Amor 2 amor namoro

oq eu faço meu namoro acabou

2020.10.26 15:06 sinsinemy oq eu faço meu namoro acabou

Terminei meu relacionamento de 1 mês (se conhecíamos a 8 meses) há 1 mês por um impulso e num dia que eu estava totalmente desiquilibrada e ele deu uma crise de ciúme e parou de me responder, fiquei mal, bebi e terminei por impulso = joguei água no castelo de areia.
Nosso relacionamento era gostoso, bom quase perfeito (e não é só porque terminei que nego todos e defeitos e vejo algo bom por carência). Tivemos mais momento bons do que ruins. Tentei reatar, conversar e até ser amiga mas dá aquela recaída e eu começo a falar sobre como a gente era, que eu amava e queria por perto. Me arrependi muito por aquele dia, mas sentia muita esperança em voltar e tentei durante esse último mês, se encontramos, conversamos e tudo mais, mas não "voltamos".
Manter esse contato com ex faz mal, sabemos, mas eu ainda não superei e acho que tem como resolver, porém ele tem medo de estar num relacionamento onde ele jogue confiança e amor e do nada ele desmanchar, acabar que nem foi o nosso término: do nada, sem motivos (ou só naquele momento. A gente se da super bem, se encaixamos e combinamos muito, muita conexão e amor. A única coisa ruim é a insegurança dele e a minha ansiedade.
Somos apaixonados, relacionamento completamente intenso e gostoso, ficamos sério por 7 meses e no 8° a gente decidiu namorar, eu terminei antes de dar 1 mês de namoro.
Hoje faz 1 dia que não falo mais com ele, dói e machuca pra caramba mas o afastamento é necessário, até quando?
Já pedi desculpas, enviei textos, falei sobre nós diversas vezes e tentei várias vezes ir pro assunto sobre voltar, é complicado pra ele e ele não sabe como responder e acha que se voltar vai se arrepender ou que eu de uma hora pra outra acabe com tudo novamente.
Não adianta eu mandar mais mensagens, tentar conversar, me explicar, não adianta. Ele demonstra que me ama mas que é complicado.
Todo dia meu coração dói, tenho sonhos com elee fico ansiosa por uma resposta dele. Doida pra falar com ele.
Mantenho muita esperança. Amo ele demais.
submitted by sinsinemy to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 23:34 ms-phoenix Fim de relacionamento durante a pandemia

Sai de um relacionamento abusivo para me relacionar com alguém que eu acreditei ser o amor da minha vida. Nos primeiros meses (nessa mesma época, só que em 2019) foi tudo incrível, tudo maravilhoso e foi assim até o início da pandemia.
Eu e meu namorado (agora ex) tínhamos uma vida social ativa que se foi totalmente por conta do isolamento social. Eu sabia que isso iria afetar negativamente nosso relacionamento, então, desde abril insisti para fazermos algo diferente para não deixar o relacionamento cair na rotina.
Ele é um cara muito legal, mas é super preguiçoso, apesar de trabalhar, não faz mais nada além de fumar cigarro (o que eu odeio) e maconha (que eu gosto, mas sem exageros) e dormir o dia inteiro, o final de semana inteiro.
Dito e feito: o namoro caiu na rotina. E DETALHE: nós trabalhamos juntos, ele é meu líder imediato na empresa, o que só piora tudo. Não fazíamos nada além de trabalhar nos dias de semana, e no final de semana fumar maconha e assistir série desde o inicio do distanciamento social.
Eu sempre insisti para começarmos a praticar algum esporte, sair pra acampar, fazer trilha ou QUALQUER outra coisa que não envolvesse ficar chapado trancado dentro do quarto o final de semana inteiro e sempre tinha uma desculpa pra não acontecer isso.
Domingo tivemos uma conversa séria sobre isso e eu disse que não estava feliz, ele jurou que ia mudar, que ia ser mais ativo, que ia encontrar um hobbie e que iria diminuir o consumo de erva porque viu como me fez bem ficar sem (eu estou outubro inteiro sem maconha, álcool, carne, açúcar e redes sociais e me curei de um quadro de depressão por conta desse “detox”).
Quarta feira, sem mais nem menos, me chamou no intervalo do almoço, terminou comigo e me mandou voltar a trabalhar, enquanto foi pra casa chorar. (???)
Eu fiquei bem incrédula, mas não fiquei mal porque já não estava feliz com o relacionamento.
Acontece que em 3 dias desde o término ele já encontrou um novo hobbie, saiu de casa para se divertir e hoje saiu para acampar (com a barraca que compramos juntos e nunca usamos por conta das desculpas).
Eu tô triste, com raiva e me sentindo humilhada, porque, lembram que eu falei que eu saí de um relacionamento abusivo antes de namorar com ele? Então, eu não tenho amigos. Não tenho com quem conversar, com quem sair, com quem ter contato.
Eu me dediquei totalmente a esse relacionamento, sempre fiz de tudo por ele e no primeiro final de semana após terminar comigo, ele faz todas as mudanças que eu venho pedindo há 7 meses.
A história tem muito mais detalhes, que eu não vou nem mencionar pra não deixar o texto mais gigante do que já ficou, mas cara, que situação merda. Tô malzona.
TL;DR: insisti meses em mudanças que fariam bem pro nosso relacionamento e ele só mudou depois de terminar comigo.
submitted by ms-phoenix to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 09:00 jimboFromLA Terminar com a namorada e possivelmente acabar com um noivado alheio

O caso é o seguinte: conheci uma garota há 3 meses e logo começamos a namorar. Ela mora sozinha e com frequência realiza rituais religiosos em sua casa. Até aí tudo bem, o que me incomoda é que sempre vai só um amigo dela e mais 1 ou duas pessoas (homens). Já fui em alguns encontros, mas como sou ateu acabei não curtindo muito. Esse amigo dela está noivo, porém, a sua companheira não sabe desses encontros frequentes (1x por semana no minimo).
A noiva do cara já foi junto visitar ela, e segundo ela, nesse dia ela se vestiu "como uma crente" (roupas compridas), pra que a noiva não ficasse com ciúmes. Detalhe: depois dessa visita, a mulher proibiu elE de continuar fazendo os rituais com ela e tbm excluiu minha namorada das redes sociais.
Um dia eu fui na casa dela enquanto esse amigo estava lá, e ela estava com uma roupa curta (já tivemos conversas sobre isso, ela comentou que já teve relacionamentos abusivos em que os caras não deixavam ela usar biquini, e eu falei que não vejo problema, mas que esse caso especifico me incomoda, pelo fato dos dois estarem sozinhos).
Dei uma stalkeada no perfil dele, e tem uma foto de aniversário de namoro em que a legenda é sobre sinceridade no relacionamento, poder dormir com o celular desbloqueado e a consciência tranquila por não ter nada a esconder. Só que eles combinam pelo Whatsapp os encontros, então suponho que ele apague as mensagens e seja o maior hipócrita.
Já conversei com ela sobre isso. E ela disse que isso é um "processo dele", que ela não tem nada a ver. Pelo que vejo é sempre ela que chama ele para ir lá. Parece que nem liga se isso me incomoda ou não. Eles se conhecem há pelo menos 1 ano, e eu cheguei agora na vida dela. Por isso não me sinto a vontade em "proibir" ela de ver ele. Já falei que me chateia o fato de estar omitindo coisas de alguém.
Não quero parecer o ciumento possessivo, mas isso tá me levando a fazer coisas bizarras, como passar na frente da casa dela um dia que ele foi lá, ver as cortinas fechadas e pensar mil coisas.
RESUMO: minha namorada se encontra com frequência com um amigo que está noivo de uma mulher. Ela mora sozinha e eles se veem lá. Ele esconde esses encontros da noiva, pois ela proibiu ele disso.
Devo terminar e contar de alguma forma pra noiva dele? Pq se eu fosse ela, gostaria que me contassem. Tenho fotos deles dois e prints de conversa que ela diz que ele esteve lá. Já sugeri que façamos algum rolê juntos, pra que todos se conheçam, mas ficou só na palavra do cara.
Nao sou uma pessoa rancorosa, mas vejo essa minha ação como uma vingança contra a hipocrisia religiosa de ambos, que sempre falam sobre verdade, honestidade, amor, etc.
Me desculpem se me alonguei no texto, escrevi na correria e não consegui comprimir as ideias. Me ajudem nessa, redditers. Um bejo e obrigado a quem leu até aqui.
Edit: correção concordâncias e acréscimo de informações.
submitted by jimboFromLA to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 00:03 deodorant_sniffer Uma aula de como se respeitar a pessoa que você ama

Passei por um termino de relacionamento nessa segunda-feira. Tivemos pouco tempo de namoro, teve de ser interrompido pq ela vai se mudar de país ano que vem e não queríamos postergar o sofrimento até lá. A decisão foi dela, fui covarde e queria deixar pra terminar em cima da hora, deixando o "planejamento" do sofrimento pra depois, mas ela deu o ultimato de forma corajosa. Depois do termino, ela poderia ter feito de tudo. Poderia ter jogado na minha cara as partes ruins do nosso relacionamento; poderia ter desmerecido o que nós construímos juntos; poderia ter me largado no meio da rua. Mas não. Ela decidiu deixar claro pra mim que o nosso relacionamento, mesmo curto, foi a melhor coisa que aconteceu com ela em anos, e que ela queria manter contato pra saber como que eu ando, como que eu estou.
Pra alguém, como eu, que passou por uma desilusão amorosa meses atrás, no qual a outra pessoa simplesmente fingiu que não tivemos nada depois de tanto amor trocado, confessando que achava que não tínhamos construído nada; no qual de um dia pro outro deixou a sua máscara cair e passou a me tratar de um jeito extremamente desrespeitoso, me submetendo a um terror psicológico e a choros submissos; no qual ela me deixou borbulhando por quatro dias depois do término, sabendo que eu estava sofrendo; no qual dias depois ela simplesmente disse pra mim que não queria mais falar comigo, mesmo que como uma amizade; finalmente me sinto extremamente acolhido pelos braços de alguém que eu sei que mudou a minha vida, e que me garantiu que eu mudei a dela também.
Se um dia você amou a pessoa, não deixe esse amor esvaecer por puro orgulho próprio. Dê o carinho que um dia você já recebeu.
submitted by deodorant_sniffer to desabafos [link] [comments]


