2t8c9O7VSuBw81HdPSfM2ptI5MU2mKM5U ).
13. O Simpsons previu a pandemia;
O episódio dos Simpsons a que se refere aborda um episódio de 1993 em que um funcionário do Japão em Osaka espirra em uma caixa que foi enviada para o Homer. A imagem que circula na internet é essa (https://twitter.com/Attilaademm/status/1223950852421013505/photo/1 ). Porém a imagem foi manipulada. No episódio original no minuto 4:18, podemos ver que se trata da “Osaka flu” e não de coronavírus (https://www.youtube.com/watch?v=uBOBiq-UdQs&feature=share&fbclid=IwAR1LgM9dVMLoI2m-g9ekScFLHQtTjy9NpMSN96cghOWzAUFVEESOzW77WmQ ).
14. Vitamina C com Zinco e vitamina D combate o coronavírus;
Essa FN foi compartilhada nas redes sociais (https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1507000456135481&id=508712292630974 ). Ela foi criada a partir de uma notícia distorcida sobre um estudo em que o consumo de vitamina D ajuda na imunidade e, consequentemente, no combate ao Covid19 (https://noticias.uol.com.bsaude/ultimas-noticias/redacao/2020/03/28/pacientes-internados-com-coronavirus-tem-carencia-de-vitamina-d-diz-estudo.htm?utm_source=facebook&fbclid=IwAR23OJ8cjqiX8ND9Mye2P-67Vk0zLdpCjk-9V9jxiA6YNjF2Rn5w2--Gaac&cmpid=copiaecola ). O Próprio presidente zerou os impostos sobre vitamina D e Zinco e os classificou como medicamentos para combate ao vírus (https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1246432726460305414 ).
Se lessem com mais atenção, poderiam ter percebido o trecho que diz que não existe nenhuma prova científica em questão. A Sociedade Brasileira de Infectologia publicou uma nota de repúdio sobre essa FN (https://www.facebook.com/SociedadeBrasileiradeInfectologia/photos/pcb.2544508135678774/2544507892345465/?type=3&theater ).
No Paraná, uma empresária foi autuada ao anunciar suplementos de vitaminas como prevenção ao coronavírus (https://g1.globo.com/pparana/noticia/2020/02/07/empresaria-e-autuada-apos-anunciar-suplemento-de-vitaminas-como-prevencao-ao-coronavirus-no-parana.ghtml ).
15. Bill Gates e/ ou a CIA obtiveram a patente do coronavírus;
Essa FN é muito conhecida no exterior e já foi desmentida várias vezes. Ela foi publicada com frequência por conspiracionistas nas redes sociais (https://twitter.com/Jordan_Sather_/status/1219795721286586368 ) inclusive espalhada pelo Olavo de Carvalho, o guru do governo Bolsonaro (https://epoca.globo.com/guilherme-amado/olavo-culpa-bill-gates-por-coronavirus-no-brasil-24218397 ). Aparentemente, a pessoa que criou a FN sequer leu a patente inteira. A patente de 2015 (https://patents.justia.com/patent/10130701 ) menciona de fato a palavra coronavírus mas, não se trata da Covid19 e sim de outro coronavírus chamado Gammacoronavírus que afeta aves (https://en.wikipedia.org/wiki/Gammacoronavirus ). Basicamente, é uma patente sobre o desenvolvimento de uma vacina de coronavírus para aves.
Parte II: https://www.reddit.com/useRickbraz91/comments/g6dged/refutando_fake_news_sobre_coronav%C3%ADrus_ii/
submitted by Rickbraz91 to u/Rickbraz91 [link] [comments]


2020.04.22 04:32 ihattori nerd zé droguinha fodase k k k

OBS: fiz esse texto com o objetivo de recapitular esses últimos meses conturbados na qual minha vida mudou completamente e acabou ficando um texto gigante, então não espero que alguém leia (até eu to com preguiça de ler isso).

Desde os meus 12 anos fui um clássico adolescente fracassado. Ficava praticamente o dia inteiro no computador e só saia para comer ou fazer algo que era obrigado, na escola só falava com uns três amigos mesmo que tenha ficado na mesma turma desde o primeiro ano do fundamental e no Whatsapp não falava com praticamente ninguém. Porém antes eu não era assim, dava pra se dizer que eu era uma pessoa até que normal, mesmo que desde pequeno não tinha muitas habilidades sociais e sempre fui introvertido. Até que conversava com algumas pessoas na escola, saia para dar rolê pelo bairro, praticava esportes e essas coisas. Tudo começou a mudar quando meu tio morreu e isso desestabilizou toda a minha família, comecei a sofrer bullying na escola e coincidentemente conheci a pornografia.
Então minha rotina se tornou acordar praticamente na hora do almoço, ir para a escola esperando a hora de voltar para casa e quando chegava em casa ficava no computador jogando algo, vendo vídeos fúteis no youtube ou consumindo pornografia, que acabou se tornando um vício diário. Depois eu ia dormir umas duas horas da manhã e este ciclo se repetia sempre, raramente mudava. Isso foi até meus 15 anos, quando entrei pro ensino médio e comecei a estudar de manhã, então eu pelo menos acordava cedo e não ia dormir extremamente tarde. Porém os vícios somente mudaram de hora, pois eu chegava do colégio e ficava praticamente o resto do dia inteiro no computador. Na nova turma demorei praticamente dois meses para começar a socializar de fato, eu só ficava calado no meu mundinho esperando a hora de voltar para casa.
Minha relação com as mulheres também não era muito boa, eu tinha fucking 15 anos e ainda não tinha nem beijado. Não foi por falta de oportunidades, pois minha aparência até que é boa e eu não era um beta completo que não consegue nem falar com mulheres. Tinha perdido todas as oportunidades quando criança e quanto mais o tempo passava menos elas surgiam, até que chegou a um ponto que elas nem apareciam mais e eu tava tão imerso na minha zona de conforto que nem tinha vontade de criar as oportunidades e ir atrás de mulheres. Acho que não dava nem pra se dizer que eu era um beta, creio que cheguei abaixo desse nível pois eu nem chegava a tentar.
Até que aconteceu algo que mudou tudo. Uma colega minha tinha criado um grupo de umas pessoas que sentavam próximas na sala de aula e como eu falava um pouco com ela me colocou também. Nesse grupo ela também tinha colocado uma guria que tinha me chamado a atenção desde o inicio das aulas, pois ela tinha tanto uma aparência quanto um estilo diferenciados e ao mesmo minimalista, nada muito vulgar. Por esse grupo a galera falava mais sobre algumas coisas da aula mesmo, pois a maioria ainda tava se conhecendo. Eu até que interagia um pouco nesse grupo, pois tinha percebido que não interagia com praticamente ninguém da turma em mais ou menos 2 meses de aula. Até que um dia por causa de um trabalho que uma professora tinha dado entramos no assunto de pirâmide e eu sempre me interessei por tal assunto, e é aí que tudo começa.
A conversa foi rolando e chegou uma hora que só ficou eu e aquela moça que eu tinha me interessado conversando. E, namoral, fazia tempo que eu não tinha uma conversa tão boa, fluía muito bem tanto que começou no assunto de pirâmides e quando vê estávamos falando sobre brócolis (???). Mas o que chamou minha atenção foi que ela tinha umas ideias meio diferentes, curtia falar sobre coisas alternativas (tanto que a conversa começou com pirâmides e ETs) e isso também chamou a atenção dela, pois ela mesmo disse que se interessava muito sobre essas coisas e que nunca tinha ninguém para falar sobre. (exemplos de "coisas alternativas": ETs, filosofia, sociedades secretas, teorias, leis universais, espiritualidade, arte, geometria sagrada, etc.)
As ideias fechavam tão bem que em praticamente dois dias eu já tava apaixonado (modo beta ativado KKKK). Antes disso eu achava que já tinha me apaixonado, mas nenhum sentimento que eu já tinha tido por alguém chegava perto daquilo. Com isso, comecei a refletir sobre a minha vida e cada vez mais eu me ligava que eu era um lixo, não merecia ela e nem conseguiria a conquistar. Então comecei a usar a motivação que a paixão me proporcionava para meu auto-desenvolver.
Aí comecei a pesquisar no youtube diversos canais sobre desenvolvimento pessoal e ficava grande parte do tempo vendo eles, comecei a praticar no-fap (mesmo sem saber o que era, fui descobrir depois de começar a praticar) logo depois comecei a ler livros, me exercitar, cheguei até a tomar banho gelado e ficava muito menos tempo no computador. Também via muitas coisas sobre conquista e sedução, porque eu não tinha muita experiência com mulheres e queria usar de todas as ferramentas para conseguir ficar com ela.
Até ai tudo bem, estava me sentindo vivo depois de tanto tempo vivendo com um sentimento de vazio, estava com motivação para melhor como pessoa, tinha encontrado alguém que se interessava pelas mesmas coisas que eu, etc. Maas tudo têm dois polos e isso não é diferente. Como conversava com ela praticamente todo dia, acabei me viciando nela e isso virou meio que uma droga, pois quando eu tava falando com ela ficava num estado eufórico e estava extremamente motivado, porém quando via que ela demorava pra responder ficava num estado muito depressivo. Ela também diariamente ficava em call com um colega nosso (pior que ele era um zé droguinha k k) e isso me deixava muito fudido emocionalmente.
Com o tempo começamos a nos falar menos (normal, pois conversávamos todo dia) e descobri que ela gostava de um outro mlk de outra turma (zé droguinha repetente também KKK) e mesmo sabendo que ela já gostava dele antes de me conhecer isso me deixou mais mal ainda. Mesmo com tudo isso, continuava com essas variações de humor quando falava com ela e quando não falava, porém de um modo mais extremo, muitas vezes até pensando em suicídio. E era justamente isso que me impedia de criar intimidade com ela, era por isso que ela preferia os "zé droguinhas". Eles não estavam ligando pra ela, e para mim ela era única, eu sabia que não iria achar outra moça como ela tão facilmente. Isso me impedia de ser natural e de não tratar ela como a última pessoa do mundo, mesmo que eu tentasse isso é sútil e faz toda a diferença.
O tempo foi passando e eu estava perdido, sem saber o que fazer. Cheio de informação e sem saber como aplicar, e ai entra outro erro meu. Fiquei vendo diversos vídeos sobre conquista chegou um ponto que não sabia o que por na prática, se me declarava pra ela ou deixava rolar, se dava atenção para ela ou vivia minha vida normalmente pra mostrar para ela que ela não era prioridade arriscando perder contato com ela, etc. E eu acabei ficando nessa inércia, continuava falando direto com ela mas não conseguia evoluir na relação, pois sempre que tentava algo como iniciar um flerte ela meio que se esquivava. Assim foi até que um dia descobri que ela não estava mais apaixonada, e achei muito estranho pois nem sabia que ela estava. Fiquei feliz pois melhor para mim, porém o cenário mudou completamente quando descobri que na verdade ela estava apaixonada por mim.
Isso me deixou pior do que eu já tava, pois eu fiquei me sentindo um lixo por ter perdido a oportunidade. Tipo, não importava o que eu fizesse tinha grandes chances de dar certo porque ela tava fucking apaixonada por mim, porém eu não fiz simplesmente nada. Isso explica também o motivo dela se esquivar quando eu tentava algo, porém avaliei a situação e era muito óbvio o interesse dela em mim, só que eu estava com tanto medo de agir que ignorava os sinais. Mas mesmo assim em todo esse tempo nunca paramos de nos falar, somente tinha algumas pausas temporárias e agora tinha percebido que ela estava diferente, parecia não ligar tanto pra mim.
Não bastasse isso, nesse mesmo período descobri que iria me mudar no fim do ano. Isso conseguiu me deixar pior ainda, mas ao mesmo tempo feliz pois seria para Florianópolis. Aos poucos fui perdendo o sentimento por ela e consequente a motivação para manter meus hábitos. Voltei a ficar mais tempo no computador, a consumir pornografia (bem menos que antes), no fim o único hábito que consegui manter foi o da leitura. Pior que nesse tempo eu estava estudando a obra de Nietzsche e acabei me tornando niilista, nenhuma crença fazia sentido para mim, nem a vida. Para completar, estava tendo muitos atritos com minha família.
Então formou um combo: eu tinha perdido a oportunidade de ficar com ela, descobri que iria me mudar e perder o contato com todos meus poucos amigos e que iria possivelmente nunca mais ver ela, não via sentido na vida (mesmo com bastante conhecimento sobre religião, espiritualidade, etc.), e ainda estava com problemas em casa. Pelo menos como eu já tinha conseguido melhorar no quesito social por causa desse tempo em que busquei me aprimorar, pelo menos na escola eu ficava até que bem e socializava com geral.
Como eu sabia que iria me mudar, resolvi meter o fodase. Passei a não ligar pra opinião dos outros, falava com bastante gente e não estava me importando muito com desenvolvimento pessoal. Até que um dia eu estava chegando em casa e meu vizinho que era meu melhor amigo de infância me chamou pra casa dele. A gente não se fala muito pois eu tinha virado mais "nerd" e ele tinha se tornado mais "zé droguinha", mas nos dávamos bem até. Cheguei lá e tava ele e mais dois amigos, logo ele me ofereceu uma garrafa de Coca-Cola com um líquido estranho dentro e disse pra eu beber. Logo me liguei no que poderia ser, e como não estava lingando bebi tudo e ai eles me disseram que era MDMA dissolvido e que em alguns minutos o efeito iria começar. O máximo que eu já havia usado foi maconha em bong, mas isso era outro nível. Foi a melhor sensação que eu havia sentido na minha vida. Fritamos muito, os amigos dele que já eram meus conhecidos gostaram de mim e assim eu voltei a falar com esse meu amigo.
No outro dia fui pra escola sentindo um forte vazio existencial que é normal sentir depois de usar uma droga como essa, porém isso não era problema pois as 8 horas em que o efeito da droga geralmente dura valem a pena. Então, como voltei a falar com esse meu amigo conheci outros amigos dele e sem querer querendo eu estava me tornando um "zé droguinha". Não um zé droguinha no estilo favelado brasileiro, mas num estilo mais Lil Peep (que é um artista que eu ouvia pra krl na época e ainda escuto um pouco). Começou com eu indo na praça e fumando maconha e com o tempo foi piorando..
Antes disso tudo eu havia entrado numa "escola de autoconhecimento" na qual eu continuava indo mesmo depois de tudo isso ter acontecido eu ainda tinha um pouco de motivação para me auto-desenvolver. Então chegou a um ponto em que uma hora eu estava fumando em um bong e logo depois lendo um livro sobre desenvolvimento pessoal, uma hora eu estava meditando nesse curso de autoconhecimento e no outro dia estava bebendo e jogando sinuca em um bar. Eu estava completamente dividido.
Até que teve uma vez em que meu vizinho estava fazendo uma social com uns amigos e eu decidi ir ali, isso já era mais ou menos meia noite. Logo que cheguei já vi uma movimentação estranha e chegou um cara que eu não conhecia lá e tirou um pino de cocaína do bolso e foi fazendo as linhas. Todos começaram a cheirar e chegou na minha vez. Fiquei muito na dúvida, mas sempre que ficava na dúvida entre fazer algo ou não me lembrava dos anos em que perdi na frente de um computador e ia lá e inconsequentemente fazia (isso só não funcionava com a moça que eu estava apaixonado k k). Depois decidimos ir na praça e no caminho o meu amigo foi me falando da situação, disse que era a movimentação tava meio agitada pois era a terceira vez que tinha ido pegar pó e estavam sem dinheiro e o traficante disse pros caras que tinha ido pegar deixarem o relógio e o moletom com ele de garantia e que se eles não pagassem ele no outro dia ele iria matar eles. Nisso eles já estavam com uma dívida de uns 100 reais e todos estavam sem dinheiro, então decidi ajudar com os 20 reais que eu tinha sobrando e alguns deles iriam vender fones de ouvidos e carregador na estação de trem para conseguir juntar uma grana e pagar o plug.
Se você se pergunta o que os usuários ficam fazendo de madrugada drogados, é decepcionante. Ficavam falando sobre futebol, fazendo batalhas de rimas, falando sobre mina e essas coisas. Depois nós fomos dar uma volta pelo bairro, fumamos maconha e voltamos para casa e isso já era umas cinco horas da manhã. Cheguei, fui dormir e acordei as 06:30 para ir para o colégio, possivelmente ainda no efeito da maconha. As pessoas do colégio já tinham notado que eu estava diferente e algumas suspeitavam que eu estava usando drogas (de fato, eu estava), porém eu nunca tinha chegado a comprar droga, sempre usava se estava com alguém que tinha e não tinha criado nenhuma dependência. Algo que ajudou a acharem isso foi eu ter mandado uns áudios bêbado para aquele grupo em que conheci aquela moça e uma guria mandou no grupo da turma alguns desses áudios no grupo da turma (nunca mandem áudio bêbados, sério).
As pessoas da minha turma diziam me achar estranho pois no início do ano acreditavam que eu era um nerd que não falava com ninguém e agora eu conversava com todo mundo e que era um possível zé droga. E foi realmente isso que aconteceu, eu tinha parado de desperdiçar minha vida na frente de um computador e passei a desperdiçar queimando meu neurônios. Minha mãe sempre foi protetora e com razão suspeitava de mim, porém não achava que iria me envolver com essas coisas pois sempre fui tranquilo quanto a isso e também por que isso não é muito coisa de alguém que fica a maior parte do tempo no computador.
Um dia uns me chamaram para ir na praça e depois no bar jogar sinuca. Cheguei lá e eles estavam com um pino de pó, e como eu não tinha sentido bem os efeitos na primeira vez não liguei e usei de novo. Logo depois fomos para o bar e como eu estava com dinheiro decidimos comprar uma garrafa de vinho e jogar sinuca. Tomei dois copos e meio e lá estava eu, o nerd beta gamer cheirado e bêbado de vinho num bar kk. Foi uma sensação ainda melhor do que no MDMA, eu estava me sentindo um semideus, não ligava pra nada e falava coisas sem sentido. Porém, eu tinha que ir pra casa cedo e eu estava tão alterado que nem medo de chegar em casa naquele estado eu conseguia sentir, mas sabia que tinha que evitar ao máximo o contato (algo que eu já estava acostumado). Cheguei lá e vi que minha mãe já estava meio desconfiada então tentei evitar o contato mais ainda, depois fui pro computador e fiquei ouvindo música, as músicas pareciam 300% melhores enquanto eu estava naquele estado.
Fiquei um tempinho sem usar nada além de maconha as vezes e um dia fui na casa do meu amigo e notei que eles não estavam usando nada, mas tinha uma lata com um furo e já me liguei no que era, o famoso lança de baixo custo, vulgo loló/sucesso. Eu não tinha muito conhecimento sobre essa droga, só sabia que o efeito durava pouco e forte. Por isso, imaginei que fosse relativamente leve comparado a outras que já tinha experimentado. Experimentei e logo senti o famoso "tuin", meus pés e mãos começaram a formigar, meu batimento cardíaco aumentou e fiquei extremamente eufórico. Porém, depois de uns minutos o efeito passou e fiquei com uma certa dor no peito.
Vi que essa droga era muito mais forte do que eu pensava e decidi ir pesquisar sobre os efeitos colaterais dela e descobri que na verdade o que eu usei foi spray anti-respingo de solda, considerado um "crack dos inalantes" e que eu poderia até ter morrido se tivesse inalado mais. Então depois disso decidi não usar mais drogas (demorei kk), até por que eu iria me mudar em mais ou menos um mês.
E assim foi, com o tempo fui melhorando meu emocional e aprendendo a conviver com meus arrependimentos. Já faz uns 3 meses que estou morando em floripa e uns 7 em que me apaixonei por aquela moça, é bizarro pensar que tudo que aconteceu depois disso enquanto eu ainda morava no RS aconteceu em mais ou menos 4 meses. Estou tentando repor os hábitos e por alguns outros na minha rotina para meu desenvolvimento pessoal e pôr em prática o que aprendi depois de tantos livros lidos e tantos vídeos de auto-desenvolvimento assistidos. Por mais que tenha sido um período bem difícil, foi o período na qual mais aprendi e agora consigo equilibrar meu lado "nerd" e meu lado "zé droguinha", chegando a um equilíbrio. (OBS: perdi o bvl e a virgindade, finalmente).
Escrevi isso só para organizar toda essa série de acontecimento na minha cabeça, pois até hoje eu nem tinha entendido direito o que aconteceu, as coisas ficam muito vagas somente no plano mental. Se tu leu esse texto mau escrito até aqui tu é um guerreiro, pois nem eu to com vontade de ler tudo isso.
Algumas dicas que vou usar para mim mesmo, baseado no que extrai desse período da minha vida:
-Se quiser conquistar alguém, seja você mesmo e não torne a outra pessoa o centro da tua vida.
-A mentalidade de pensar "eu vou morrer mesmo" pra alguma decisão é boa, se usada conscientemente. Memento mori, carpe diem.
-Quanto maior o extremo de algo pior seus efeitos colaterais, e isso é uma lei. As drogas demonstram isso bem, pois quanto melhor o efeito e maior a acessibilidade da droga pior são seus efeitos colaterais. Ser um "nerd" é ruim mas tem seu lado bom, com ser "zé droguinha" não é diferente. A chave é o equilíbrio.
-São nas piores situações que mais evoluímos.
-Mais vale um livro compreendido e praticado do que 30 simplesmente lidos.
-Cuidado com as influência que recebe. Certamente se eu não ouvisse Lil Peep e não andasse com quem estava andando não teria sequer tocado numa droga KKK.
-Uma conversa aleatória com uma pessoa desconhecida pode mudar toda tua vida.
-Hábitos bons vão te ajudar muito, mas não vão fazer nada por ti.
-Não espere pelo momento perfeito para agir.
-Não fique devendo pro traficante
submitted by ihattori to desabafos [link] [comments]