2020.10.21 20:49 Thanks_Confident Amor e amizade

Fico meio indignado sobre como a vida é... Conheço essa pessoa desde o 13 anos e sempre fui apaixonado nela... Sabe aquele amor que por mais que passe 8/9/10 anos,mas mesmo assim voce ainda sente atraçao nessa pessoa,e ainda sente que o mesmo aconteçe com ela !!! Troca de olhares,musicas,a mesma vibe,sabe aquela quimica que temos com poucas pessoas na vida?e voce percebe que ela pensa o mesmo... Anos atras contei a ela que que sempre gostei dela(ela ja estava namorando),e ela falou que nunca pensou em mim dessa "forma",mas sabe quando voce tem a impressao que ela falou isso somente para evitar problemas ou criar algo que nao pode acontecer,mesmo nos dois sentindo atraçao um pelo outro. E nessa mesma conversa que tivemos ela falou que nessa epoca da adolescencia se eu tivesse mandado um bilhete de "quer namorar comigo,sim() ou nao() "ela teria aceitado... O problema é que ela começou a namorar o meu quando passei uns anos fora da cidade, e esse amigo sempre foi bem mais bonito que eu,mas ultimamente isso tem mudado,a distancia dos padroes entre nos dois esta diminuindo... Eu digo e repito eu nunca ficaria com ela,e ela nunca ficaria comigo por conta desse amigo !! Pois conheço meu carater e o dela tbm,entao ficarmos nem entra em questao !! Mas ultimamente eu meio que fiquei com a miga dela,e essa amiga contou a ela o que aconteceu...ela veio falar comigo no whats de uma forma interrogativa,demonstrando ciumes e um pouco de raiva por esse acontecimento(tirou a foto do perfil,o visto por ultimo,e esta me respondendo com palvras curtas),nao explicitamente(com palavras)mas nos percebemos a mudanca...principalmente dps de conhecer anos essa pessoa !! Agora só posso aguardar como as coisas vao fluir quando estivermos juntos,pois sempre estamos...
Sei que gostar dela nao é o certo,mas isso nao começou dps do namoro,mas sim anos atras !! O foda é que pra mim ela é a mina mais firmeza que conheci,a atraçao é imensa,mas eu sei que nada pode acontecer e nem vai !!
So queria desabafar mesmo,se quiser comentar algo fique avontade,acho que vai ser bom ver outras formas de interpretaçao dessa minha historia
submitted by Thanks_Confident to desabafos [link] [comments]


2020.10.21 15:35 CigarraMarron Eu sou uma vadia louca?

Bem, pra começar eu nunca fui a pessoa que idealizava o amor romântico, sempre achei essa ideia falsa e as pessoas que diziam viver morrendo de amor fracas e irracionais. Eu me apaixonava toda semana pro uma pessoa diferente, me divertia muito, tinha momentos intensos em vários aspectos, pra mim isso era ótimo, vivia a ideia de "amor" tradicional, mas sem sofrer por isso, já que não me apegava a ninguém. Junto a isso, sempre fui uma pessoa muito ambiciosa e tenho expectativas enormes para meu futuro, e se apegar a qualquer pessoa seria um tiro no pé, pois ia acabar formando família (o que na minha cabeça restringe exponencialmente a capacidade de uma pessoa se movimentar em busca das suas ambições).
Há alguns anos um amigo de infância se declarou pra mim e decidi entrar num relacionamento sério. E embora não estivesse caída de amores por ele, resolvi tentar por que ele sempre foi uma pessoa maravilhosa. Como já era de se esperar, ele foi um companheiro maravilhoso, atencioso, cuidadoso, amoroso, não deixava a desejar no sexo, praticamente o parceiro ideal, mas não pra mim. Ele queria ter família (filhos, cachorro, galinha, cavalo, casa na roça), não tem ambições, é tranquilo e tradicional, não esquenta com nada no universo. Ele ser assim me irritava, pq eu não aceitava que alguém pudesse ser tão passivo, ainda assim fiquei quase 4 anos no relacionamento, pois toda vez que eu pensava em terminar, minha razão me acusava, dizendo que eu tava jogando fora um homem que a maioria das mulheres gostariam de ter. Então fui só empurrando, até que achei desculpas para justificar o fim do relacionamento, me convenci dessas desculpas e pulei fora, sem olhar pra trás (embora até hj fique me pergunte se não teria sido melhor me adaptar a aquele relacionamento).
Mudei de estado, a trabalho e isso me ajudou a superar o fim do relacionamento que seria ideal, mas não pra mim. Corri atrás das minhas ambições, carreira, viagens, amizades, network. Por dois anos fui solteira e me diverti muito, mesmo que as vezes batesse aquela carência e o vazio.
Nesse tempo acabei entrando numa empresa que não me dava perspectiva de crescimento rápido, como sempre acho que não tenho tempo a perder, fiz uma proposta que se ele não pudesse me promover nos próximos 12 meses eu pediria demissão pra fazer intercâmbio. 4 meses antes de embarcar pro intercambio conheci um rapaz legal na empresa e nos aproximamos e começamos a namorar, apesar de meu intercâmbio estar marcado (obvio que eu não desistiria disso por ele, e nem por ninguém). Optamos por continuar o namoro a distância, foram fucking 7 meses infernais. Mas nem eu e nem ele ficamos com outras pessoas, embora eu tivesse dado a ele permissões (e ele não houvesse me dado permissão nenhuma). Nesse meio termo minha mãe (que mora há 2,5h de avião do lugar que meu namorado mora) ficou doente e tive que voltar do intercâmbio e dar assistência a ela. Fiquei 2 semanas com meu namorado e fui embora de novo, passar um mês com minha mãe.
Durante esse um mês que fiquei fora o meu namorado se envolveu com outra pessoa, ele já estava muito confuso, por que eu jurava que amava ele, mas tava sempre abrindo mão dele por outras coisas. AO saber que ele se envolveu com outra pessoa eu surtei do fundo do meu coração (embora concorde com relacionamento aberto e tivesse anteriormente dado permissões a ele), comecei a julgá-lo e culpa-lo, embora minha razão dissesse: "ele tolerou coisas que nem vc toleraria e ele ainda quer ficar com vc e é sincero com vc".
Meu namorado está muito confuso, e não confia muito em mim. O que é muito compreensível pq eu dou bastante brecha tanto pra a confusão quanto pra desconfiança. Eu vivo como se fosse muito desapegada, embora eu tenha um sentimento por ele, nunca faço promessas de amores eternos e sempre digo que vamos durar até quando durarmos e isso deixa ele bem inseguro, ele acha que não quero futuro com ele. Por mais que eu sinta por ele, tudo que sinto, eu não consigo deixar claro o quanto ele vale pra mim, e na verdade eu nem sei se vale, ou se ele é só o espelho do que eu achava ideal (já que tem as mesmas ambições que eu).
No meio dessa confusão de ele ter ficado com outra pessoa, demos um tempo de 1 semana, que era o tempo que faltava pra eu retornar pra cidade dele. Falei que ele estava solteiro até eu voltar, ele se aproximou da moça com quem ele ficou e agora que cheguei tivemos uma conversa muito séria, ele disse que queria ser solteiro, pra viver aventuras, já que nunca foi solteiro desde os 18 anos, tive a impressão de que ele estava gostando dessa moça (mas em uma semana? Como pode ser? Carência?), ele disse que não quer terminar comigo pq me ama, mas que sente falta de algumas coisas em mim (como a presença física e emocional, e sexo, já que pra ele transar 4 vezes ao dia parece pouco), sugeriu que eu abrisse o relacionamento pra ele, pra ele suprir essas ausências minhas que confesso que são significantes pra ele e ele sempre deixou claro. Eu analisei bem e decidi que queria tentar isso, como uma forma de compensá-lo por ter tolerado as situações que trouxe pra nosso relacionamento que só tem um ano e cujo eu passei um total de 8 meses longe, sem vê-lo. Só que apesar de ser super de boa com a ideia de abrir relacionamento, poliamor e tudo mais, eu comecei a cobrar dele que ele não deveria me impor isso (sendo que ele sempre se mostrou bem aberto a negociações e sugestões e demonstrou o quanto se importava com meus sentimento em relação a isso). Minha cabeça aprovou isso, mas minhas emoções estão transformando isso num inferno pra mim e pra ele e tudo que faço e pressionar. E agora estou pensando em trai-lo, pq estou "muito magoada" e "quero que ele me pague por fazer eu passar por isso". Ele desde o inicio foi bem claro que não abre a relação, ele jamais aceitaria e tmb odeia mentira e traição, por isso tem me contado tudo que tem feito. Marquei alguns encontros aos quais comparecerei. Mas tenho achado injusto, justamente por ele ser tão transparente comigo.
Ai comecei a me questionar, será que gosto mesmo desse rapaz e só estou com ciumes e medo de perdê-lo depois de tudo que passamos e ainda estamos "juntos"?
Será que só tô apegada a ideia de futuro com ele (devido nossos objetivos similares)?
Será que só sou uma vadia louca brincando com o sentimento de alguém que nunca me deu espaço pra desconfiança?
Será que no fundo eu sou egoísta demais pra ficar com alguém e tenho que me acostumar com a ideia de viver só na vida, seguindo meu preceito de desapego (simplesmente pq não quero abrir mão de nada por alguém)?
Sejam sinceros, sem medo de me magoar, sei que a maioria aqui tem a mente bem aberta e poderá me criticar de forma racional.
submitted by CigarraMarron to desabafos [link] [comments]


2020.10.21 00:27 ParamedicSad2440 Acho que tenho ejaculação precoce e não sei o que fazer

Eu vi uma outra pessoa postando aqui e tomei coragem. Eu tenho 21 anos, e namoro há quase 6, é minha primeira namorada, perdi minha virgindade com ela e toda vez que fazemos amor é muuuuito bom. Ela me chupa muito bem, e eu tento fazer o medo por ela, sempre faço ela gozar, ou faço ela fingir, mas sempre tento fazer ela ficar satisfeita para começar a penetração, pois quando começamos eu me perco naquela escultura de mulher e gozo muito rápido, as vezes 1 minuto, as vezes 3, já aconteceu de ficarmos 15 minutos mas é raro, a maioria das vezes é entre 1 e 3. Principalmente se ficamos muito tempo sem fazer, aí vai mais rápido ainda, já tentei em pensar em coisas diferente (mas não consigo por muito tempo, eu acho ela muito gostosa), já bati uma antes, e aí realmente dura mais, mas não é tão bom.
Já aconteceu de algumas vezes conseguirmos ir 2 vezes e na segunda durar bem mais.
O que faço? Procuro Psicólogo? Será uma questão física? E que porra que acontece que as vezes dura e é bom pra carai e as vezes eu a decepciono?
Ela nunca reclamou, sempre foi muito parceira, fala que entende, fica comigo, mesmo em algumas vezes eu tenha chorado. Mas é evidente a decepção no rosto dela.
submitted by ParamedicSad2440 to desabafos [link] [comments]


2020.10.20 03:53 Control-Much Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

Geralmente eu não sou um cara de pedir auto-ajuda, sinceramente esse é meu primeiro post aqui no Reddit, (acredito que já lurkei o suficiente) a real é que eu fui abusado pela amante do meu pai bem novo. (ela tinha 24 e eu tinha 8) isso se perpétuo até meus 13 eu acho com isso a infame desgraçada além de enfiar o dedo no meu rabo conseguiu me transformar em um garoto bem introvertido e quieto, logo, um punheteiro bem novo ela conseguiu me “depravar” bem novo fazendo eu me tornar uma batata social que vivia em função de realizar os desejos pedófilos dela, na real é que eu me sinto culpado por gostar disso além dela ser amante do meu pai e morar na minha casa como se fosse filha da minha mãe (ela simplesmente agiu como santa para ser acolhida pela minha mãe, a mesma tratava ela como minha irmã) logo isso me fez desenvolver vários problemas como fobia social e problemas de insônia pós ela fazia questão de me “felar” a noite assim quando bem entendia, eu geralmente falava não e que ela não podia fazer aquilo comigo então ela tampava minha boca com a mão e continuava.
A longo prazo isso me ferrou de diversas formas tanto nos meus relacionamentos, quanto na vida social e profissional. Além deu ter ereções aleatórias, isso não parou nem depois da puberdade. Eu sou um viciado em pornografia e sexualizo coisas simplesmente não saudáveis, claramente minha mente se tornou perturbada depois daquilo, mas eu nunca desenvolvi um quandro mais sério quando eu era novo, não comparando do que eu desenvolvi uns anos para cá.
Bom, assim que eu cheguei nos 14 e arrumei minha primeira namorada é que eu tive uma epifania, a primeira é que minha vó é uma arrombada (ela simplesmente impatou a minha primeira foda porque minha mãe pos ela de babá para não deixar eu meter o boneco na menina, depois que minha vó expulsou ela da minha casa logo depois essa garota terminou comigo) a segunda é que minha vida não tinha muito sentido as pessoas me usavam para ter o que elas queriam seja prazer momentâneo, objetos, serviços ou apóio moral e logo depois me descartam como um trapo velho, isso tudo veio junto com a morte do meu tio com 42 facadas na barriga, querendo ou não meu tio além de um grande cheirador de coca, era um dos meus melhores amigos (Ele me mostrou jogos online, lan houses, amigos, e cuidava de mim verdadeiramente sem pedir nada em troca além de um dinheiro para ele comprar um saquinho da fininha as vezes) Ele simplesmente curou minha fobia social e fez eu ter a infância que eu tinha perdido por ser um escravo sexual sem amigos de uma deposito imunda que nunca se importou comigo.
Assim que ele morreu meu mundo desabou foi a primeira experiência com a morte que eu tive, logo de alguém tão próximo, isso me quebrou de diversas formas.
Com isso veio a inevitável depressão eu literalmente só existia para um propósito merda, eu comecei a fumar cigarro para passar a ansiedade bem novo com 15 eu já fumava os “diversos” aquilo me trazia a sensação de leveza, mesmo que fosse uma paz momentânea, era como se meu cérebro parasse de “autistar” (eu sou hiperativo) mesmo eu queimando cada sinapse cerebral que eu tinha, aquele amargo na boca me deixava calmo.
Meu vício e depressão perduraram até um webnamoro merda que eu tive em que eu acreditava que era a “garota perfeita” pura ilusão de um emocionado eu realmente pensei que eu poderia vê-la, ter uma família com ela, conseguir consertar as merdas que eu fiz para mim mesmo e começar a amar o falo ambulante que as pessoas acham que eu sou, eu simplesmente dei tudo para ela e durante os primeiros 7 meses foi tudo ok, era muito amor e muita consideração minha, pois eu sou um cara muito “good guy”, ela tinha uma depressão bem forte por conta do pai abusivo e da mãe ausente (o pai dela é pastor e espanca os filhos, fica bêbado, vive na degeneração, bolsominion) esses pontos que geraram uma “femcel” esquerdista e bissexual.
Ela era fofa, eu achava que estava apaixonado, mas como todos os meus namoros ela só meu usou porque não tinha nada melhor. E me trocou por um ex paulista “femboy” que exigia nudes dela e a travata como lixo, simplesmente eu me sentia muito culpado, pois eu tinha me iludido em algo que claramente não tinha futuro, mas eu sou extremamente carente então o melhor encantamento para me levar no bolso é dizer que me ama, independentemente da circunstância, literalmente ela dizia coisas para eu me sentir horrível comigo mesmo e logo depois dizia que me amava, eu me sentia abraçando um cactu mesmo que não fosse de “verdade” era a primeira vez que alguém falava que me amava, eu entrei em pânico, mesmo eu sabendo cada segundo que aquilo não era o certo a se fazer e eu estava regredindo.
Querendo ou não ela me ajudou a superar uma fase da minha vida, mas eu nunca parei de me sentir um objeto. Na real eu ainda tive mais certezas disso eu simplesmente sou um dildo de plástico que estou na gaveta para quando elas não têm ninguém. (não eu não me considero bonito, longe disso eu to mais para brasileiro morador de periferia padrão)
Logo depois disso eu quis adiar o problema e começar a sair mais com meus colegas e meu primo começou a morar aqui por volta de 3 meses foi tudo tranquilo até que fomos num “hokah” (buteco adolescente) nós juntamos lá, eu comecei a beber até que perdi a inibição e comecei a ir em toda mulher que eu via pela frente igual um macaco, a primeira me achou simpático e me puxou pro canto quando tudo já ia dar certo um colega me barrou dizendo que ela já tinha “dono”, eu ri e meti um “a gente divide, né pae” meu colega riu muito, por ele conhecer ela a mais tempo eu decidi não “profita-la”, mesmo com ele não conseguindo pegar ela depois, por pura consideração pelo cara, eu fui em outras 6 depois dessa e tomei fora de todas e ganhei um apelido de 7.
Na real é que as garotas agora me viam como uma piada que está lá para quando inflar o ego delas para quando elas precisam, tradução literal: “esquento para um babaca com grana comer”. Esse foi um dos momentos mais WTF possíveis na minha vida se não fosse a briga com meu primo que rolou depois. Ele ouviu o que eu tinha comentado com o meu colega e como as pessoas gostam de me oprimir inventaram uma história vergonhosa sobre meus foras para parecer herói na frente no irmão do meu melhor amigo, e como o resto dos meus amigos de infância babam o ovo do meu primo eles literalmente concordaram com ele criando 3 histórias diferentes do ocorrido literalmente forçando que eles eram “os heróis que salvaram o pequeno betinha de ser cobrado na saida do butequinho”, além do meu primo viver se achando o bonzão ele era um gigolô da porra em casa e só aproveitava não dando uma foda para minha mãe, sendo que ela fazia das tripas coração pro arrombado ele nunca tratou ela do jeito que ela merecia, eu cobrei a mentira que ele inventou e simplesmente fui contra toda a minha rodinha de amigos sendo fraco e falho.
Eu não deixei ele falar toda aquela merda sem ter penalidades, mesmo implorando para ele parar de falar e párarmos de discutir, ele veio para cima eu dei um no queixo e na orelha.
Foi o suficiente para deixá-lo katinguelê, então ele me ameaçou de pegar uma faca para mim, então eu quebrei uma bacia de vidro e com a mão e com os cacos sagrando na minha mão eu falei “tu meu irmão, que viveu a vida toda comigo, vai me furar, na nossa casa, com a nossa família aqui, NA MINHA CASA?”. Além de jogar umas coisas na cara dele porque ele merecia.
Foi o suficiente para minha mãe expulsar ele de casa, meus amigos acharam que eu armei para ele e a pessoa que literalmente passou 16 anos da vida ao meu lado meu melhor amigo chupou o ovo do meu primo, vendo tudo que ele diz como verdade absoluta.
Mais cedo ou mais tarde íamos brigar eu acabei de brigar com outra pessoa que viveu a vida toda ao meu lado, isso para mim, é frustrante porque literalmente eu sou dependente de toda emoção positiva que as pessoas têm por mim, ele usou o argumento que eu sou “mimado” por não ter nada da forma que eu quero, mesmo eu saindo errado em tudo quase sempre. Esse argumento ele valida falando que “eu tive tudo na vida agora não aguento perder”, eu esqueci de falar que a amante do meu pai antes de ser pega pela minha mãe roubou todo o dinheiro do meu pai e sumiu do mapa.
Meu pai trabalha no comércio então com a crise, inflação, copa do mundo, carnaval e covid. A gente sempre passa um aperto aqui e alí.
Eu simplesmente sou muito sensível a essa merda eu não sei porque esse padrão aleatório de merda me segue e eu não consigo ser feliz, ou do porque eu me importar com isso.
¹Edit: eu comecei a gostar de trans então a tampa do bueiro leva ao esgoto, por isso eu to aqui. ²Edit: eu me sinto sozinho e vulnerável ³Edit: eu sinto que a minha solução seria uma pessoa que sofreu tanto quanto eu para me entender verdadeiramente. ⁴Edit: esse post é frescurento para um caralho, pois eu sou horrível contando algo então essa merda parece pura frescura, mas foi traumático cada segundo ⁵Edit: apanhei para caralho na escola quando era muleque por ser esquisito ⁶Edit: minha irmã não me suportar e tentou me matar usando um iPhone 6 plus, ela quebrou ele na minha cabeça 8 (pontos). ⁷Edit: tentei me matar usando cabo de extensão no box do banheiro e pulando de uma cachoeira.
⁸Edit: é minha primeira vez sendo op aqui, não tenho muito experiência.
Also, acho que embananei essa porra para caralho e não cheguei em lugar nenhum, mas eu precisava de um lugar para postar essa merda sem polimentos com esses pensamentos abstratos antes que eu comece a chorar pelo quão random essa merda de vida é.
submitted by Control-Much to desabafos [link] [comments]