2020.04.17 19:05 wolfsuper O Despertar do Mundo - Rhidian Brook

SINOPSE
Em 1945, enquanto o mundo celebra a vitória sobre o exército nazi, a Alemanha derrotada é dividida. De um lado, a União Soviética. Do outro, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a França. A Guerra Fria está prestes a começar. Em Hamburgo, grupos de crianças esfomeadas vasculham os destroços em busca de alimentos, famílias desalojadas lutam por abrigos imundos. É nesta cidade arruinada que o coronel Lewis Morgan é encarregado de repor a paz. O governo inglês requisita uma casa para o acolher a ele e à família. Aos proprietários da mansão resta a indigência. É então que o coronel propõe uma solução inédita: a partilha do espaço. Mas ao contrário do que coronel espera, este pacto vai ser explosivo. A sua mulher, Rachel, vive fechada em si própria. O filho de ambos, Edmund, debate-se com uma solidão extrema. A alemã Freda é a adolescente rebelde, filha de Herr Lubert, um homem de elite inconformado com a submissão que lhe é imposta. Entre segredos e traições, a vida na casa é uma bomba-relógio que uma paixão proibida ameaça ativar.. Baseado no extraordinário ato de bondade do avô do autor, O Despertar do Mundo pinta um retrato único da guerra vista do lado dos perdedores.
Rhidian Brook escreve para além de ficção, também para o cinema e para a televisão. O seu primeiro romance, The Testimony of Taliesin Jones venceu, entre outros prémios, o Somerset Maugham Award. Os seus contos figuram nas mais variadas publicações, tais como a New Statesman e a Time Out, sendo também transmitidos na rádio.
Link: https://mega.nz/foldeH0tjHaBR#GHn5HusQ5D309U4Ut-40dA
submitted by wolfsuper to Biblioteca [link] [comments]


2020.03.02 00:03 RimbaudHighOnCrack Auschwitz

Qualquer barulho é um túmulto.
Nos Ghettos vazios. Mal-assombrados. Onde as bombas badalam meio-dia, como o sino de uma igreja morta, que desmoronou em três dias e não ressucitou.
Fantasmas de couro e prata atravessando paredes, com pranchetas na mão. E os meninos brincando de caça-de-guerra, de tourniquetes, de granadas de meia, enquanto o Olho Ariano assiste amarelo entre as nuvens, seus broches estrelados.
E ao fundo se ouve o apito do trem. Agora nem mais homem, nem mulher. Carga num vagão de chumbo. Rebatendo, rebicando.
Anos-luz até a cabana de madeira. A lamparina rente a porta. Os sonderkommando arrastando as carcaças com olhos leitosos. Sob o túmulo de Birkenau.
O mistério. A nudez coletiva. As tatuagens. O calor da chama nas máquinas. Balas de prata para o exército alemão. A gracha na mão é o novo sangue no batente - salva o primogênito e mata o pai.
E o caminho de volta até as beliches. Chuva escorrendo entre as tábuas de madeira. Pingando entre os dedos do pé.
Os clamores na noite como uivos cansados - Eli Lama Sabactani - dia após dia, a febre dormente consoladora, o delírio, sonhos que duram até depois do amanhecer. Sonhos que duram até depois de aparecer
A Estrela da Manhã com seu queixo ossudo, Herr Kommandant e seus chifres dourados e seus carrinhos-de-mão com pilhas de adolescentes que foram para o arame.
E a fila se forma com a continência e o berro.
Costelas translúcidas com diarréia seca nas coxas se amontoam no chão e lambem o café da manhã como cães revirando lixo.
A sarna comendo o pescoço, os braços e as palmas das mãos. Raquíticos com suas áureas de serafin banhado em gás mostarda.
O inverno polonês. Os beiços craquelados. Os arames farpados. E o Anjo da Morte andando entre crânios e joelhos ao som de Kadishs lacrimejados.
Rabinos esqueléticos como montanhas de sapatos, como montanhas de cuecas cagadas, como montanhas de relógios de prata.
E a Sala de Espera.
Onde as crianças caminham em silêncio, os murmúrios, burburinhos. Roupas brancas e limpas aguardam no Sétimo Céu aos pés de Yaweh - Eli Eli - depois do banho.
E o rebanho se ajunta. Esqueletos macerados, pó que se volta ao pó, com seus peitos e pintos de fora. O roxo nos braços doloridos. Os murmúrios, os burburinhos.
E vem quente o abraço quente do monóxido de carbono, do ácido cianídrico. E a multidão se debate na porta de chumbo. Como porcos presos numa jaula de pesticidas.
Eli Lama Sabactani. Eli Eli Lama Sabactani.
Berros. Unhas se quebram ao arranhar o piso branco. Tosse. Os ossos se partindo. As costelas das crianças pisoteadas - corderinhos em sacrifício de Páscoa.
E o Mar Vermelho.
Silêncio.
Silêncio.
Silêncio.
Silêncio nas barracas.
Silêncio.
Silêncio nas beliches.
Silêncio.
Silêncio nos corredores.
Silêncio.
Silêncio nas fábricas.
Silêncio.
Silêncio nos arames.
Silêncio.
Silêncio na Sala de Espera.
Silêncio.
Apenas as cinzas subindo ao céu
E um novo trem surgindo no horizonte.
submitted by RimbaudHighOnCrack to rapidinhapoetica [link] [comments]