2020.10.18 15:58 sinsinemy Terminei o namoro e me arrependo amargamente

Muito longo, mas preciso desbafar.
Tudo aconteceu no último final de semana de setembro, a gente tava super feliz e estávamos prestes a fazer 1 mês de namoro e 7 meses que a gente ficava e se conhecia. Por culpa de um print ele ficou com ciúme de uma bem idiota (muito idiota) e parou de me responder, me ignorou o dia inteiro e eu queria sair com ele e NADA dele conversar comigo. Decidi sair sozinha com outros amigos, a gente pertence a grupos diferentes de amigos porque moramos há 33km de distância e é foda se ver todos os dias, ir nos mesmos lugares porque na prática é longe. Cheguei na festa e nada dele me responder, tentei conversar liguei, mandei mensagens em todas redes sociais e de verdade eu tava muito ansiosa, no mesmo grupo de whatsapp que a gente tava, ele tava marcando de sair com os nossos amigos e eu podia simplesmente sair dessa festa e ir pra lá pq era relativamente perto até. Mas ele não me respondia então eu justifiquei todo aquele print que ele ficou com ciúme e provei que não precisava daquilo, toda hora ele falando que não queria conversar comigo, eu ligava e ao mesmo tempo eu tava bebendo, juntou tudo comecei a ficar triste demais, comecei a me sentir insegura, pensei muita besteira, pensei em tudo de ruim e a única coisa que eu queria era conversar com ele pra ve se me acalmava e eu não tinha nenhuma resposta. Chorei bastante, tava muito abalada e na mesma noite eu falei que era melhor a gente terminar (por mensagem), falei várias coisas por impulso, terminei por impulso e por toda aquela tensão. Me arrependo bastante. No outro dia eu tentei falar com ele, tentava e tentava porque eu tinha me arrependido bastante cara e ele já tava tipo "vc terminou cmg" e me repreendeu por eu ser imatura de ter feito isso e não pensado no depois. Chorei, fiquei mal bloqueei e desbloqueei ele por no mínimo 8 vezes. Não conseguia me afastar. Pedi pra que ele deixasse eu ir na casa dele pra gente conversar melhor e fui lá, levei até um par de aliança baratinha torcendo muito que desse certo. Conversamos, se acertamos mas ele tava meio diferente, falava umas coisas que eu não gostava mas que ele sim e que a gente não combinava tanto assim, saímos, se beijamos, conversamos e eu achei que daria certo e que ia ficar bem, tava com muita esperança. Dei aliança pra ele no fim da noite e depois disso a gente teve um momento nosso, foi lindo. No outro dia ele já tava meio distante, meio chato e fomos fazer visita na casa da tia dele, foi legal, ganhei bastante presentes e eu amo a família dele, me sinto muito feliz e confortável quando estou lá. Esse dia eu tinha que ir embora e ele ia sair com os amigos dele, me chamou e eu não tava super afim, sabe? Falei que pegava o mesmo caminho que ele e ia embora. Assim foi, fomos e ele ficou o caminho todo no silêncio, não falava, não pegava na minha mão, nao me olhava, não reagia a nada e eu só queria alguma demonstração e se por acaso eu mudasse de ideia pra ir com ele, já que os amigos insistiram pra eu ir e ele nada, sem reação alguma e isso tava me incomodando demais, eu tava quase chorando. Fui direto pra casa, com aperto no coração porque queria tar com ele mas eu me sentia desconfortavel de tar com ele, complicado. No outro dia ele me ligou e terminou comigo, sem mais nem menos, dizia que me amava e falou que não dá mais. Eu insisti muito, demais e falei que dava certo sim e esse foi o dia mais triste. Doeu demais. Sofri muito. Chorei e chorei tanto. Porque ele falou que não, mas falava que me amava e me agradecia por tudo mas falava que não. Era muito ansiedade e eu falava com ele, eu tentava mandar mensagem como se fôssemos amigos pq eu não aguentava não passar 1 dia sem saber sobre ele, sempre a gente caia numa conversa legal sobre a gente, ria e entendiamos que a gente tinha terminado, que somos ex e falávamos sobre esperança que era algo que eu tenho e ele fala que também tem. Eu amo ele demais, sou apaixonada por ele, isso é foda. Mas eu falei até sobre a gente "ficar", pra gente se ver e eu tava com muita saudade e ele aceitou. A gente saiu e foi perfeito, eu ainda era apaixonada por ele e tudo que a gente fazia era bom demais. Sentamos e conversamos mais sobre o nosso término, ele falava que não tava pronto pra namorar e até disse um "você merece uma pessoa melhor", mas eu tentava falar que não e que ele era o melhor pra mim. Ele falava que não tava pronto, que me amava muito mas tinha que pensar mas pensar em que? Quem amava tinha que ficar junto, mas eu baguncei a cabeça dele, eu terminei do nada, tava muito bom que eu estraguei tudo. Fiquei triste e comecei a chorar do lado dele e ele me abraçava e falava que me amava, insistiu pra eu ir pra casa dele e a gente sair no outro dia. Eu aceitei. Dormimos juntos e foi muito bom, mas ele nao era 100% meu (namorado), eu me sentia muito bem com ele, era gosto demais todos os nossos momentos. Levantamos o outro dia e fomos, senti ele distante de novo pegava na mão dele, foi legalzinho e eu curti todo o momento da melhor forma que dava. Eu tava com ele e só isso importava e fui (de novo) pra casa dele pq tava muito tarde pra eu voltar pra minha, dormimos juntos e passamos o dia seguinte inteiro juntos e eu tive que ir embora, que tinha algumas coisas pra resolver em casa também. Pra mim a gente ia continuar assim, conversar e sair as vezes. Cheguei em casa, me bateu a saudade maldita, ele passou 1 semana me respondendo só o necessário e bem seco, não puxava assunto e nem nada. Eu tava sozinha de novo, fiquei triste e mandei aqueles textos de como eu tava me sentindo pra ele e ele ficava :/ e falava algo desconexo ou mandava eu parar de ser assim, teve uma hora que não aguentei mais e falei se a gente podia resolver de uma vez. Cobrei ele de me responder direito e ele disse que a gente tinha falado o bastante. Tentei conversar pra eu parar de ter esperança nisso e mandei ele dizer se era o fim e acabou ou que ainda iria tentar. Ele só falou que não queria conversar comigo naquele momento e eu compreendi e ao mesmo chorei muito, muita dor, muita tristeza e parei de responder também. Falei pra mim mesma que não iria insistir ou chamar ele de novo, que era melhor um tempo afastado, sei lá, só um tempo. Um tempo pra ele pensar e pra mim também, eu sei que ele me ama como eu também amo ele. Por algum motivo não tá dando certo agora mas eu espero que do fundo do meu coração dê certo, eu tenho esperança. Ele é meu primeiro amor, não foi o meu primeiro namorado mas foi a pessoa mais intensa e ao mesmo tempo a melhor pessoa que já conheci. Termino isso aqui numa poça de lágrimas. Até.
submitted by sinsinemy to desabafos [link] [comments]


2020.10.17 00:39 TravsTravinho Não sei se eu sou louco, tóxico, surtado ou se eu só não devo aceitar menos do que eu mereço. Só queria ouvir algumas palavras de conforto.

Isso é um desabafo, mas tudo vem de um relacionamento.
Constantemente sinto vontade de morrer, não de me matar, me suicidar, nem nada do tipo, eu só queria não estar mais aqui, não viver mais essa vida, e principalmente não ter a personalidade que eu tenho, não sentir necessidade de sentir o que eu sinto.
Nem sei como começar a explicar, eu tô nesse relacionamento, é um namoro, com toda certeza do mundo, estamos nos vendo toda semana, se chamando de amor, eu pago as coisas pra ele sem problemas, não ficamos com outras pessoas, dizemos “eu te amo” constantemente... Exceto que ele não quer namorar, ele tem os traumas dele com namoro e eu entendo.
Sinto que nada que ele faz pra mim é suficiente, isso mesmo, sempre ouço as pessoas dizerem “não me sinto suficiente pra ele” mas aqui é o contrário, eu sei que sou suficiente, eu seria um namorado perfeito, busco e levo ele em casa, faço surpresas, compro presentes, me declaro diariamente, levo em restaurantes caros, não vejo problema em parar tudo que eu estou fazendo para escutar o que ele sente, ouví-lo desabafar, tentar ajudá-lo com quaisquer problemas que ele possa ter. Mas não sinto o mesmo vindo dele.
Não é que ele não me ama, ele ama e eu sei disso! Ele me diz isso, ele arruma tempo pra mim, só que talvez ele não seja tão intenso como eu sou, e toda vez que eu reclamo ou que temos conversas sobre isso - ele sabe de tudo que estou escrevendo até agora - acaba em briga, eu supostamente o faço sentir insuficiente rs, ele se sente horrível, eu me sinto um monstro por dizer certas coisas (e eu falo com jeitinho).
Sei lá, talvez eu peça demais dele, talvez eu esteja sendo um monstro cruel, tóxico e abusivo por dizer que quero mais, que não sinto reciprocidade, que eu tenho um monte de responsabilidades e ele não... Ou talvez eu esteja certo em solicitar pra ele o que pra mim eu considero como o mínimo... Esses dois pensamentos ficam brigando dentro da minha cabeça parece, em um momento eu me sinto o dono da razão e cobro algum tipo de ação dele, alguns minutos depois eu posso me sentir péssimo.
Ele diz que eu não reconheço o que ele faz por mim. Eu sinto que ele não faz nada além de me dar migalhas de afeto.
Sinto que ninguém, nem ele, por mais que ele tente, consegue lidar comigo e com os meus sentimentos. Ele realmente tenta melhorar quando eu digo que estou incomodado com algo, mas será que eu estou em busca de um conforto que ninguém pode me prover?
Se eu não fosse tão necessitado do amor dele, se eu não lesse as entrelinhas e analisasse cada mensagem dele, nada disso seria um problema. O problema sou eu, e não ele.
Mas, eu estou errado em procurar alguém que me faça sentir confortável? Eu só quero ter o mesmo tratamento que eu dou a ele, me sentir e ser tratado como um príncipe.
Amo esse menino, mas acho que eu deveria terminar com ele, acabar com nosso relacionamento que até então era tão leve e saudável, tudo que eu sempre quis, para que talvez no futuro eu não o machuque, e nem ele me machuque.
submitted by TravsTravinho to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 21:55 arknotes Preciso de amigos

Parece estúpido mas é o que a minha vida está me dizendo. Tenho andado mal, perdido entre as escolhas que fiz, lutei por um ano um amor perdido e no final ela fica grávida de outro mesmo eu à tendo ajudado muito na vida. Muitos me diziam para a deixar, terminar isso mas nunca consegui, eu a amo de verdade mesmo ela me tendo quebrado a confiança muitas vezes mas continuei sempre do lado dela e agora com esta gravidez é como se tivesse esbarrrado numa parede difícil de escalar. Talvez se esperar ele perceba o que perdeu mas não sei. A minha auto estima está muito em baixo, por a ter ajudado deixei de cuidar de mim e acabei por perder a maior parte de minha dentição. A minha família não sabe nada disto, tenho guardado segredo desde que ela terminou comigo o ano passado. Ela quer estar perto de mim mas nunca conseguiu dar o que eu procura nela por mais sacrifícios que tenha feito por ela. A minha situação financeira não é a melhor e se no próximo mês não conseguir um trabalho novo corro o risco de ficar endividado. Tenho sofrido ataques de pânico, alguma depressão e o desejo de desaparecer mas nunca tive à coragem de fazer isso. À 7 anos passei por um divórcio difícil em que ela me queria trocar por outro e tive a minha família me culpando que eu era o culpado, ouvi de tudo. Desde aí nunca mais tive sorte no amor e mal namorei, até que conheci ela e aí tive um namoro de verdade mas ela sempre dependeu muito de mim pois estava numa situação de carência. Não era perfeito mas me sentia abençoado por a ter perto de mim. Mas depois de um ano e uns meses termina comigo mas sempre me procurou manter por perto como amigo mas nunca a conseguia ver só como amiga e daí houve dezenas de sentimentos rolando pois a forma como ela terminou me deixou indignado e às vezes discutimos por isso. Eu não sei o que fazer e sinceramente não me peçam para a esquecer porque já tentei isso das vezes que ela me bloqueou e nunca deu certo. Tentei fazer mais amizades mas nunca consegui, frustrava porque já não as conseguia alimentar. O que faço? Neste momento não tenho paz nenhuma
submitted by arknotes to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 03:57 apenas_mais-um Garota vácuo de validação ou traumatizada?

Seguinte.
Fiquei com uma menina durante dois meses. Conheci ela do lado de casa por intermédio de uma amiga. Eu lá todo feliz ficando com algumas meninas sem compromisso e todo mundo feliz. Ai essa amiga me diz que ela se interessou em mim e passou o telefone dela. Mandei uma msg na sexta e conversamos, mascamos de nos ver em casa no sábado. Conversamos, tomamos uma vodka e ficamos. Transamos maravilhosamente. Demorou 5 dias e ela nada, fui e mandei msg perguntando de um segundo encontro, e ela so mandou msg falando kkkkk.... tentei de novo e ela falou que quem tinha que chamar pro segundo encontro era eu (oiiiii? eu ja tinha chamado) enfim. ficamos e ficamos mais ai ela começou a me chamar pra sair com os amigos e amigas dela. Conheci todos e com o tempo eles me falaram, ela gosta de vc. E eu falava, ela não gosta, ela gosta da sensação que eu proporciono a ela, pq só eu e ela ela nao me da brecha nenhuma e é só sexo. Eu me apaixonei por ela como não acharia que me apaixonaria de novo por alguém. Falei isso pra ela. Continuamos ficando. Eu mandava bom dia pra ela e era romantico e ela me falava que nao gostava de bom dia. Até ai tudo bem, cada um tem seu jeito de ser. E eu encucando cada vez mais que a guria não queria nada comigo. Ai a melhor amiga dela me fala, vc sabia que ela namorou por 10 anos e terminou recentemente? E eu falei, não sabia. E vc sabia que ela tava ficando com um cara e esse cara queria namorar e ela nao queria e ai ele pressionou ela e ela nao quis e ele apareceu com uma outra menina grávida? Cara, imagina que role foda pra mina. Mas enfim, eu não tenho nada o que ver com isso. Sempre tratei ela como a última bolacha do pacote, foi amor de vdd manja, eu nem sei explicar como eu olhava todo bobo pra ela e ela virava pra mim e falava, o que foi? Na última sexta feira era aniversário dessa amiga dela, fomos no lugar, e eu lá normal, desencanadão, e o melhor amigo dela vem me falar, mano, ela foi em casa hj e me falou uma frase como vc sendo o namorado dela, ela gosta de vc blábláblá....e eu falando, ela nao gosta de mim... e ele, vc tem que falar com ela ... pelo menos perguntar se ela ve um futuro de vcs juntos ou alguma coisa, pq ela gosta de vc1!. Ele é homosessual, virou meu brother, e eu confiei nele... passei por cima de todos os meus instintos e falei, blz, vou falar com ela... a noite eu e ela viemos pra casa e eu sentei na frente dela no sofa pra conversar, ela ja foi rancando a roupa e indo pra cama.... eu pensei...não vou transar sem tirar isso da cabeça.... ai fui e falei, que estava realmente gostando dela e que não queria nada do tipo namoro, mas gostaria de saber se ela enxergava um futuro com nós dois juntos, pq eu estava tendo reais sentimentos por ela. A mina não falou nada virou de lado e falou.... Eu preciso ir embora. Gente, meu mundo caiu, e eu que não sabia o que era chorar chorei segurando o soluço..... foram meia hora de uma tortura muito doida..... a mina não falou mais nada.... ai ela falou de novo, eu preciso ir embora, e eu falei, tudo bem, se é isso que vc quer eu abro o portão lá pra ti. Fui lá e abri o portão ela parou e falou nossa, tá frio né...e veio me beijar, coisa que ela nunca fez, e me beijou meia boca...... isso foi na sexta, desde lá não nos falamos mais. Eu não sei o que pensar disso tudo, vejo os tópicos aqui e não vejo nada além da galera falando procura psicólogo blablabla segue a vida blablabla... Alguém consegue entender o que rolou e como agir?
submitted by apenas_mais-um to desabafos [link] [comments]


2020.10.13 15:11 Puguinhaa809 Não sei o que fazer em relação a garota que eu gosto e a quarentena

Eae, tudo bem? Bom, eu sei que pode parecer meio estúpido e coisa de garoto mas eu creio que eu encontrei o amor da minha vida. Ainda sou novo, tenho 15 e conheci ela na escola. Somos amigos a alguns meses, a gente foi pra mesma sala no início desse ano. Foi amor à primeira vista kkkk, desde então a gente conversa todo dia, ela sempre encorajou temas envolvendo namoro, cantadas, alguns memes, etc, que tem ficado mais e mais explícitos. Já tá óbvio pra todo mundo que a gente se gosta, mas aí que vem o problema: quarentena. Sou de MG, as aulas ainda estão suspensas e a gente não consegue se ver pessoalmente, o que deixou meu plano de pedir ela em namoro esperando, eu não sei se deveria me declarar pra ela de uma vez, fazer as coisas mais oficiais sei lá. Prefiro dizer essas coisas pessoalmente, mas a situação não colabora. A gente nunca foi "namorador" sabe, também somos meio tímidos, então eu não queria levar as coisas rápido demais, mas agora eu estou com medo de estar demorando demais. Eu n sei mano, não é como qualquer namoradinha de escola, eu realmente gosto dela, aos meu olhos ela é a garota perfeita cara, não sei se deveria me abrir pra ela agora e pedir em namoro depois ou esperar a quarentena acabar pra fazer tudo de uma vez, de qualquer jeito, vlw pela atenção galera! Qualquer dúvida me perguntem
(Edit) em tão pouco tempo vocês me ajudaram tanto, muito obrigado a todo mundo, vocês são incríveis, Vou pensar um pouco e decidir o que fazer, mas sem vocês isso não seria possível, vlw mesmo
Update: conversei com minha melhor amiga que no caso também é a melhor amiga dela, ela ficou muito empolgada em ajudar e sugeriu que eu continue indo com calma, ela vai ajudar a gente a fazer mais calls e tal pra poder interagir cada vez mais e coisas do tipo, vlw glr
submitted by Puguinhaa809 to desabafos [link] [comments]


2020.10.12 19:49 agkali Me sinto um lixo

[ALERTA DE TEXTO GRANDE]
Agora há pouco fui procurar pelo meu ex no Google. Nos separamos há quase 2 anos, quando terminei a faculdade e retornei a minha cidade de origem e ele prosseguiu os estudos num doutorado. Nosso namoro nunca foi descoberto por parte da minha família, pois sempre cri que meus pais não o aceitariam por questões rígidas relacionadas a nossa ascendência estrangeira. Ficamos juntos por 4 anos e, até hoje, acredito que ele foi o grande amor da minha vida. E eu o perdi. Perdi também a esperança de amar novamente, assim como grande parte do interesse na vida.
A pessoa nas fotos é um estranho, a doçura do sorriso pelo qual me apaixonei logo que vi agora não passa de alguém com expressões estranhas. Nos meses subsequentes ao término, tentei manter contato. Éramos amigos, ou ao menos eu acreditava que sim. Ele me incentivava a buscar empregos na nossa área de formação, me mandando vagas de alta qualificação e me repreendendo quando eu me irritava por nunca receber retornos positivos. Ele já havia namorado, criado perfil no Tinder, ficado com outras garotas enquanto continuávamos conversando, como se nada estivesse acontecendo (sei que não foi traição, porém me sinto um lixo toda vez que me recordo do momento que descobri essas coisas). Fui e sou involuntariamente fiel. Não consigo me envolver apenas para diversão ou satisfação momentânea. Tenho raiva de mim por ser assim, e dele por ignorar a existência desses sentimentos. Tenho raiva por continuar esperando que ele retorne, nutrindo esperanças irreais. Tenho raiva por ele dizer que quer fazer alguma coisa mas "tem medo" de tentar de novo, enquanto finalmente sinto que tenho forças para lutar. Tenho raiva de ainda ter o ímpeto de querer lutar, mesmo que só. TENHO RAIVA!
Enquanto estava trabalhando, simplesmente fingia que tudo havia sido um sonho, e ele havia morrido. Mas, recentemente, tive que pedir demissão por causa de uma desgraçada que dava presentinhos pra gerente e os outros colegas de trabalho para ir em eventos pela empresa, ganhar promoção e ser encoberta pelas m*rdas que fazia, mesmo tendo entrado por último e não fazendo quase nada certo. Ela ainda começou a querer mandar em mim e também a me acusar de cometer erros que não eram meus. Enquanto todos os outros lidavam com clientes impacientes, falta de troco e outros problemas comuns em comércio, a víbora ficava postando no Instagram que estava em campanha X, trazia os brindes para a gerente e iniciava novamente o círculo vicioso de babação de ovo. Quando notei que estava trabalhando por dois e que ela seria promovida com o discurso de "todos vão ter oportunidade, mas vai subir quem se mostrar melhor qualificado (quem mais inflar meu ego)", saí. Muito justo tratar melhor o empregado ruim, que traz prejuízo por vários erros, e aproveitar ao máximo a força de trabalho de alguém que se esforça para que esses erros não ocorram.
Agora estou sem emprego e com a mente f*dida, me sentindo um lixo, descartável. Às vezes pondero tirar minha própria vida, mas tenho tentado me manter estável por causa dos meus pais, que precisam de mim.
Agradeço quem leu até aqui, precisava desabafar de alguma forma.
submitted by agkali to desabafos [link] [comments]


2020.10.08 16:47 lozy_ae Como eu sei que não amo mais?