2020.03.01 20:26 Obstinate_slob Encontro no café

ACTO I
CENA I
Aos poucos, a luz vai-se tornando menos difusa. Consegue divisar-se o interior de uma taberna um tanto bafienta. A maioria das paredes e do mobiliário é de madeira escura, com rebiques metálicos detalhados nas esquinas. Ao fundo, um balcão, com tampo de latão baço, qual ringue de patinagem para moscas. Ao centro há uma mesa com duas cadeiras, numa das quais um homem encapuçado, trajando uma casaca negra, espera. Estatura meã, escanzelado, só com a metade inferior do rosto a descoberto. Nota-se que se impacienta. Relanceia para o relógio de parede, cujo tiquetaquear interminável lhe mói o juízo, bufando de exaspero pelos cantos da boca. Remexe-se, inquieto, no seu assento. Quer repoltrear-se, mas as cadeiras velhas vacilam e rincham, sempre que faz algum movimento mais brusco. O que o desencoraja de passar de uma postura de à-vontade para uma de “à-vontadinha”.
Eis senão que se ouve o abrir da porta. Entra uma velhinha, que se dirige com uma passada resoluta, mas pausada, até à mesa. O Encapuçado acompanha-a com o olhar, até que chega à mesa e se senta ao seu lado.
E(ncapuçado) - abeirando-se da Velhinha segreda-lhe - « Sabes quanto tempo me puseste à espera? Pensei que me ia dar o badagaio.
V(elhinha) - Serenamente, sem sequer o encarar- «Mais vale tarde que nunca, não?» -e, depois, como quem não quer a coisa, arrosta-o, uma bonomia de olhos sorridentes estampada na cara.
E - alvoroçando a surdina- «Ah pois, claro!- sopra sarcasmo entredentes- «E o tosco aqui de plantão»- gesticula para si - «que se dane, não é?»- recacha e revira os olhos com teatralidade.
Aproxima-se ainda mais da mulher, desviando o olhar- «Sabes sequer o que está o que está em jogo? Imaginas sequer o que me espera se me apanham?»
V -Procurando apanhar o olhar do Encapuçado- «Se estivesses assim tão importado com o tempo, não estavas agora a fazer esta birra» -* os olhos sorriem-lhe inexpressivamente* . «Já podíamos ter isto despachado…» - reponta, enquanto rebusca o cigarrito do costume no fundo da carteira . «Aliás, sabes bem que estás a salvo aqui» - afiança, enquanto abeiça o cigarro e chispa o isqueiro .
Depois de puxar uma passa, para desafogar a tensão, torna a tranquilizar - «Ninguém há-de dar contigo. Este sítio está às moscas, nem o servente está ao balcão» - esguelha para lá com os olhos, antes de voltar a fitar o Encapuçado - «está na dispensa a passar pelas brasas, como de costume...»
E - Detém o olhar da Velha por uns instantes, a ruminar nos próprios dentes, de nervosismo. Acaba por engolir a impaciência. Recompõe-se. - «Deste-lho?»
V « Sim.»
E «E então?» - faz um gesto circular com o indicador
V: «Espantou-se um bocado, mas aceitou. Afinal, quem é que diz "não" a dinheiro à borla, não é?» - solta uma baforada velhaca e satisfeita - «Ainda para mais, às mãos de uma inocente velhinha…» - pestanejou, afectando uma caricatura de inocência seráfica, sorrindo-se.
E « Se adivinhasse sequer quem és na verdade…»
V - Atalhando o devaneio do encapuçado - « Mas não sabe… E isso dá-nos uma vantagem crucial. Já aceitou a primeira parte do trato. Se gastar o dinheiro, fica a dever-me um favor» - com malícia a transbordar-lhe por entre os beiços jucundos.
E «És aterradora» - murmura por entre um esgar risonho - «E assim que o fizer…»- faz um muxoxo - «entro eu…» - remata, arregalando os olhos e alçando o sobrolho, com entusiasmo destravado.
V «Nem mais. Já sabes como vais fazer?»
E «Ainda estou a congeminar a coisa... - retruca. Um polegar enlevado, aflora-lhe o arco-de-cupido dos lábios - «Mas, também…» - sacode a ideia com a mão, como que repente tornando com os pés à terra - «É só um adolescente, não há-de ter grandes coisas metidas na cabeça, além de videojogos, mamas e bater gaiolas...»
V « Tem de ser um desejo bastante forte. Se pudesse, fazia-o eu, mas… - trejeita com contrafeita resignação- já sabes como é, não posso ser eu a tentá-los…»
E « Não te preocupes. Quem melhor para fazer os homens cair em tentação que eu?»
A Velhota compraz-se com as palavras do Encapuçado e esborracha o cigarro contra o cinzeiro. Levanta-se, lesta e airosamente, e afasta-se da mesa para sair. As luzes apagam-se lentamente.
FIM DE CENA
submitted by Obstinate_slob to escrita [link] [comments]


2020.02.16 18:09 felipearcaro Oi, bom dia (uma distopia)

Oi, bom dia
Como anda sua saúde? Te perguntam enquanto você assina o termo de admissão do seu novo trabalho. Pressão tá show de bola e você não tem nenhum histórico de doença cardíaca. Está apto para trabalhar. Viu? Tá escrito aí! Você chega em casa e lê no The Sun que um Apple Watch salvou a vida de um cara com problema no coração. Maravilhas da tecnologia moderna, você pensa, como as pessoas viviam no passado?
O tempo passa, você já subiu uns três cargos nessa mesma empresa e agora lidera um departamento todo. Você compra esse relógio novo que saiu, e agora, da mesma forma que você acompanhava relatórios financeiros, você também acompanha seu nível glóbulos brancos e vermelhos no cantinho desse dashboard de saúde que você tem no seu celular, computador e televisão. Tá na nuvem!
Que incrível! Nunca mais vou ficar gripado, você reflete, agora só falta inventarem um remédio pra ressaca. Seu chefe, seu seguro de saúde, seus pais e sua esposa também tem acesso à esse mesmo dashboard, porque afinal de contas eles se preocupam muito com você. Por diferentes motivos, todos eles querem que você esteja com a sua saúde lá em cima. Você fuma e às vezes bebe um pouco mais do que deveria no happy hour que acontece toda semana religiosamente. Networking é tudo né? Você sabe que precisa parar, mas a vida é uma só, e você não quer viver pra trabalhar e pagar contas.
Sua esposa acha que você não a ama o suficiente, sua mãe acha que você está se matando aos poucos, seu seguro de saúde acha que você está sendo sacana pra receber uma bolada e seu chefe, bom, seu chefe diz que precisa te liberar pra que você explore outras oportunidades. Todos esses argumentos estão fortemente embasados em seus dados vitais. Maldito esse relógio que foi inventar de salvar uma vida.
O tempo passa, você repara que tem um filtro novo no Instagram e conversa com os amigos sobre como você tem compartilhado sua vida na internet, agora sem trabalho e solteiro, desce a bebida que pisca. Você ainda não sabe direito se essa vai pro feed ou pro stories. Só to compartilhando minhas experiências pra não esquecer de nada, você rebate. É pra isso que serve, não é? Hm, você queimaria os álbuns daquela sua viagem pra Europa depois de alguns meses, ou talvez, de 24 horas? Bem, alguns dizes que combina com a efemeridade da vida. Foi pro stories e pro feed, só pra acabar com essa discussão sem sentido.
Vocês conversam sobre como o seu celular te escuta o tempo todo, e acham que porque falaram sobre as praias de Portugal, agora estão te oferecendo um montão de pacotes de viagem pra praia em toda propaganda que aparece. Que absurdo, estão te ouvindo assim, na cara dura. Você repensa seu comportamento online. Aquela stalkeada na famosinha do Instagram que lançou uma marca nova de biquíni, suas compras, suas músicas preferidas e seus likes jogam na cara do algoritmo que você tá morrendo de vontade de ir pra praia. Na verdade ele não escutou você falando, mas previu o seu comportamento baseado no que você, com todo o carinho do mundo, entregava de mão beijada.
Nos alimentados da era da informação, da era do entretenimento, e isso está mais em alta do que nunca. Você tenta lembrar a última vez que enfrentou a fila do pão sem puxar o celular. Essa sua atenção vale muito dinheiro e exerce um papel fundamental em como serão seus próximos anos. Você dá a sua atenção, os gigantes do vale do silício te dão serviços gratuitos e algumas propagandas e as empresas pagam os gigantes para que essas propagandas sejam cada vez mais exatas. Mas tá tudo bem, pelo menos você não precisa esperar mais uma semana pra assistir um novo capítulo daquela série na TV.
O tempo passa, você continua consumindo uma enorme quantidade de dados, comprando online e, obviamente, indo pra praia. Seu relógio, ou qualquer outra coisa parecida, continua detectando todas as deficiências que surgem no seu corpo e as trata quase que instantaneamente. Você nunca se sentiu melhor e seu perfil nunca foi tão bem definido. Você é literalmente um diferentão, a última bolacha do pacote. Você é estudado, lê a Forbes e tem 37% de chance de ficar gripado em dias de chuva com menos de 21 graus.
Você faz terapia toda quarta às 7h da noite e sai da sessão com sua serotonina 29% acima do normal, coincidentemente de cara pra um outdoor eletrônico que te oferece a casa dos sonhos, que você acha que não viu. O seu nível de serotonina normalmente demora 42 minutos pra voltar ao normal, tempo suficiente pra receber uma notificação aleatória de que uma pessoa bem próxima, que você acompanha religiosamente como uma séria da Netflix, acabou de postar uma foto. Você abre o celular e tem a sensação de que já viu essa casa do anúncio em algum lugar.
Você é vegano e trader de criptomoeda. Ah, mas isso não precisa nem de tecnologia pra todo mundo ficar sabendo né? (Perdão, é recalque). O tempo passa, ninguém te entende mais, não conseguem te decifrar. A essa altura você acha propagandas um lixo para o seu cérebro e também não confia mais nas recomendações dos seus amigos, porque afinal de contas, ninguém mais pode compreender a complexidade do seu ser.
Então, ao invés disso, você abre o Google e diz: “Oi, bom dia. Baseado em todos os dados que você possui sobre mim, qual é a marca de leite de soja que eu devo comprar, o lugar que eu devo morar e, antes que eu me esqueça, a mulher que devo escolher pra viver a vida inteira?”
Todo mundo se amarra numa distopia.
submitted by felipearcaro to brasil [link] [comments]