Eu estou pensativa a meses não sabendo exatamente o que fazer quanto a isso, eu namoro a quase 2 anos, meu namorado é bom, me trata bem cuida de mim e acho que não faz nada de errado. Mas a coisas que no passado quando nós nos conhecemos e coisas durante nosso namoro que eu não consigo esquecer, me marcaram muito e eu não consigo confiar nele e nem fazer certas coisas com ele pois eu simplesmente travo, eu sei que você não pode ficar olhando muito o passado pq o passado já foi mas acho que eu não consigo viver com isso ou me casar com esse sentimento dentro de mim.
Eu não sei se ainda o amo ou se estou confortável tentando esquecer de vez enquando esses sentimentos e pensamentos mas é algo que eu sei que nunca vou esquecer e nunca perdoa-lo. Eu comecei a namorar muito nova e eu nunca tive um relacionamento mais adulto, e agora que eu já sou adulta eu não me sinto em um relacionamento assim, por ele morar em outra cidade eu não consigo ver ele sempre e eu me sinto muito incomodada pedindo favores para meus pais de ir lá ver ele ou de levar ele de volta (meus pais não deixam eu dirigir na pista e meu namorado não tem carro pra vir), e nesses tempos de pandemia é pior ainda pq não tem nem ônibus pra ele vir. Meus pais são uns anjos eles nunca reclamam nem nada do tipo mas isso não é coisa que eles tem de fazer por mim e eu também não sei se quero mais passar por isso.
Tenho esses pensamentos sempre que vejo filmes ou leio coisas com temas românticos, sei que a vida não é um conto de fadas mas eu quero ser feliz, eu não quero viver com medo de ser traída e eu quero conseguir ter relações sexuais com a pessoa que eu amo e o maior eu quero confiar em alguém sei que não são todas as pessoas que são confiáveis e não podemos confiar 100% mas eu não quero viver de desconfiança, quero poder olhar pra pessoa e sentir que temos mais que amor..
Sei que eu posso parecer estúpida sendo que tenho um namorado bom comigo e que posso ficar tranquila mas não é assim, está sendo muito difícil e eu não sei o que fazer, estou pensando pq não quero me arrepender, não sei se tem um conselho óbvio ou uma atitude óbvia mas pra mim tá um labirinto que eu não sei como sair sem me machucar ou machucar o outro.
Obrigado quem leu esse textao :)
submitted by lozy_ae to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 15:29 Erevahn Como ajudar minha namorada a perder peso sem ser escroto?

Edit: gostaria de agradecer todos os comentários de apoio e com dicas, fiquei feliz pra caramba com a recepção do pessoal. Eu conversei com a minha namorada, sem tocar no assunto do peso dela, sobre comprarmos umas comidas mais saudáveis pra cozinhar, já que vamos no super hoje. Apesar de tentar usar todo o tato, ela se tocou (é por essas que eu amo ela) e eu comentei que não quero forçar nada, só quero dar suporte pra ela no que for possível. Pedi pra ela catar umas receitas saudáveis pra gente cozinhar e ela pegou várias, e combinamos umas caminhadas aos fins de semana. Agora é manter o foco!
respira... Vamos lá. Background primeiro. Sou um cara de 32 anos, minha namorada tem 26. Estamos juntos tem 10 meses, e esse foi o período mais maravilhoso da minha vida. Eu nunca tive um relacionamento tão longo, pelo simples motivo de que nunca gostei tanto assim de alguém. Nunca conheci alguém tão inteligente, engraçada, amorosa, linda, talentosa, enfim, eu amo demais essa mulher. Estamos morando juntos durante largos períodos esse ano, e só não estamos morando definitivamente juntos por que ainda não dá mesmo, se dependesse só da gente já estaríamos. Só não pedi a mão dela em casamento ainda por não ter grana suficiente pra fazer um pedido como eu quero e ela merece, e por não querer parecer afobado demais pra família dela.
Porque disse tudo isso? Pra deixar claro que ela é o amor da minha vida, e eu ficaria com ela do jeito que fosse.
Ela tem alguns problemas de relacionamento com o pai dela, uma pessoa até boa, porém extremamente volátil e grosso, e ela sendo delicada como é acaba sendo muito afetada pelos comentários dele, sempre sobre o peso dela. Ela sempre foi magra mas alguns estresses que passou, antes de nos conhecermos, a fez desenvolver uma certa compulsão alimentar, e ela ganhou peso. Acontece que essa vida de pandemia, somada a vida de casal, fez com que ela ganhasse ainda mais peso.
Eu não sei bem como lidar com o tópico, não quero falar nada que vá magoar ela, mas sei que isso a deixa incomodada, pq ela já deixou verbalmente claro isso (literalmente falando que estava incomodada com seu peso e queria emagrecer). Ela comprou um jump e tentou fazer um tempo, já tomou umas pílulas para emagrecer também (meio que escondida de mim, descobri por causa que ela perguntou pra um amigo meu sobre elas e ele me contou), isso foi no início do namoro.
A questão é que ela acabou desistindo rápido da perda de peso, e sinto ela sem motivação pra tentar. Já falei pra ela voltar pra terapia, pq acho que o problema é mais psicológico do que físico, mas ela está meio resistente a isso.
Só quero ajudar ela a se sentir melhor e não sei como. :(
Fiquei alguns dias resistindo a postar isso, pq sei o quão fácil é ler meu post como "namorado escroto e gordofobico quer ajuda pra envergonhar namorada até que ela perca peso", e não é nada disso. Eu amo ela independentemente de como ela for, só quero ajudar ela, de uma forma que seja firme o suficiente pra ela saber que realmente pode contar comigo nessa empreitada, mas leve o suficiente pra ela saber que não amo ela menos pelo peso dela. :
submitted by Erevahn to desabafos [link] [comments]


2020.10.06 12:20 internalerrorfixed Me relataram ser vítima de um estupro e não sei o que fazer

Trabalho em uma farmaçia e parte do meu trabalho consiste em atender fornecedores pelo telefone. Há 27 dias eu atendi uma ligação, sempre bem educado, e a vendedora depois falar o "script" dela, perguntou minha data de nascimento e acabou pedindo meu contato pessoal. Resolvi passar porque não tinha motivos para não fazer. Talvez era alguém querendo algum tipo de ajuda, dúvida, e que ali na hora não queria perguntar ou estava com vergonha. Mas achei muito estranho perguntarem a data de nascimento, nenhum vendedor nunca fez isso.
Quando cheguei em casa lá estava um áudio com uma voz muito mais linda do que eu lembrava no telefone, comecei a conversar só pra saber o que a pessoa queria. Não tinha foto no perfil, sou feio e tenho vergonha de mim mesmo, mas ela queria saber como eu era. Sempre desconfiado, porque não me perguntava nada, não falava do trabalho, só parecia querer conversar mesmo. E eu conversava, escutava, enviei uma foto. Ela sempre mandava foto, vídeo indo caminhar, dirigindo, voltando da igreja, tudo numa boa. Uma pessoa linda, até demais, pra estar interessada em mim.
Continuo desconfiado, vou atrás de redes sociais, vejo que está participando até de concurso de beleza, crio expectativas mesmo sabendo que não tenho nada a oferecer. Lá vi que faltava poucos dias para o aniversário dela, no dia do aniversário dela espero dar meia noite, mando um vídeo todo envergonhado parabenizando ela, tenho problemas de autoestima então fica tudo bem cringe.
Ai ela começa dizer que queria me conhecer pessoalmente, me liga perguntando se pode vim na minha cidade (moramos há 160km de distância mais ou menos), mas estava tudo acontecendo muito rápido, peço pra ter calma, pra irmos nos conhecendo melhor, até porque até esse ponto as conversar eram bem casuais, eu pouco sabia sobre ela.
Ela saiu com a mãe dela pra comemorar, me manda foto e vídeo com a mãe dela, mas depois relata que achou que seriam só elas duas, mas que a mãe chegou com um rapaz e que ela não gostou dele, diz que "ele tá me testando", pergunto que tipo de teste e ela não responde.
Depois ela comenta que estava muito triste e só queria que eu estivesse lá pra poder dar um abraço nela no dia do aniversário, que tinha sido horrível sair com a mãe, que segurou choro a noite toda, que ela só queria me conhecer no dia do aniversário dela mas que parecia que eu não tinha gostado da ideia. Ai eu abaixo a guarda e crio expectativas, passo a conversar de uma forma mais carinhosa.
Pergunto sobre relacionamento e ela diz que terminou há pouco tempo, mas já estava há um tempo querendo terminar, e não dá mais detalhes. Volto a fuçar as redes e descubro que o intervalo entre o fim de um namoro de 2 anos e começar a conversar comigo é menos de 2 semanas. Volto a ficar triste e desconfiado por ser o consolo de alguém que só quer um relacionamento rebote, e que provavelmente depois de ajudar e reerguer essa pessoa, ela vai só virar as costas e voltar pro ex, que é bem mais bonito do que eu. Mas como ela sempre elogiava meu bom humor, minhas boas sacadas, acabo acreditando nessa de que talvez caráter e conteúdo se sobressaia.
Nesse ponto já estávamos conversando há umas 2 semanas, tentando encaixar uma data no final de semana pra nos conhecermos. Marcamos então para 3 de outubro, eu iria na cidade dela, 160km numa CG 150 pra conhecer alguém da internet numa cidade que nunca fui. Conversamos todos os dias por ligação, ligação de vídeo, falando sobre vida, trabalho.
Faltando 5 dias pra data que combinamos, numa ligação, ela me diz que alguém do trabalho dela arrumou alguém pra ela sair e ela aceitou, mesmo sem nunca ter conhecido a pessoa, disse que sentiu nojo, mas saiu. Beleza, racionalmente falando ela está solteira e faz o que quiser da vida, mas sinto uma falta de respeito do caralho fazer isso.
Ai eu comento sobre ela no trabalho, de forma bem rasa, e começam as histórias de pessoas que sumiram, foram roubadas, abusadas nessas de conhecer alguém pela internet. Decido investigar mais. Facebook, instagram, tiktok, facebook de todos os familiares, irmão, tio, primo, prima, mãe. Vejo que já foi casada (encontro um processo de divórcio) e que o requerente em questão foi o ex-marido. Nessa, já vejo que nos últimos 4 anos ela se casou, ficou 2 anos casada, separou, já engatou um namoro de mais 2 anos e menos de 1 mês depois já está me chamando de amor. Isso aos 24 anos de idade.
Desanimo total, decido parar de conversar e puxar assunto, levo muito a sério relacionamento e ela parece só querer aventuras. Sexta, sábado e domingo se passam. Sábado é o dia que eu iria lá. Ela nem questionou se eu iria ou não, parece não fazer muito caso, fico feliz, era o que eu queria, só me afastar e esquecer ela.
Ontem no horário do almoço dela, me manda uma foto com a cara inchada e de choro. Escrevo um texto dizendo pedindo desculpas, falando que tinha investigado a vida dela e dos familiares por medo de ir lá e acontecer alguma coisa, mas que não daria certo, que tenho coisas pra resolver antes na minha vida, mas que gostava dela, desejo sucesso e felicidades, algo pra terminar na amizade mesmo, num clima bom.
Ela responde que gosta da minha sinceridade, mas que nunca tinha pedido pra eu ir lá, e que o motivo do choro dela era algo muito pior que tinha acontecido domingo, que não conseguiu dormir, acordava chorando e gritando e pensou em me ligar, mas que bom que não tinha feito isso porque eu não me importava com ela. Que se eu fosse bom em investigar, que encontrasse quem seguiu, violentou sexualmente e bateu nela.
Ai eu desmontei, dor na barriga, tremedeira, ânsia de vomito, não sabia o que falar, aliás estou sentindo isso agora só de escrever e lembrar. Olhava pra tela do celular e não sabia o que digitar, só pensava nela sozinha em casa podendo fazer alguma besteira.
Eu jamais imaginaria que algo assim tivesse acontecido, mas ai já era tarde, ela só sabia falar que eu não me importava com ela, que era melhor assim mesmo, me afastando, e eu querendo demonstrar que mesmo não querendo um relacionamento, me preocupava sim com a vida de outra pessoa. Começou a falar que está cansada de ser julgada, que antes estava em um relacionamento abusivo, que hora eu era muito legal, mas hora eu julgava ela demais, que não era pra ter pena se nem intenção de conhecer ela eu tinha e que só queria uma amizade sincera.
Pergunto se ela está bem, se está com alguémm, responde que está em casa com medo, sozinha, com medo de ir trabalhar. Pergunto se ela conversou com alguém sobre isso e diz que não, falo pra deixar eu pelo menos escutar ela, que poderia falar o que fosse e eu ia dar suporte para o que precisasse, só que ai ela volta a discutir sobre eu parar de falar com ela, que não tinha motivo pra confiar em mim e que eu não gostava dela.
Confesso que usei de chantagem, que se não falasse comigo eu entraria em contato com a mãe e/ou irmão pra contar aquilo que ela estava me falando pra poderem ajudar ela, que se eu não conseguisse ajudar, iria encontrar alguém que consegue. Meu maior medo nesse momento era dela fazer alguma besteira, suicídio ou me bloquear e sofrer sozinha. Já estava procurando sobre o que fazer numa situação dessas na internet, o que falar, o que fazer, mas é tudo resumido em não culpar a vítima (óbvio, nunca faria isso) e escutar, mas como escutar alguém que não tem mais vontade/confiança de falar com você?
É isso, não sei como/o que/quando/quem falar, se acredito nisso ou não. Só quero o bem dela, mas não sei o que é o certo a se fazer. Jamais me perdoaria de "abandonar" alguém numa situação assim, mas sei que eu não sou a pessoa certa pra ajudar, que a família seria a melhor opção. Preciso de ajuda.