2020.02.10 15:30 KNWRV Escrevi esse conto e gostaria de um feedback

O funeral
Na estante de madeira, uma coleção de livros; uma televisão sobre a bancada, lâmpada fosca de tungstênio, ele se encontrava deitado sobre o teclado do computador, semi-desperto, na tela do computador se lia: “A vida e a morte de zdweddddddd...”. José Augusto era escritor, vivia de pequenos contos, algumas traduções aqui e outras ali. Dava pra pagar o pequeno apartamento em que vivia. Não tinha mais companhia, terminara com a namorada, o cachorro Tufão morreu há um mês. Vivia, ainda que mal vivia.
Prim,Prim...Ah! Acordou de sobressalto, era aquele maldito telefone, pra quê pagava aquela linha? Ninguém mais ligava ali, bom mas alguém ligava... Foi caminhando zonzo, no andar dos bêbados. Alô! É da casaa do senhor José Augustoo? – falava como se puxasse a última vogal de algumas palavras ou era a ligação- É sim. Quem fala? É Helena, mulher do Leonardo. Do Leonardo? Como ele tá? Já faz muito tempo que eu falei com ele! É assim...humf,humf... ele saiu dessa para uma melhor- disse entre choramingos. Meu deus. O funeral vai ser hoje à tarde, uma da tarde, seria bom se você aparecesse no funeral, ele pediu que eu te entregasse algo. Eu vou sim, claro que vou- falava estupefato- Tá certo... Tá certo. Funerária Jerusalém. Tá certo.
Morto, defunto, funeral... hoje? Uma hora? Mas como? Quando? Ele tava doente? Por que ele não falou nada? Faz o quê? Cinco anos? Seis? Sentou-se consternado, novamente, em frente do computador. Eram oito horas e trinta minutos, depois dessa mórbida conversa sentiu seu lábio rachado como as terras áridas do deserto, levantou-se da cadeira, a visão ficou turva e sentiu uma certa vertigem. Escuridão, tudo negro... morte? Morte? Não, ainda não. Andou meio bambo até a cozinha, retirou uma vasilha de água da geladeira. Bebeu direto dela, os copos estavam sujos. Funerária Jerusalém. Eu vou ter que pesquisar onde fica. Voltou ao quarto em duas passadas, sentou todo afobado, abriu o navegador, digitou no site de busca: Funerária Jerusalém. Descobriu que ficava na rua Azul do bairro que vivia, eram três quadras de distância, iria a pé, estava decidido.
Preto, é claro! Tem que ir de preto. Não poderia ir com a regata branca amarelada e esburacada na altura das axilas e nem mesmo o short florido que trajava no momento. Saiu do cômodo e voou pelo quarto para o armário. Cadê? Cadê? Aqui. Tirou uma amassada camisa do armário. Eu passo? É tenho que passar, mas primeiro a calça. Cadê? Cadê? Aqui! Pegou uma calça negra, mas com um buraco na parte esquerda da calça. Tem outra? Não, não tem. Droga! Jogou a calça e a camisa na cama. Meias? Precisa de meias pretas? Melhor né? Cadê? Cadê? Não tem, branco é tranquilo, é só a meia, pegou o único tênis que tinha; claramente preto. O tênis estava deplorável, a camisa amassada e a calça furada, mas era o que ele tinha.
Tem que passar a camisa... passo? Eu passo... não pra quê? Ninguém vai reparar, ninguém sabe que José Augusto é apenas um fracassado de quarenta anos, ninguém sabe, nem saberá. Que horas são? Olhou o relógio, já eram doze horas, mas já? Quanto tempo foi perdido nas roupas? Talvez uma fenda o tempo se abriu e me sugou para dentro e eu não percebi? Talvez o preto fosse uma espécie de cor sagrada em que o contato possibilitava romper as barreiras da realidade, os questionamentos fluíam da cabeça de José Augusto tomando forma na realidade, enfim concluía sempre seus pensamentos com um: “Hmm... devo escrever uma história sobre isso”. Já eram doze horas, isso lhe era inegável, ainda que tentasse justificar com ideias de ficção científica. É realmente não dá para passar. Voltou à cozinha; abriu a geladeira, tinha um pequeno prato com um pedaço de carne, pegou a margarina, caminhou até o fogão, ligou-o, chama alta, derramou quase toda a margarina na frigideira, fritou o bife, o boi morto ardia no metal, chiando, o som agudo causava certa irritação em seus ouvidos, levou o dedo ao ouvido, evitando o som que em poucos segundos cessou. Cortou um pedaço de pão velho perdido pela cozinha em uma cesta perto da geladeira, pôs a carne nele, comeu em duas mordidas. Tomo banho? Cheirou-se, não havia odor algum, não, só troco de roupa. Voltou ao quarto, trocou o folgado short que usava pela camisa amassada e a calça rasgada. Era hora de ir ao funeral.
Saiu do apartamento, trancou a porta, desceu as escadas, abriu o pequeno portão. Começou a andar no quarteirão, o sol estava queimando, os prédios mais distantes apareciam em formas distorcidas em meio ao calor como se fossem visões de uma realidade que nunca existira. Passou o primeiro cruzamento; faltavam três; uma velha corcunda vestida com um vestido florido e com cabelos brancos que pareciam brilhar em meio ao sol esperava no segundo cruzamento, ela quer atravessar? Ajudar uma velha, eu sou o quê, um escoteiro? Isso é tão ridículo. José confrontava a ideia de ajudar uma velha a atravessar a rua e não fazer nada, não importava sua escolha ambas aos seus olhos lhe pareciam ridículas, a primeira era algo quase que irreal, algo como um drama de uma história sem sal, típicas do seu trabalho de escritor menor; a segunda porque em nada mudaria o destino das estrelas no universo, uma pequena ação em uma rua tão pequena, nada poderia mudar o significado do mundo, porém alguma ação de José Augusto já havia mudado o universo? Ele pesava ambas com cuidado, agindo com uma balança perfeitamente regrada, ele sentia o que cada uma poderia causar: no fim concluiu que ajudar ou não ajudar não importava.
Quem sabe a primeira me compre um lugar no céu. Acreditava no céu? Isso não se sabe, nem ele sabia disse ao certo. José ia à igreja algumas vezes, sabia decorado alguns salmos, o pai-nosso, a ave-maria, credo e mais algumas, o tempo que passara na Eucaristia e em sua Crisma, lhe fora cansativo, porém internalizara bem os comandos de Dona Susana, mas não chegou a concluir se tinha uma fé verdadeira ou imposta, a verdade que nem ele sabia no que acreditava: às vezes se baseava puramente na ciência outras vezes falava de coisas imateriais e justificava com destino e outras coisas assim. Era um ser curioso, um escritor sem muito valor, mas bastante curioso.
Com as dúvidas na cabeça e o sol sobre a cabeça, ele se aproximou da velha corcunda. Senhora quer ajuda? Obrigado, meu filho.- disse abrindo um sorriso com os dentes amarelos, demarcados pela falta de alguns, entre os buracos parecia haver um fogo que ardia de dentro de seu ser. Ele a pegou em sua mão, a mão era fria, como se ele sentisse a mão do falecido que veria no funeral. Cuidadosamente, primeiro um pé e depois um outro, cuidado com os carros. Senhora, não precisa se apressar, vamos devagar. Isso, devagar. A velha somente ficava calada, mostrando seu sorriso furado e amarelo. Enfim atravessaram a rua, com certa lentidão típica daqueles que atravessam para o outro lado da rua. Largou a mão fria já na calçada, olhou os olhos da velha que mais pareciam tragar toda a luz e não emitir nenhuma, desafiando os princípios físicos e disse: A senhora tem que tomar cuidad... Tá falando com quem otário?! Disse um garoto com boné para trás que passava pela rua.
José Augusto desviou seu olhar para o jovem que passou e depois retornou para onde deveria estar a velha, mas ela já não estava mais lá. Olhou para os quatros cantos, a velha desaparecera em meio ao sol quente daquela quinta-feira. Como poeira naquele asfalto, a velha sumira diante do mundo, levada pelo vento quente. Como era de tentar justificar tudo José Augusto formava pensamentos desconexos para tentar compreender aquela história: foi o sol, ele pensava, o calor muda a visão e a realidade, apenas pode ser isso, assim como os prédios distorcidos, a velha não passava de uma distorção da realidade, existem algumas teorias físicas que apontam distorções do espaço-tempo, talvez a velha fosse uma extensão dessas distorções, pensava com a cabeça de um físico teórico. Continuou andando pelas cimentadas ruas, o sol queimava, mas ainda andava com passos firmes, formulando outras teorias sobre as distorções do continuum espaço-tempo. Absorto nessas ideias, ele não percebeu que apesar do sol incidir obliquamente sobre seu corpo, ele não tinha sombra, um fato muito mais curioso, haja visto que a velha caminhava logo atrás dele, sem nenhum som, ou seja seu desaparecimento não valia a pena ser investigado porque já reaparecera. Sob o sol forte, ele, enfim, chegou em frente à funerária, uma casa azul, com algumas flores amarelas na entrada e uma árvore murcha. José entrou fazendo o sinal da cruz.
“José”. Helena, há quanto tempo; Helena usava a típica roupa de viúva; negra, usava um véu sobre a cabeça branco que destoava, mas era o mais típica possível. Havia dois vasos com flores vermelhas na sala, no caixão do defunto, mais flores vermelhas e ao redor vários olhos vermelhos e inchados de choro. Perto do caixão estava a mesma velha corcunda do vestido florido, ela abriu o mesmo desdentado sorriso amarelo e José Augusto atônico, desviou o olhar das chamas que ardiam entres os furos de seu sorriso. O que foi José? Parece que viu um fantasma. Não é nada... não é nada, Helena. Ela tinha o nariz e os olhos verdes avermelhados, possivelmente do choro, pensava José. A idade não havia sido severa com Helena, ela ainda continuava bonita quando nos tempos da juventude. Ela um tanto apressada, com medo de não ter outra oportunidade, ela tirou do bolso uma pequena foto e disse: José, o Leonardo pediu para eu te entregar. Ela então entregou a foto amarelada: José e Leonardo jovens, em tempos de faculdade, sentados sobre o capô de um gol branco, José ria e Leonardo sorria olhando para baixo, o sol incidia sobre o vidro e aquele momento ficou capturado como uma alegre lembrança. Bons tempos, do que será que ele morreu? Eu pergunto? É rápido...ele olhou o nariz vermelho e subitamente sua coragem cedera, não, não pergunto, do que adianta saber, em que isso mudaria a situação?
Ele nunca me contou o porquê de vocês terem brigado, disse Helena com um certo tom de inocência na voz revelando seu inerente desejo de saber o porquê de tão bons amigos terem parado de se falar repentinamente, faz tanto tempo- disse lentamente José Augusto- eu nem lembro o motivo... eu devia ter pedido desculpas, ele olhava para os azulejos à portuguesa do chão. Ele também deveria, disse Helena abrindo um sorriso de complacência, sabendo da personalidade cabeça-dura de seu finado marido. Eles se despediram de uma forma silenciosa, Helena foi receber outros que chegavam, José sentou na cadeira de plástico bamba do canto esquerdo, com a foto na mão direita, que manuseava incessantemente entre os dedos, ele olhava fixamente para o caixão, assim como para a velha. Permaneceu sentando no canto por longos trinta minutos, alheio ao mundo; revivendo o garoto solitário que ficou amigo do garoto popular, dos jovens na faculdade, das alegres brincadeiras e queria lembrar o motivo da briga, mas não lembrava, fixava os olhos cansados sobre a foto, esquecera da velha por um momento, tentava lembrar com todas as suas forças o motivo da briga, mas não lembrava. Revisitando suas diáfanas memórias de amizade e juventude, dos namoros e diversões, de seu melhor amigo improvável, fez com que escorresse, por sua face que já enrugava, uma lágrima, somente uma, mas uma escorreu.
Levantou-se, foi-se embora lentamente, sem ninguém perceber, abriu a porta e saiu da funerária, também fazendo o sinal da cruz. A velha do sorriso amarelo o acompanhou; passou pela árvore murcha e as flores da entrada, sob o sol ainda fervente, voltou ao seu apartamento, alheio ao mundo, despercebendo as mudanças que os prédios sofriam, deixando a forma de prismas retos, para uma forma arredondada e curvada. A velha corcunda que o acompanhava, fazia o papel de sua sombra que inexplicavelmente sumira. José Augusto normalmente iria criar teorias científicas, filosóficas ou qualquer outro motivo para aqueles momentos, porém absorvido no passado que revivia em lembranças não pensava nisso, abriu a porta do seu apartamento que rangeu como um último grito de um moribundo, sentia em seu peito uma necessidade de escrever, sem trocar a roupa, comer ou beber água, encaminhou-se ao escritório, colocou a foto em cima da bancada, sentou em frente ao computador, a velha do sorriso amarelo ficara no canto do cômodo observando-o trabalhar, o seu sorriso era cada vez mais macabro, mas o escritor nada notava, apenas digitava, tudo que sentira naquela revisitação de suas memórias. José Augusto escrevera, até o anoitecer e além, o livro de sua vida: “Duas vozes”, a lua já estava alta e as estrelas cantavam, sentiu um grande sono e caiu sobre o teclado dormindo, com um sorriso escancarado, reconhecendo que escrevera uma obra digna de autores como Proust, Machado e Joyce, quem sabe estaria ele ao lado deles, após aquele livro.
A velha aproximou-se, deu-lhe um abraço e trouxe um pequeno cobertor do quarto para José, por uma última vez ela abriu o sorriso amarelo: É uma história bonita. Parabéns, José Augusto. Disse com sua voz fria e profunda que ecoava em uníssono com o silêncio do quarto frio.
“Duas vozes” virou um sucesso, falava-se dela nas ruas, na tevê, ganhara a aclamação de crítica e público, suas passagens eram recitadas por jovens e velhos e até sua abertura, que para os leitores era tão icônica, virou frase de para-choque de caminhão e tatuagens na pele de muitos que nunca viram o rosto de José Augusto, a frase era mais ou menos assim: “Cuide de suas lembranças, elas são o cemitério que você leva na cabeça”.
“Duas vozes” era claramente uma versão poética de sua amizade com Leonardo e todas as aventuras de infância, juventude e maturidade pelas quais passaram. Os críticos que a aclamaram depois, perceberam facilmente essa criação poética das lembranças e suas semelhanças com a realidade. Assim como destacam que foi escrita na quente quinta-feira do funeral de Leonardo e da morte de José Augusto.
submitted by KNWRV to EscritoresBrasil [link] [comments]


2020.02.01 11:53 novads Vestuário para Homem

Alô alô a todos,
Sinceramente, não sei se existe algum post semelhante a este.
Homens do reddit, em que lojas se costumam vestir? Qual a vossa preferência em termos de lojas e porquê? Qualidade, preço, atendimento (Sim, também ajuda), etc..
Mulheres de reddit, de que maneira é que acham que os homens se poderiam vestir melhor? Será que acessórios fazem diferença (relógio, cachecol) ?

Que combinação de outfit preferem?

Basicamente é um post tipo /malefashionadvice, mas versão tuga
submitted by novads to portugal [link] [comments]


2020.01.31 15:41 LadyHuntress_ Por que as pessoas não aceitam que algumas mulheres NÃO querem ser mães?

Eu sou solteira, nem namorado tenho e as pessoas (mulheres com filhos geralmente) enchem o saco falando "quando você for mãe blá blá blá" (depende do assunto) e quando falo que não serei parece que falei que vou matar alguém, falam que um dia vou mudar de ideia, que nunca vou conhecer o amor verdadeiro, que vou ser infeliz e sozinha, que não vai ter ninguém pra cuidar de mim quando for velha, que meu relógio biológico vai apitar e tal Hoje em dia ate mudo de assunto se cai nisso Muitas ex colegas de escola minhas tem filhos, aí as pessoas acham que só por isso tenho que ter também! E nao é só eu, uma amiga minha casou recentemente e sempre enchem o saco dela também, sendo que ela nem o marido querem. Não sei porque algumas pessoas não aceitam isso, essas pessoas não vão dar suporte nenhum pra mãe, tenho certeza. Não é que eu não goste de crianças, mas tenho irmãos mais novos e sei o quanto é difícil cuidar de um filho, é caro, desgastante, atrapalha a carreira, os estudos, deixa os pais preocupados etc
Só um desabafo como diz o nome do sub
submitted by LadyHuntress_ to desabafos [link] [comments]