Update: ela disse que conversou com alguém do trabalho e essa pessoa marcou médico pra ela. Elogiei, disse que era bom que ela conseguiu conversar com alguém, e que seria ótimo também ir na delegacia da mulher pra relatar o crime. Enviei o link do CVV - Centro de Valorização da Vida, disse que lá ela teria pessoas mais instruídas pra conversar, de forma totalmente anônima e que iriam ajudar ela se precisasse. Terminei com um "boa noite". Ela respondeu com um "Obrigada" e "Boa noite". Considero minha parte feita, não vou mais mandar mensagem. Sendo verdade a história do estupro, ela agora vai receber ajuda de quem pode ajudar mais do que eu. Sendo mentira, conseguiu estragar um dia da minha vida me sentindo mal e quase vomitando de ansiedade, mas vou sobreviver e ter história pra contar, e até evitar futuros problemas semelhantes.
submitted by internalerrorfixed to desabafos [link] [comments]


2020.10.04 16:31 111DarkGuy A mulher que eu amo tá com outro cara e eu tô me sentindo um lixo.

Eu entrei pra vida "adulta" faz pouco tempo, e sinceramente minha adolescência não foi das melhores ou das mais bem vividas, então não tenho tanta experiência com relacionamentos.
Alguns anos atrás, eu conheci essa garota, ela é tudo de bom... amável, carinhosa, esperta, bonita, sei lá. É uma pessoa que eu admiro em diversos aspectos diferentes. Ela mora um pouco longe de mim, mas a gente meio que "clicou" imediatamente. A gente se aproximou muito rápido e sei lá, tava tudo dando certo, nós éramos basicamente namorados, só faltava a gente se assumir. Até que por algum raio de motivo que nem eu nem ela lembramos mais, a gente brigou. Ficamos um bom tempo sem nos falar. Reatamos contato esse ano, e eu, trouxa, me apaixonei por ela mais uma vez.
Bom, ela falou que não sente o mesmo, que não busca relacionamentos no momento, que talvez um dia, bla bla bla. Basicamente, eu tava sentindo mesmo que ela tava um tanto bloqueada comigo. Lembrando que tô resumindo muito a história pra não fazer um negócio gigante e muito detalhista. Enfim, eu conversei com alguns amigos meus e eles me ajudaram a perceber que talvez eu estava colocando a carroça na frente dos bois e sendo muito "juvenil" na minha abordagem. E parando pra pensar nisso, realmente, eu tava indo muito pra cima dela com essa de paixão, amor, namoro, mas sei lá, ela não tá bem com o emocional muito bom nos últimos meses pra isso, não é disso que ela precisa de mim, no momento.
Então eu falei "Ok, vou lidar com isso como adulto", chamei ela pra conversar e expliquei que eu acho que fui muito apressado e desengonçado na minha abordagem, que de agora em diante eu vou ser um amigo e um suporte pra ela, porque acho que ela precisa mais disso, no momento. Sugeri que ela fosse em um terapeuta (porque sinceramente, ela tá precisando), basicamente, falei que eu vou deixar esse meu sentimental em standby com ela, por enquanto, porque sinto que não é a hora. Ela me agradeceu, falou que sente que agora nós estamos sendo honestos um com o outro, que sente que o "bloqueio" que ela tinha comigo sumiu.
Aí ela disse que tá gostando de alguém. Inclusive, eles estão praticamente namorando. Eu sei lá, eu tava pronto pra deixar meus sentimentos de lado, mas essa notícia foi um baque muito grande... ela me disse isso, e eu aqui, me segurando pra não ter ciúmes, não ficar triste, pra sei lá, ficar feliz por ela. O cara em questão é conhecido meu também, ele não é babaca, não vai tratar ela mal. Mas manos... Eu não consigo me impedir de querer que esse relacionamento dela dê errado... Eu to me sentindo extremamente culpado, e é horrível esconder isso dela, mesmo sabendo que é o melhor a se fazer, pra não gerar briga e tal. Eu me propus a agir como adulto nessa situação e não ficar com esse tititi adolescente de "Ah, eu gosto dela mas ela gosta de outro", mas caramba, é um negócio que dói demais.
Bem, por enquanto os dois estão só "se conhecendo", não têm nada sério ou coisa do tipo, mas eu to percebendo que isso vai pra frente e tal... E eu não posso, nem devo fazer nada a respeito disso. Basicamente, eu perdi essa. Como praticamente tudo na minha vida amorosa até agora, eu perdi kk e eu to extremamente mal.
Então é... agora eu tô todo fragmentado aqui, metade de mim quer que ela seja feliz, quer estar lá por ela se ela precisar, quer acompanhar a jornada dela na vida mesmo que só como um amigo. A outra metade quer só que aquele relacionamento dela dê errado, que a vida me dê uma chance que seja de fazer ela feliz, eu, sozinho. E eu sei qual é o jeito certo e qual o jeito errado de agir, mas agir do jeito certo é MUITO difícil e sinceramente, dos dois jeitos eu vou me machucar bastante.
Tem muita coisa dessa história que eu não contei por preguiça e por não querer encher demais de texto, eu também não sou livre de problemas emocionais (mas diferente dela, eu estou na terapia e me cuidando e tal), mas o ponto é que eu devo MUITO a essa garota por coisas do passado. Não é só uma random que eu consigo simplesmente superar e seguir em frente, é muito, muito complicado. Eu real me apaixonei pesadamente por ela e "superar" isso vai ser um processo difícil, demorado e doloroso, se não impossível.
Enfim, obrigado pros 5 que lerem isso, é nóis galera.
submitted by 111DarkGuy to desabafos [link] [comments]


2020.10.03 00:56 eraskpT Preciso de ajuda em relaçao ao meu relacionamento

Peço desculpa se esta publicação nada tem a ver com o sub, mas não sei ingles e não tenho amigos para falar sobre isto.
Namoro há quase dois anos com uma rapriga fantástica ela gosta de mim e eu tb achava que gostava dela e até gosto. Mas o amor que sinto não é suficiente, a nossa relação no último meio ano tem sido sufocante para mim, ao ponto de eu em alguns momentos sentir-me super irritado.
Ela não sabe de nada disto ainda, eu gosto dela mas nós somos incompatíveis. Alguns aspectos que são importantes para mim ela vê de outra forma e faz de outra forma.
Sinto que seria mais compatível se estivesse noutra relação. Ele é uma optima rapariga "nice girl", mas nos pontos em que chocamos são demasiado extremos para querer continuar nesta relação.
O meu único problema é acabar com uma rapariga tão querida e que foi tão boa comigo e eu sou o seu primeiro namorado. Eu quero acabar mas não sei como, sinto um peso enorme no meu coraçao. Não a quero fazer sofrer. Estamos os dois no inicio dos 30 anos.
submitted by eraskpT to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 05:45 Marcinhow Reflexões do fundo do poço

Me encontro aqui desesperançoso, depressivo, fracassado e sem amor por nada. Cansado de relações casuais e que não acrescentam em nada, e fugindo da corrida dos ratos materialista. Enfim, a pouco menos de 3 meses completados 19 anos e não vejo sentido em nada, e o que já vi me traumatizou tão profundamente que crie uma certa barreira.
Sou o resultado de um casamento de duas pessoas muito mal estruturadas, minha mãe que vem de uma família até que com um sucesso profissional legal concurso, ensino superior, empresa de sucesso (que a todo tempo me olha de cabeça aos pés, me chamando de coitadinho e colocando para baixo). E a do meu pai, estilo a grande família, um povão unido e que no final todo mundo fala mal de todo mundo. Muito provável fruto de uma gravidez não planejada/desejada.
Toda a minha vida tentei ao máximo ser um cara honesto, deixei pisarem na minha cabeça, para não ter que pisar nos outros. Isso foi refletido tanto em amizades, namoro e até desconhecidos. Por ser assim, sempre procurei a solidão, apesar dela ser terrível e torturante. Mas mesmo sendo tão sozinho sempre me doei ao máximo às pessoas que nutri afeto, como disse anteriormente só levando facada nas costas de amigos e principalmente namoradas, que apesar do meu jeito bruto nunca deixei faltar amor.
Venho montando um negócio online, que vem até dando certo (graças a pessoas maravilhosas que me trombei nesse caminho, mesmo que nunca tenha visto eles pessoalmente, amo pra caralho), mas todo dia pensando que vou acordar e irá dar tudo errado, e irei voltar a meu estado de miséria que sempre fui, não tendo condições de comer um podrão de 10 reais ou tomar uma lata de cerveja.
Cansado dessa mesquinharia, promiscuidade, relações razas e vaidade. Olho o tempo todo o mundo com um teor de nojo, no qual pessoas tentam a todo momento te afetarem ou não te olharem se vc não tiver algo a oferecer (não como centro das atenções, até pq nunca gostei disso, mas sim no sentido de te enxergarem como pessoa). Ansiedade vem me corroendo, a ponto de nem conseguir estudar e o desânimo em seguida, vem sendo pior ainda.
Minha vida vinha sendo completamente uma merda, até que parece que forcei um namoro com uma menina que não gostava de mim e que gostava para caraléo dela, pareceu tudo ficar menos merda até chegar o término e como ele aconteceu... Ai vcs já sabem, ladeira a baixo. Dinheiro e nem bens materiais me atraem ou traz felicidade, tô no estopim a ponto de não aguentar mais um trauma, que caso venha, (perder minha mãe, avó ou cachorra) partirei dessa para uma melhor. O podcast do Petry me ajudou muito a entender isso e conseguir ficar um período a mais vivo, mas eu penso que poderia resolver tudo isso facilmente...
Não venho aqui acreditando receber tanta ajuda, nem acredito que os coping's que dirão irá ajudar em algo, venho mais como um desabafo e que vi que usavam essa forma de se expressar para aliviar a dor.
O TEXTO DEVE TER FICADO UMA MERDA, CHEIO DE ERROS GRAMATICAIS E CONFUSO. ENFIM, É SÓ UM POUCO DA MINHA CABEÇA QUE NÃO PARA SEQUER NA HORA DE DORMIR.
submitted by Marcinhow to desabafos [link] [comments]


2020.10.01 21:40 niro29832 Estou morrendo de ciumes do meu melhor amigo virtual

Antes de tudo tenho que dizer que sou indeciso sexualmente, ainda não sei se gosto de meninos ou de meninas. Pois bem, eu tenho esse amigo virtual, passo o dia inteiro conversando com ele, ele sabe tudo da minha vida, já mandei fotos da minha casa da minha escola meu nome completo etc. mandei tudo isso porque queria criar intimidade, mas ele nunca me revelou nada sobre a vida dele, eu não sei nem o nome verdadeiro dele, só sei que ele mora muito longe ( tipo do outro lado do país ).
Mas eu gosto muito dele, eu não sei, acho que estou apaixonado por ele ( como disse eu estou indeciso ), enfim, tudo ia bem até um dia ele me falar que arrumou uma namorada.
Eu não sei o que faço mais porque ele não me dá mais a mesma atenção que antes e agora me trata mal e fica me humilhando, mas ainda assim eu não consigo parar de ficar chamando ele no privado e insisto em puxar assunto com ele, eu bloqueio ele por algumas horas ou alguns dias mas logo fico com saudade e mudo de ideia e tento puxar assunto de novo.
E pra piorar a situação ele tem 20 anos e a namorada é menor de idade, eu já quis denunciar ele por namorar menor de idade, eu acho que prefiro ver ele na cadeia do que nessa situação em que ele não me dá mais amor na mesma intensidade e me trata mal e pisa em mim. Não tenho certeza se o namoro dele dá cadeia ( quem conhecer os artigos do Código Penal por favor me ajudar ) mas eu quero muito ver ele preso porque quero me vingar desses sentimentos ruins que ele causou em mim.
Enfim, não sei mais o que fazer, eu acho que estou obsecado por ele e não estou sendo correspondido. Não sei se tenho mais razões pra continuar vivendo.
submitted by niro29832 to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 13:42 DarkDollynho Finalmente Criei coragem de postar... Senta que lá vem história.

Eu tenho acompanhado a comunidade faz algum tempo, e antes de escrever o que preciso quero agradecer por vcs existirem e estarem dispostos a compartilhar e receber historias de todos os tipos e cantos.
Vamos lá!
Sou o clássico guri dos anos 90 que vibrou com o penta, jogou super Nintendo e agora ta beirando os 30 anos.
Sofro com depressão e ansiedade desde que me entendo por gente, sinceramente não sei se vem da situação familiar ou se é algo crônico.
A real é que meus pais (como boa parte das famílias dos anos 70,80 e 90) não se amam e nunca se amaram (muita gente se juntava por necessidade mesmo) e acho que isso pode ter influenciado um pouco na forma como vejo o mundo.
Meu pai tinha um casamento, do qual ficou viúvo e desse casamento 4 filhos (3 usam drogas e 1 desapareceu).
Ele então se casou com minha mãe e eu nasci (em seguida outros 2 irmãos), convivi com 1 dos meus irmãos por parte de pai que sempre deu problemas, desde uso de drogas, porte de arma, roubos, etc.
Bom exemplo foi algo complicado durante a infância, pois minha mãe vivia tretando com meu pai por conta desse meu irmão, que não é filho dela, até entendo.
Meu pai sempre desconfiou que minha mãe havia/estava traindo ele, e desde os meus 8 anos meu pai me usava como psicólogo dele, desabafando e jogando todo tipo de pensamento na minha cabeça.
Eu era bem religioso (não sei se era uma fuga) e cresci com isso, entre caraminholas da cabeça do meu pai e tentar ser uma criança.
Eu tbm fui abusado por um cara conhecido da família. Não quero entrar nesse mérito.
Sempre apanhei muito pra aprender matemática (nunca aprendi de fato) enquanto convivia com meus irmãos e tal.
Quando cheguei nos 16 anos mais ou menos a aposentadoria do meu pai foi cortada, ele já com idade avançada e minha mãe tbm, meti a cara trabalhar.
Pagava meus próprios cursos e comia 1 pacote batata palha no almoço pra economizar dinheiro.
Passei por empregos porcarias, que nem vou adicionar a historia, mas que tenha certeza que contribuíram negativamente na minha vida.
Conheci minha ex namorada na igreja, ficamos juntos por muito tempo.
Eu sempre quis ser o namorado perfeito, daquele que dizia: "se minha namorada não pode ir comigo, aquele lugar não eh pra mim." (talvez um erro sobre individualidade)
Foram 8 anos bacanas, entre altos e baixos na minha família sempre coloquei minha ex em primeiro lugar.
Trabalhava pra ela poder estudar e fazer faculdade(eu tbm estudava), levava ela pra todo canto quando precisava, ajudava com trabalhos, treinava ela pra entrevistas, pagava cursos...
Até que conseguimos entrar na empresa dos sonhos (ela primeiro, eu dps) de qualquer pessoa da área de TI (ambos na msm empresa)... Volto nesse ponto dps, muito importante.
Nesse meio tempo uma das minhas irmãs drogadas por parte de pai apareceu, com 1 filha recém nascida... Ela estava presa e perdeu a guarda da criança.
Então lá vai eu ajudar meu pai a conseguir a guarda, entre visitas a outro estado pra ver a neta e dinheiro para advogado. (o advogado morreu durante o processo mano)
Conseguimos a guarda, minha irmã saiu da cadeia e fez da nossa vida um inferno (ainda faz, ainda estamos criando uma criança que não tem pai e tem uma mãe drogada).
O relacionamento dos meus pais que já era ruim, piorou, eu no meio dessa merda toda já tinha tentado o suicídio 2x...
Nessa época comecei a perceber que minha ex não se preocupava comigo como eu me preocupava com ela, ela não se importava com minha saúde mental, não se importava com a minha pessoa, a sensação era que ela tinha se acostumado seja com a boa vida, seja com a constância que a vida tinha tomado.
Eu tinha juntado dinheiro para irmos pra outro país fazer intercambio, pensava em pedir ela em casamento la, 9 anos de namoro já era bastante... Ela não se empenhou em absolutamente nada, parou no tempo. quando ela não conseguiu o visto simplesmente não se importou.
Ela tinha arrumado um amigo na empresa, e foi aqui que a merda bateu de vez no ventilador.
Ideias de balada gay entre ela e o amigo apenas (ele assumidamente gay), viagens entre apenas os dois. Eu concordava, mesmo me remoendo de ciúmes por dentro. Sempre prezei pelo "Eu confio, eu a conheço". (meus amigos diziam que eu era otário por tratar ela tão bem, fazer de tudo)
Nesse tempo eu já fazia acompanhamento psicológico e psiquiátrico (minha psiquiatra era mais amor que minha psicóloga).
aguentei quase 1 ano disso, desistimos da viagem, comprei 1 casa ao invés de viajar (ela nunca quis sequer visitar o imóvel), após uma transa ela simplesmente começou a chorar e disse: Quero terminar.
Foi bizarro. Absurdamente bizarro.
Eu estava no extremo na minha vida pessoal com minha família, e meu porto seguro era o relacionamento (não dos melhores, mas estava ali há bastante tempo), neguei propostas de emprego fabulosas pra ficar com ela e isso agora?
Decidi seguir em frente, tendo crises de pânico e ansiedades como nunca antes, com a família SEMPRE dizendo, isso é falta de Deus, isso é frescura, esses remédios estão te matando, isso é falta de vergonha na cara, conheço pessoas que se mataram e quem se mata não avisa....
Nesse meio tempo minha psiquiatra (que era melhor que minha psicóloga) morre em um acidente de carro, ainda não superei.
3 semanas depois minha ex assume o namoro com o "amigo", moramos a 1km do outro, trabalhamos em uma empresa em outra cidade e temos que pegar ônibus juntos e trabalhamos no mesmo prédio com diferença de 1 corredor.... Se ela me traiu ou não tem a ver com a índole dela e não com a minha. Eu segui em frente, não sinto nada por ela, mas a depressão e a tristeza parecem não ter fim. Já era grande durante o relacionamento. Sozinho, sem ter com quem contar (é difícil conversar sobre isso com as pessoas) tem piorado muito.
hoje me encontro aqui, sem forças pra conhecer pessoas novas, sem forças pra por fim ao meu sofrimento, sem forças pra acreditar no setembro amarelo de pessoas falsas, sem forças pra ser eu.
Desculpem o texto grande, muita coisa ficou de fora pois acho que o texto já está cansativo, mas o problema é que eu estou cansado tbm. De remédio, de lagrimas, de tristeza...
E me sinto pior por ter superado o mundo, alcançado o sonho de muita gente com emprego bom, falar outra língua, ter casa própria, moto...
Me sinto mesquinho por não dar valor a nada disso depois de tudo que passei...
submitted by DarkDollynho to desabafos [link] [comments]