2020.01.16 01:33 KNWRV O Funeral

Na estante de madeira, uma coleção de livros; uma televisão sobre a bancada, lâmpada fosca de tungstênio, ele se encontrava deitado sobre o teclado do computador, semi-desperto, na tela do computador se lia: “A vida e a morte de zdweddddddd...”. José Augusto era escritor, vivia de pequenos contos, algumas traduções aqui e outras ali. Dava pra pagar o pequeno apartamento em que vivia. Não tinha mais companhia, terminara com a namorada, o cachorro Tufão morreu há um mês. Vivia, ainda que mal vivia.
Prim,Prim...Ah! Acordou de sobressalto, era aquele maldito telefone, pra quê pagava aquela linha? Ninguém mais ligava ali, bom mas alguém ligava... Foi caminhando zonzo, no andar dos bêbados. Alô! É da casaa do senhor José Augustoo? – falava como se puxasse a última vogal de algumas palavras ou era a ligação- É sim. Quem fala? É Helena, mulher do Leonardo. Do Leonardo? Como ele tá? Já faz muito tempo que eu falei com ele! É assim...humf,humf... ele saiu dessa para uma melhor- disse entre choramingos. Meu deus. O funeral vai ser hoje à tarde, uma da tarde, seria bom se você aparecesse no funeral, ele pediu que eu te entregasse algo. Eu vou sim, claro que vou- falava estupefato- Tá certo... Tá certo. Funerária Jerusalém. Tá certo.
Morto, defunto, funeral... hoje? Uma hora? Mas como? Quando? Ele tava doente? Por que ele não falou nada? Faz o quê? Cinco anos? Seis? Sentou-se consternado, novamente, em frente do computador. Eram oito horas e trinta minutos, depois dessa mórbida conversa sentiu seu lábio rachado como as terras áridas do deserto, levantou-se da cadeira, a visão ficou turva e sentiu uma certa vertigem. Escuridão, tudo negro... morte? Morte? Não, ainda não. Andou meio bambo até a cozinha, retirou uma vasilha de água da geladeira. Bebeu direto dela, os copos estavam sujos. Funerária Jerusalém. Eu vou ter que pesquisar onde fica. Voltou ao quarto em duas passadas, sentou todo afobado, abriu o navegador, digitou no site de busca: Funerária Jerusalém. Descobriu que ficava na rua Azul do bairro que vivia, eram três quadras de distância, iria a pé, estava decidido.
Preto, é claro! Tem que ir de preto. Não poderia ir com a regata branca amarelada e esburacada na altura das axilas e nem mesmo o short florido que trajava no momento. Saiu do cômodo e voou pelo quarto para o armário. Cadê? Cadê? Aqui. Tirou uma amassada camisa do armário. Eu passo? É tenho que passar, mas primeiro a calça. Cadê? Cadê? Aqui! Pegou uma calça negra, mas com um buraco na parte esquerda da calça. Tem outra? Não, não tem. Droga! Jogou a calça e a camisa na cama. Meias? Precisa de meias pretas? Melhor né? Cadê? Cadê? Não tem, branco é tranquilo, é só a meia, pegou o único tênis que tinha; claramente preto. O tênis estava deplorável, a camisa amassada e a calça furada, mas era o que ele tinha.
Tem que passar a camisa... passo? Eu passo... não pra quê? Ninguém vai reparar, ninguém sabe que José Augusto é apenas um fracassado de quarenta anos, ninguém sabe, nem saberá. Que horas são? Olhou o relógio, já eram doze horas, mas já? Quanto tempo foi perdido nas roupas? Talvez uma fenda o tempo se abriu e me sugou para dentro e eu não percebi? Talvez o preto fosse uma espécie de cor sagrada em que o contato possibilitava romper as barreiras da realidade, os questionamentos fluíam da cabeça de José Augusto tomando forma na realidade, enfim concluía sempre seus pensamentos com um: “Hmm... devo escrever uma história sobre isso”. Já eram doze horas, isso lhe era inegável, ainda que tentasse justificar com ideias de ficção científica. É realmente não dá para passar. Voltou à cozinha; abriu a geladeira, tinha um pequeno prato com um pedaço de carne, pegou a margarina, caminhou até o fogão, ligou-o, chama alta, derramou quase toda a margarina na frigideira, fritou o bife, o boi morto ardia no metal, chiando, o som agudo causava certa irritação em seus ouvidos, levou o dedo ao ouvido, evitando o som que em poucos segundos cessou. Cortou um pedaço de pão velho perdido pela cozinha em uma cesta perto da geladeira, pôs a carne nele, comeu em duas mordidas. Tomo banho? Cheirou-se, não havia odor algum, não, só troco de roupa. Voltou ao quarto, trocou o folgado short que usava pela camisa amassada e a calça rasgada. Era hora de ir ao funeral.
Saiu do apartamento, trancou a porta, desceu as escadas, abriu o pequeno portão. Começou a andar no quarteirão, o sol estava queimando, os prédios mais distantes apareciam em formas distorcidas em meio ao calor como se fossem visões de uma realidade que nunca existira. Passou o primeiro cruzamento; faltavam três; uma velha corcunda vestida com um vestido florido e com cabelos brancos que pareciam brilhar em meio ao sol esperava no segundo cruzamento, ela quer atravessar? Ajudar uma velha, eu sou o quê, um escoteiro? Isso é tão ridículo. José confrontava a ideia de ajudar uma velha a atravessar a rua e não fazer nada, não importava sua escolha ambas aos seus olhos lhe pareciam ridículas, a primeira era algo quase que irreal, algo como um drama de uma história sem sal, típicas do seu trabalho de escritor menor; a segunda porque em nada mudaria o destino das estrelas no universo, uma pequena ação em uma rua tão pequena, nada poderia mudar o significado do mundo, porém alguma ação de José Augusto já havia mudado o universo? Ele pesava ambas com cuidado, agindo com uma balança perfeitamente regrada, ele sentia o que cada uma poderia causar: no fim concluiu que ajudar ou não ajudar não importava.
Quem sabe a primeira me compre um lugar no céu. Acreditava no céu? Isso não se sabe, nem ele sabia disse ao certo. José ia à igreja algumas vezes, sabia decorado alguns salmos, o pai-nosso, a ave-maria, credo e mais algumas, o tempo que passara na Eucaristia e em sua Crisma, lhe fora cansativo, porém internalizara bem os comandos de Dona Susana, mas não chegou a concluir se tinha uma fé verdadeira ou imposta, a verdade que nem ele sabia no que acreditava: às vezes se baseava puramente na ciência outras vezes falava de coisas imateriais e justificava com destino e outras coisas assim. Era um ser curioso, um escritor sem muito valor, mas bastante curioso.
Com as dúvidas na cabeça e o sol sobre a cabeça, ele se aproximou da velha corcunda. Senhora quer ajuda? Obrigado, meu filho.- disse abrindo um sorriso com os dentes amarelos, demarcados pela falta de alguns, entre os buracos parecia haver um fogo que ardia de dentro de seu ser. Ele a pegou em sua mão, a mão era fria, como se ele sentisse a mão do falecido que veria no funeral. Cuidadosamente, primeiro um pé e depois um outro, cuidado com os carros. Senhora, não precisa se apressar, vamos devagar. Isso, devagar. A velha somente ficava calada, mostrando seu sorriso furado e amarelo. Enfim atravessaram a rua, com certa lentidão típica daqueles que atravessam para o outro lado da rua. Largou a mão fria já na calçada, olhou os olhos da velha que mais pareciam tragar toda a luz e não emitir nenhuma, desafiando os princípios físicos e disse: A senhora tem que tomar cuidad... Tá falando com quem otário?! Disse um garoto com boné para trás que passava pela rua.
José Augusto desviou seu olhar para o jovem que passou e depois retornou para onde deveria estar a velha, mas ela já não estava mais lá. Olhou para os quatros cantos, a velha desaparecera em meio ao sol quente daquela quinta-feira. Como poeira naquele asfalto, a velha sumira diante do mundo, levada pelo vento quente. Como era de tentar justificar tudo José Augusto formava pensamentos desconexos para tentar compreender aquela história: foi o sol, ele pensava, o calor muda a visão e a realidade, apenas pode ser isso, assim como os prédios distorcidos, a velha não passava de uma distorção da realidade, existem algumas teorias físicas que apontam distorções do espaço-tempo, talvez a velha fosse uma extensão dessas distorções, pensava com a cabeça de um físico teórico. Continuou andando pelas cimentadas ruas, o sol queimava, mas ainda andava com passos firmes, formulando outras teorias sobre as distorções do continuum espaço-tempo. Absorto nessas ideias, ele não percebeu que apesar do sol incidir obliquamente sobre seu corpo, ele não tinha sombra, um fato muito mais curioso, haja visto que a velha caminhava logo atrás dele, sem nenhum som, ou seja seu desaparecimento não valia a pena ser investigado porque já reaparecera. Sob o sol forte, ele, enfim, chegou em frente à funerária, uma casa azul, com algumas flores amarelas na entrada e uma árvore murcha. José entrou fazendo o sinal da cruz.
“José”. Helena, há quanto tempo; Helena usava a típica roupa de viúva; negra, usava um véu sobre a cabeça branco que destoava, mas era o mais típica possível. Havia dois vasos com flores vermelhas na sala, no caixão do defunto, mais flores vermelhas e ao redor vários olhos vermelhos e inchados de choro. Perto do caixão estava a mesma velha corcunda do vestido florido, ela abriu o mesmo desdentado sorriso amarelo e José Augusto atônico, desviou o olhar das chamas que ardiam entres os furos de seu sorriso. O que foi José? Parece que viu um fantasma. Não é nada... não é nada, Helena. Ela tinha o nariz e os olhos verdes avermelhados, possivelmente do choro, pensava José. A idade não havia sido severa com Helena, ela ainda continuava bonita quando nos tempos da juventude. Ela um tanto apressada, com medo de não ter outra oportunidade, ela tirou do bolso uma pequena foto e disse: José, o Leonardo pediu para eu te entregar. Ela então entregou a foto amarelada: José e Leonardo jovens, em tempos de faculdade, sentados sobre o capô de um gol branco, José ria e Leonardo sorria olhando para baixo, o sol incidia sobre o vidro e aquele momento ficou capturado como uma alegre lembrança. Bons tempos, do que será que ele morreu? Eu pergunto? É rápido...ele olhou o nariz vermelho e subitamente sua coragem cedera, não, não pergunto, do que adianta saber, em que isso mudaria a situação?
Ele nunca me contou o porquê de vocês terem brigado, disse Helena com um certo tom de inocência na voz revelando seu inerente desejo de saber o porquê de tão bons amigos terem parado de se falar repentinamente, faz tanto tempo- disse lentamente José Augusto- eu nem lembro o motivo... eu devia ter pedido desculpas, ele olhava para os azulejos à portuguesa do chão. Ele também deveria, disse Helena abrindo um sorriso de complacência, sabendo da personalidade cabeça-dura de seu finado marido. Eles se despediram de uma forma silenciosa, Helena foi receber outros que chegavam, José sentou na cadeira de plástico bamba do canto esquerdo, com a foto na mão direita, que manuseava incessantemente entre os dedos, ele olhava fixamente para o caixão, assim como para a velha. Permaneceu sentando no canto por longos trinta minutos, alheio ao mundo; revivendo o garoto solitário que ficou amigo do garoto popular, dos jovens na faculdade, das alegres brincadeiras e queria lembrar o motivo da briga, mas não lembrava, fixava os olhos cansados sobre a foto, esquecera da velha por um momento, tentava lembrar com todas as suas forças o motivo da briga, mas não lembrava. Revisitando suas diáfanas memórias de amizade e juventude, dos namoros e diversões, de seu melhor amigo improvável, fez com que escorresse, por sua face que já enrugava, uma lágrima, somente uma, mas uma escorreu.
Levantou-se, foi-se embora lentamente, sem ninguém perceber, abriu a porta e saiu da funerária, também fazendo o sinal da cruz. A velha do sorriso amarelo o acompanhou; passou pela árvore murcha e as flores da entrada, sob o sol ainda fervente, voltou ao seu apartamento, alheio ao mundo, despercebendo as mudanças que os prédios sofriam, deixando a forma de prismas retos, para uma forma arredondada e curvada. A velha corcunda que o acompanhava, fazia o papel de sua sombra que inexplicavelmente sumira. José Augusto normalmente iria criar teorias científicas, filosóficas ou qualquer outro motivo para aqueles momentos, porém absorvido no passado que revivia em lembranças não pensava nisso, abriu a porta do seu apartamento que rangeu como um último grito de um moribundo, sentia em seu peito uma necessidade de escrever, sem trocar a roupa, comer ou beber água, encaminhou-se ao escritório, colocou a foto em cima da bancada, sentou em frente ao computador, a velha do sorriso amarelo ficara no canto do cômodo observando-o trabalhar, o seu sorriso era cada vez mais macabro, mas o escritor nada notava, apenas digitava, tudo que sentira naquela revisitação de suas memórias. José Augusto escrevera, até o anoitecer e além, o livro de sua vida: “Duas vozes”, a lua já estava alta e as estrelas cantavam, sentiu um grande sono e caiu sobre o teclado dormindo, com um sorriso escancarado, reconhecendo que escrevera uma obra digna de autores como Proust, Machado e Joyce, quem sabe estaria ele ao lado deles, após aquele livro.
A velha aproximou-se, deu-lhe um abraço e trouxe um pequeno cobertor do quarto para José, por uma última vez ela abriu o sorriso amarelo: É uma história bonita. Parabéns, José Augusto. Disse com sua voz fria e profunda que ecoava em uníssono com o silêncio do quarto frio.
“Duas vozes” virou um sucesso, falava-se dela nas ruas, na tevê, ganhara a aclamação de crítica e público, suas passagens eram recitadas por jovens e velhos e até sua abertura, que para os leitores era tão icônica, virou frase de para-choque de caminhão e tatuagens na pele de muitos que nunca viram o rosto de José Augusto, a frase era mais ou menos assim: “Cuide de suas lembranças, elas são o cemitério que você leva na cabeça”.
“Duas vozes” era claramente uma versão poética de sua amizade com Leonardo e todas as aventuras de infância, juventude e maturidade pelas quais passaram. Os críticos que a aclamaram depois, perceberam facilmente essa criação poética das lembranças e suas semelhanças com a realidade. Assim como destacam que foi escrita na quente quinta-feira do funeral de Leonardo e da morte de José Augusto.
submitted by KNWRV to escrita [link] [comments]


2020.01.15 18:57 qohelet1212 A viúva negra, de Daniel Silva [Gabriel Allon #16]


https://preview.redd.it/74zirbtaeza41.png?width=1013&format=png&auto=webp&s=1b23beccd7d2a70e116a95f391b7c63198128f72
SINOPSE
O lendário espião e restaurador de arte Gabriel Allon está prestes a tornar-se chefe dos serviços secretos israelitas. Porém, em vésperas da promoção, os acontecimentos parecem confabular para o atrair para uma última operação no terreno. O ISIS fez explodir uma enorme bomba no distrito do Marais, em Paris, e um governo francês desesperado quer que Gabriel elimine o homem responsável antes que este ataque novamente. Chamam-lhe Saladino... É um cérebro terrorista cuja ambição é tão grandiosa quanto o seu nome de guerra, um homem tão esquivo que nem a sua nacionalidade é conhecida. Escudada por um sofisticado software de encriptação, a sua rede comunica em total segredo, mantendo o Ocidente às escuras quanto aos seus planos e não deixando outra opção a Gabriel senão infiltrar uma agente no mais perigoso grupo terrorista que o mundo algum dia conheceu. Trata-se de uma extraordinária jovem médica, tão corajosa quanto bonita. Às ordens de Gabriel, far-se-á passar por uma recruta do ISIS à espera do momento de agir, uma bomba-relógio, uma viúva negra sedenta de sangue. Uma arriscada missão levá-la-á dos agitados subúrbios de Paris à ilha de Santorini e ao brutal mundo do novo califado do Estado Islâmico e, eventualmente, até Washington, onde o implacável Saladino planeia uma noite apocalíptica de terror que alterará o curso da história.

Ficam a faltar:
#8 - As Regras de Moscovo;
#18 - A Outra Mulher;
#19 - The New Girl (Penso que ainda não há versão pt-pt)
epub Novos Janeiro 2020 (88) Novos Dezembro 2019 (107) Biblioteca Completa (1541): Mega Dropbox
submitted by qohelet1212 to Biblioteca [link] [comments]


Unboxing Relógio feminino céu estrelado Melhor smartwatch para mulheres  Top 10 Melhores Smartwatches Femininos. Relógio MEGIR sera que é de boa Qualidade??? Achamos em Minas: mulher coleciona relógios antigos [CONGELAMENTO DE ÓVULOS] Mulheres 'driblam' pressão do relógio biológico e contam experiência Relógio inteligente das mulheres dos homens 1.54 Polegada toque completo smartwatch bluetooth chama RELÓGIOS FEMININOS - DIA DA MULHER - YouTube Casio assista mulheres relógios top marca de luxo 50 m à ... Naviforce mulheres vestido relógios de luxo da marca ...

Relógios Das Mulheres Marca De Luxo SKMEI Relógio de ...

  1. Unboxing Relógio feminino céu estrelado
  2. Melhor smartwatch para mulheres Top 10 Melhores Smartwatches Femininos.
  3. Relógio MEGIR sera que é de boa Qualidade???
  4. Achamos em Minas: mulher coleciona relógios antigos
  5. [CONGELAMENTO DE ÓVULOS] Mulheres 'driblam' pressão do relógio biológico e contam experiência
  6. Relógio inteligente das mulheres dos homens 1.54 Polegada toque completo smartwatch bluetooth chama
  7. RELÓGIOS FEMININOS - DIA DA MULHER - YouTube
  8. Casio assista mulheres relógios top marca de luxo 50 m à ...
  9. Naviforce mulheres vestido relógios de luxo da marca ...

Hoje a nossa @danikanginspiracao vai nos falar sobre incríveis modelos de relógios femininos, ideal para presentear aquela mulher especial no dia internacion... O 'Achamos de Minas' de hoje mostra uma coleção de antiguidades muito especial: além de relógios, colecionadora guarda aparelhos de telefone antigos. MEGIR Relógio de Quartzo do Aço Inoxidável Das Mulheres Relógios Senhoras Relógio Marca de Moda de Luxo Auto Data Relógio de Pulso http://s.aliexpress.com/nU... Get Discounts up to 75% here: https://s.click.aliexpress.com/e/_dXCPeNs Naviforce mulheres vestido relógios de luxo da marca senhoras relógio quartzo aço ino... smartwatch femininos da china,relógio smartwatch feminino,smartwatch feminino,relogio inteligente feminino,relogio smart feminino,smartwatch feminino barato,smartwatch feminino android,smartwatch ... Relógio inteligente das mulheres dos homens 1.54 Polegada toque completo smartwatch bluetooth chamada relógios de freqüência cardíaca rastreador de fitness para android ios iwo 12 Compre aqui e ganhe até 70% de desconto: https://s.click.aliexpress.com/e/_d8n9lWt Casio assista mulheres relógios top marca de luxo 50 m à prova d 'água de ... Chegou compras do mercado livre relógios maravilhosos - Duration: 7:36. lauriane reis alves 5,639 views. 7:36. Wet Molded Leather iPhone Holster with Jimmy DiResta - Duration: 11:08. Larissa, Marie e Roquele têm entre 36 e 42 anos. As três fazem parte de um grupo de mulheres que chegou aos 35 anos sem filhos. Com vontades e motivações dis...